Notícias

:: NOTÍCIAS MAIS NOTÍCIAS

Curiosidades

:: CURIOSIDADES MAIS CURIOSIDADES

Dicas

:: DICAS MAIS DICAS

Artigos

:: ARTIGOS MAIS ARTIGOS

Projeto de Lei quer criar cota para travestis e transexuais em concursos públicos

goo.gl/dWeKae | Projeto de Lei de autoria do vereador Márcio Martins (PR-CE) quer criar cota para travestis e transexuais em concursos públicos municipais. O PL 87/2017 reserva 2% das vagas para transgêneros, que devem apresentar um “laudo médico e psicológico apresentando seu gênero e/ou sexualidade”, segundo a matéria.

O Projeto de Lei estabelece, ainda, que, no caso da constatação de declaração falsa, “o candidato será eliminado do concurso e, se houver sido nomeado, ficará sujeito à anulação da sua admissão ao serviço ou emprego público”. A falsidade não causaria sanções na área cível e penal ao concorrente.

Martins deu entrada ao projeto na manhã desta terça-feira, 7. Para iniciar tramitação, a matéria precisa ser lida em plenário, de onde seguirá para as comissões e voltará ao plenário para ser votado. De acordo com ele, “cotas para travestis e transexuais não são privilégios”.
A verdade é que elas são rejeitadas por uma sociedade e não conseguem empregos e daí vem a necessidade da atuação do poder público para a inseri-las no mercado de trabalho formal, defende o parlamentar. Quantas professoras travestis nós conhecemos? Quantos vereadores? Motoristas? Médicos? Advogados?, questiona.
Fonte: BlogOPovo

3 comentários :

  1. Anônimo9/3/17 07:40

    Esse vereador deveria ter vergonha!!!Com tantas demandas q um município tem, ele vem querer dar privilégio a quem dá o rabo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um absurdo isso! não somos todos iguais? mesmos direitos? entao pq alguem com opção sexual diferente tem que ter regalias?

      Excluir
  2. Sou trans e sou contra o projeto.
    Deveriam pensar em políticas para evitar a evasão escolar de pessoas transexuais como acesso à mudança de nome e ao banheiro de acordo ao gênero da pessoa. Assim todos teriam acesso à mesma educação e não gambiarras de cotas.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!