Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Assédio na TV: em seu perfil no Facebook juíza critica conteúdo das novelas da Globo

goo.gl/ZymU2V | A juíza federal Roberta Araújo, que atua no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 6ª Região, em Recife (PE) criticou em seu perfil no Facebook o pedido de desculpas da Rede Globo no caso de assédio que envolveu o ator José Mayer, de 67 anos, e a figurinista Su Tonani, 28, que trabalhou com o artistas nos bastidores de Lei do Amor.

“A verdade é que a Rede Globo coisifica as mulheres, naturaliza a violência, os abusos e assédios, incentiva o desrespeito, ridiculariza o papel e a posição da mulher e subalterna nossa dignidade”, escreveu a magistrada na sexta-feira (7).

Em relato publicado na coluna Agora É Que São Elas, do jornal Folha de S. Paulo, no dia 31 de março, Su contou que o ator a assediou diversas vezes, tanto moral quanto sexualmente, desde que ela começou a trabalhar na emissora.

— E essa história de violência se iniciou com o simples: “como você é bonita”. Trabalhando de segunda à sábado, lidar com José Mayer era rotineiro. E com ele vinham seus “elogios”. Do “como você se veste bem”, logo eu estava ouvindo: “como a sua cintura é fina”, “fico olhando a sua bundinha e imaginando seu peitinho”, “você nunca vai dar para mim?”.

Na última segunda-feira (3), a Rede Globo suspendeu o ator por tempo indeterminado. Na terça-feira (4) foi a vez de o ator publicar uma carta admitindo suas atitudes.

No mesmo dia a emissora publicou novo comunicado enfatizando que “repudia toda e qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito”.

Para a juíza federal do Trabalho Roberta Araújo, “quando essa emissora diz em nota que ‘repudia qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito’, está em verdade sendo dissimulada e ofensiva por nos considerar alienadas ou parvas”.

— Foi a Globo que fez o Brasil se divertir com o programa Zorra Total, que tinha em seu quadro principal duas amigas em um vagão, sendo uma delas, a Janete, bolinada de várias formas e tocada em suas partes íntimas com a batuta de um maestro enquanto a sua amiga Valéria , ao invés de defendê-la, dizia: “aproveita. Tu é muito ruim, babuína. Se joga.”

Leia a mensagem da juíza:

“Queridas, antes de divulgar e exultar com a postura da Globo em “ punir” José Mayer por assédio ou afastar Otaviano Costa do vídeo show por rir de atitude machista do Big Brother lembrem-se de que foi a Globo que universalizou entre nós a cobiça por Anita, apresentada como uma “ ninfeta” ousada que seduzia um homem casado e com idade de ser seu pai.

Foi a Globo que nos apresentou Angel, uma adolescente que permeou o imaginário dos desejos mantendo um ardoroso caso com o marido da sua própria mãe.

Foi a Globo que em Laços de Família envolveu o Brasil na polêmica trama em que a jovem filha rouba Edu, o namorado da mãe, interpretado por Reynaldo Gianecchini.

Foi a Globo que em Avenida Brasil nos trouxe como núcleo de comédia a trama com três mulheres envolvidas com o mesmo homem- o empresário Cadinho – e que declinam da suas vidas e dignidade para se sujeitarem a viver com ele, mesmo após se descobrirem enganadas.

Em Império, a Globo preencheu o imaginário de desejos com a trama do charmoso Comendador que mesmo casado com Marta mantinha um fogoso affair com uma menina mais jovem que sua própria filha.

Foi a Globo que fez o Brasil se divertir com o programa Zorra Total, que tinha em seu quadro principal duas amigas em um vagão, sendo uma delas, a Janete, bolinada de várias formas e tocada em suas partes íntimas com a batuta de um maestro enquanto a sua amiga Valéria , ao invés de defendê-la, dizia: “aproveita. Tu é muito ruim, babuína. Se joga.”

