Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Confira 6 grandes personagens da ficção que poderiam ser ótimos advogados

goo.gl/kT8y3o | Já imaginou se os principais personagens do cinema, da televisão, dos livros, etc., decidissem estudar Direito e enfrentar super-vilões não com os punhos ou com poderes, mas no tribunal? O Juris separou 6 figuras fictícias que poderiam ser ótimos advogados se resolvessem trabalhar na área. Confira:

1. Batman



O Homem Morcego da DC Comics é reconhecido não só por suas habilidades físicas, mas também por suas invejáveis capacidades investigativas, ao ponto de ser famoso como “o maior detetive do mundo”. Com sua inteligência e imbatível raciocínio dedutivo, nenhum crime em Gotham City fica sem solução. Além disso, ele também é conhecido por ser incorruptível, fruto de um poderoso senso de justiça, originado quando ele, então uma criança, testemunhou seus pais serem assassinados por um assaltante. Tudo isso, fora o fato de que, como Bruce Wayne, sua “persona” pública, ele é dono de uma das maiores fortunas do planeta, o que nunca faz mal, não é?

Agora, imaginem se ele unisse tudo isso ao estudo e as práticas da lei. Como advogado, o Batman seria provavelmente um implacável combatente a favor da justiça, ajudando a tornar Gotham um lugar mais seguro. Claro, ele teria que contornar o problema da identidade secreta (seria improvável que algum tribunal aceitasse um advogado que se apresentasse em corte vestido de morcego), mas isso é fichinha perto de impedir os planos loucos do Coringa ou do Charada.

2. Alvo Dumbledore – Harry Potter



Bruxo mais famoso e poderoso de seu tempo. O único a quem o terrível Lorde Voldemort temia. Ordem de Merlim, Primeira Classe, por ter derrotado o maligno bruxo das trevas Grindewald. Diretor da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. E amante de feijãozinho de todos os sabores. Alvo Dumbledore, o idoso feiticeiro e mentor de Harry Potter e seus amigos de Hogwarts, ficou marcado na memória dos fãs dos livros e dos filmes por ser um personagem sábio, experiente, mas também bondoso e gentil. Caso ele decidisse estudar as leis dos bruxos e dos “trouxas” (aqueles que não praticam magia), certamente seria um grande jurista e defensor dos mais fracos contra os mais cruéis.

Além disso, Dumbledore já tem experiência na prática da advocacia: em Harry Potter e a Ordem da Fênix, quinta parte da saga, o herói é acusado de praticar magia na frente de um trouxa (o que é proibido pelas leis dos bruxos) e é levado a uma audiência no burocrático Ministério da Magia. Enfrentando um inquérito hostil (que quer desacreditar Harry), ele felizmente é apoiado por Dumbledore, que chega na última hora para fazer sua defesa. Mesmo tendo contra si todas as chances, o diretor consegue virar o jogo, e impedir Potter de ser expulso do mundo mágico.

3. Tyrion Lannister – Game of Thrones



O anão da poderosa Casa Lannister, uma das mais ricas de Westeros, sempre foi ridicularizado e menosprezado por sua irmã mais velha, Cersei, e por seu pai, Tywin, pela sua aparência. Entretanto, na verdade, o fato é que Tyrion é simplesmente uma das figuras mais inteligentes do mundo criado por George R.R. Martin. Astuto e leitor voraz de vários livros, sua mente afiada o permitiu chegar ao poder e jogar de igual para igual o “jogo dos tronos”, mesmo que para isso ele tenha criado um grande número de inimigos (principalmente dentro de sua família). Entre seus principais feitos, está o fato de que ele defendeu a capital de Westeros, Porto Real, contra a invasão da tropa marítima de Stannis Baratheon, utilizando uma inteligente combinação de correntes e fogovivo.

Caso fosse um advogado nos tempos modernos (a série se passa numa época parecida com a Idade Média), Tyrion certamente seria um dos mais astutos de sua área, e, com seu cérebro compensando por seu tamanho diminuto, ele dificilmente perderia um caso. No mundo de Martin, porém, como a própria série mostra, ele teria mais sorte com um julgamento por combate – em que dois guerreiros, um representando o réu e o outro a acusação, lutam até a morte, com o resultado decidindo pela condenação ou absolvição do acusado.

4. Spock – Star Trek



Provavelmente o personagem mais famoso e reconhecível de toda a franquia Star Trek (ou Jornada nas Estrelas, no Brasil), Spock é um Vulcano, uma raça alienígena que valoriza a lógica e a racionalidade sobre as emoções. Com isso, Spock sempre tem o cuidado de analisar cada caso friamente para decidir pela melhor opção. E, mesmo com seu estilo aparentemente desprovido de emoções, Spock também é um grande companheiro e amigo da tripulação da nave Enterprise, em especial de seu capitão, James T. Kirk.

Agora, imaginemos que, num belo dia, Spock se canse de fazer missões de cinco anos pelo espaço e decida ser advogado. Seria a opção ideal de carreira para ele, afinal, sua profunda inteligência vulcana e sua lógica impecável o tornariam um adversário formidável nos tribunais, seja defendendo terráqueos, vulcanos, klingons, romulanos, etc. Além disso, certamente ele iria alterar sua frase mais famosa: Vida longa e próspera passaria a ser Justiça longa e próspera.

5. Yoda – Star Wars



Outra figura icônica de uma franquia espacial, Yoda é um sábio mestre Jedi, que viveu mais de 900 anos, sempre lutando pelo equilíbrio na Força. Não se engane pelo seu tamanho diminuto ou sua idade (extremamente) avançada: Yoda é certamente um dos mais poderosos Jedis que já passaram pela galáxia. Entretanto, quando o Senador Palpatine deu um golpe na República e instaurou o cruel Império, que perseguiu todos os Jedis, Yoda foi forçado a se exilar no planeta pantanoso de Dagobah, por quase vinte anos, até ser encontrado por Luke Skywalker. Neste período, a galáxia viveu um de seus períodos mais sombrios, governada pelo Imperador e por Darth Vader.

Certamente, estes tempos de escuridão poderiam ter sido abreviados se Yoda tivesse abandonado o sabre de luz e combatido o Império em outro front: nos tribunais galácticos. Unindo sua inteligência inigualável, seus anos de experiência e sua sabedoria da Força, Yoda teria sido um grande advogado, defendendo a população comum contra os abusos do Império. O maior problema, claro, seria que todo mundo teria dificuldade para entender suas frases com palavras fora de ordem, que, embora tenham se tornado mania entre os fãs, não há dúvidas que deve gerar muita confusão entre os habitantes da galáxia.

6. Hannibal Lecter



Certo, diferentemente de seus outros companheiros nesta lista, Hannibal, na verdade, é um vilão. Um assassino em série, na verdade, que tem o costume de (literalmente) devorar suas vítimas, de preferência acompanhado por um bom chianti. Mas ele também é um homem extremamente culto, inteligente, e, de certa forma, um mestre em Psicologia. Hannibal consegue como ninguém penetrar na mente de suas vítimas e manipulá-las a seu bel prazer.

Na carreira de advogado, isto seria certamente um talento útil. Hannibal saberia arrancar confissões dos acusados e utilizar seus conhecimentos em psicologia para manipular a todos no tribunal. Com certeza, seria um dos advogados mais requisitados (e caros) de sua região. Só não vale, claro, devorar o cliente enquanto prepara sua defesa.

Fonte: Blog Juris Correspondente

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!