Então queridas, quando essa emissora diz em nota que “repudia qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito” esta em verdade sendo dissimulada e ofensiva por nos considerar alienadas ou parvas. A verdade é que a Rede Globo coisifica as mulheres, naturaliza a violência, os abusos e assédios, incentiva o desrespeito, ridiculariza o papel e a posição da mulher e subalterna nossa dignidade.

São mensagem explícitas e subliminares como as que esta Rede Globo universaliza e crava no imaginário masculino brasileiro que estupram, abusam, ferem e vitimam milhares de Mirellas que habitam entre nós”.

Fonte: entretenimento r7

21 comentários :

  1. Esse texto esta parecendo que foi plagiado da Aava Santiago. Olhem o link do texto original https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1341514742564693&id=100001185396469 . Inclusive a juíza apagou o texto do seu Facebook porque perceberam. Lamentável, pois pelo seu cargo está sendo noticiada por um texto tirado de outra pessoa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse comentário é muito irresponsável e leviano. A informação de que a postagem da página da juíza foi apagada é mentirosa. A postagem esta lá. O acesso é que é restrito aos amigos. Acusar de plágio esse texto é absurdo. Os textos são diferentes, a linguagem é diferente e esse assunto esta sendo abordado em centenas de postagens com críticas a rede globo com sua programação que continuamente degrada a condição da mulher e agora aparece soltando nota de repudio e punindo atores que fazem na vida real o que ela tão bem ensina. Muita arrogância pretender que essa constatação seja fruto de uma mente iluminada chamada aava. Tenha paciência. Do texto que a juíza escreveu de semelhante somente vejo a menção a programações apresentadas pela Globo e ainda assim com abordagens diferentes e outros tantos exemplos diferentes. Isso é sabido de todos, conhecido de todos e falado por todos. Passeia pelas redes sociais que vc vai ver quantas pessoas estão falando a mesma coisa, cda um sob sua ótica. Esse post só pode ser uma tentativa de autopromoção. Que ridículo.

      Excluir
    2. O texto é IDÊNTICO ao original! Foi plágio sim e a verdadeira autora está tomando as devidas providências sobre o fato. E sim, o texto pertence a uma mente iluminada, Aava Santiago.

      Excluir
    3. Não vejo plágio algum. O conteúdo publicado pela juíza trata do mesmo tema, mas pensar em plágio! Qd nós escrevemos, uma crônica, uma história baseada em fatos reais, uma opinião, é óbvio que partimos de um conhecimento prévio de um determinado assunto. E este conhecimento se adquire lendo jornais, revistas, etc. Então a juíza poderia até ter tido conhecimento da matéria da socióloga e assim extraído ideias a respeito do que ela escreveu. Porém, está distante, e muito, de um plágio. O texto em si difere, e em muito, do da socióloga. Vejam então: Presença de Anitta - a garota que foi abusada na infância e depois virou uma "ninfeta safada" de 18 anos que seduz e destrói a vida um pai de família (interpretado por José Mayer);
      Laços de Família - esse mesmo ator interpreta Pedro, que se envolve com várias mulheres, fazendo todas se odiarem. Uma delas é uma menor de idade, interpretada por Debora Secco, com quem ele tem relacionamentos sexuais agressivos como forma de "corretivo". Na mesma novela mãe e filha disputam o mesmo homem;
      Avenida Brasil - o empresário Cadinho se envolve com três mulheres lindas, ricas e poderosas, que abrem mão do conforto e, sobretudo, da dignidade para viver com ele na pobreza mesmo depois de se descobrirem enganadas;
      Ligações Perigosas - o personagem Augusto, vivido por Selton Mello, entra no quarto de Cecília, estupra a personagem, que depois se apaixona por ele;
      Verdades Secretas - o milionário empresário Alex se apaixona pela personagem Angel (???), de 16 anos, com quem vive um tórrido romance, a ponto de se casar com a mãe dela para ficar perto da moça. A trama termina com o suicídio de uma mulher e com outra se tornando homicida;
      Império - O charmoso e sedutor Comendador, vivido por Alexandre Nero, casado com Marta, mantém uma mulher mais jovem que sua filha como amante. O galante morre no final, deixando as duas com nítido sentimento de viuvez;
      Da cor do pecado - O título da novela faz referência à cor de sua protagonista, Taís Araújo, cujos "dotes" de sedução são associados à sua negritude;
      BBB - participante Laercio confessa embebedar adolescentes para fazer sexo com elas e, em sua saída, Pedro Bial diz "venha para fora com suas Anittas e Lolitas";
      Escolinha do professor Raimundo - a personagem Marina da Glória sempre responde errado às perguntas, porém com sua voz sexy e seu "jeito insinuante", acaba tirando 10;
      Angélica e Xuxa - as duas apresentadoras eram, ainda menores de idade, hipersexualizadas em programas para crianças, a ponto do jornal o Estado de São Paulo dizer que Xuxa povoava os mais secretos pensamentos infantis. O mesmo jornal anunciou que a TV manchete agora poderia fazer frente à audiência de Xuxa, pois havia contratado a estonteante ninfeta Angelica, à época com 13 anos;
      Globeleza - globeleza;
      somando-se a esses exemplos as incontáveis passadas de mão, beijos roubados, assédio moral e sexual em ambiente de trabalho que depois viram romance, etc, etc.

      Quando a Rede Globo diz, em nota, que "repudia qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito" É UM DEBOCHE!

      A REDE GLOBO SEMPRE HIPERSEXUALIZOU NOSSOS CORPOS, RIDICULARIZOU E DESPREZOU DE NOSSAS POTENCIALIDADES, ROMANTIZOU ABUSOS, VIOLÊNCIAS E HUMILHAÇÕES CONTRA TODAS AS MULHERES, RICAS E POBRES, E MAIS VIOLENTAMENTE AINDA CONTRA MULHERES NEGRAS E ATUOU FORTEMENTE NA NATURALIZAÇÃO DA CULTURA DO ESTUPRO, DA PEDOFILIA E DA EXPLORAÇÃO SEXUAL.

      NÓS NÃO VAMOS CAIR NESSA.

      Excluir
    4. Dizer que são IDÊNTICOS pra mim me faz crer tratar-se de uma brincadeira (não é ofensa, mas acredito poder ser uma brincadeira mesmo)de quem escreveu. Se não for isso é uma sandice e merece tratamento médico.

      Excluir
    5. Plágio ou não o que conta é que alguém está tentando abrir os olhos dos menos "espertos" que dão audiência para programas tipo BBB.O QUE IMPORTA É O ALERTA.E até acho que outras providências deveriam ser tomadas, além desse alerta.

      Excluir
  2. Esse texto é da Aava Santiago. A juíza o plagiou!

    ResponderExcluir
  3. O texto não é da juíza, é da Aava Santiago!!!! Corrijam!!

    ResponderExcluir
  4. Belo texto da socióloga Aava Santiago!!! Quanto ao plágio dessa senhora juíza, é lamentável que na crise de valores que estamos vivendo uma juíza, defensora da lei, se preste a esse papel.

    ResponderExcluir
  5. Belo texto da socióloga Aava Santiago!!! Quanto ao plágio dessa senhora juíza, é lamentável que na crise de valores que estamos vivendo uma juíza, defensora da lei, se preste a esse papel.

    ResponderExcluir
  6. Que contradição! Um site denominado "amodireito" prestando injustiça ao divulgar matéria plagiada. Os responsáveis por este site deveriam se retratar.

    ResponderExcluir
  7. BEM. AGORA JÁ NÃO SEI SE DE FATO A MATÉRIA É PLAGIADA. PERDOEM-ME SE EU ESTIVER ERRADO NO PRIMEIRO COMENTÁRIO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bacana sua atitude de reconhecer seu engano! Parabéns!
      Quanto ao plagio, parece-me que foi plagio, mesmo. E não publicaram com a autoria errada.... A juiza simplesmente tomou pra si o texto alheio. Como tomou proporções não esperada por ela, a própria deletou de seu face (sim, deletou)! Mas o estrago tava feito.
      Parabéns, mais uma vez, por sua atitude.

      Excluir
  8. Por que não publicam o texto "original" atribuído a Aava Santiago? Ou o link (se já não o fizeram e eu não vi)? Assim os mentirosos seriam envergonhados aqui nesse forum. Simples assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Publicaram com a autoria da juiza, porque ela tomou o texto pra si e não citou a fonte.
      Quem publicou não ia imaginar que aquele texto não havia sido escrito por quem se dizia autora! Caso classico de plágio!

      Excluir
  9. Ela deveria ter citado a fonte. O que se passa de mensagem em mensagem é que a juiza escreveu um belo texto.... blá , blá , blá . Eu , pelo conteúdo imaginei que seria da bancada da bíblia, ou especialmente de BOLSONARO - os falsos moralistas adoram esse tipo de texto. Todos que repassam esse tipo de crítica -
    os moralistas - não tem passado::???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silvia, mandou muito bem.....
      É bem por aí....

      Excluir

  10. Não vejo nenhum plágio aqui. Como foi mencionado no comentário acima, falar de textos idênticos só pode ser brincadeira. O texto citado dessa socióloga se refere a Anita como "ninfeta safada". Esse tipo de expressão ou menção nem existe no texto da juíza. O alegado texto da socióloga fala de relacionamentos sexuais agressivos em Laços de família, o que também nem é mencionado no texto da juíza.
    O texto da socióloga pelo que li acima cita ainda: “Ligações Perigosas - o personagem Augusto, vivido por Selton Mello, entra no quarto de Cecília, estupra a personagem, que depois se apaixona por ele; Da cor do pecado - O título da novela faz referência à cor de sua protagonista, Taís Araújo, cujos "dotes" de sedução são associados à sua negritude;BBB - participante Laercio confessa embebedar adolescentes para fazer sexo com elas e, em sua saída, Pedro Bial diz "venha para fora com suas Anittas e Lolitas";Escolinha do professor Raimundo - a personagem Marina da Glória sempre responde errado às perguntas, porém com sua voz sexy e seu "jeito insinuante", acaba tirando 10; Angélica e Xuxa - as duas apresentadoras eram, ainda menores de idade, hipersexualizadas em programas para crianças, a ponto do jornal o Estado de São Paulo dizer que Xuxa povoava os mais secretos pensamentos infantis. O mesmo jornal anunciou que a TV manchete agora poderia fazer frente à audiência de Xuxa, pois havia contratado a estonteante ninfeta Angelica, à época com 13 anos; Globeleza - globeleza; somando-se a esses exemplos as incontáveis passadas de mão, beijos roubados, assédio moral e sexual em ambiente de trabalho que depois viram romance, etc, etc.”
    Nada disso que esta entre aspas se encontra no texto da juíza. Nada. Nem uma palavra, citação ou menção sobre essas 17 linhas escritas pela socióloga. Dai vem a pessoa dizer que o texto da juíza é um plágio, idêntico ao da socióloga. Tenha paciência. Ninguém lendo os dois textos pode concluir sobre esse plágio apontado. A única semelhança que vejo entre os textos é a temática abordada. Mas alguém se pretender detentor do monopólio da crítica as contradições da Globo tenha paciência. Os fatos abordados em ambos os textos são fatos comuns, de conhecimento e comentário geral.
    E ambos os textos são bons, assim como outros que li sobre o mesmo assunto “da moda”. Talvez o da juíza tenha alcançado repercussão pela fonte e por ter sido escrito com mais erudição e estrutura textual que muitos outros. Por fim, a importância da mensagem de ambos os textos deveria ser maior do que essa boa discussão que se esta tentando trazer aqui. Acho que a socióloga não precisa desse expediente para divulgar o texto dela. Além do mais, se ambos os textos estavam nas redes sociais assim como dezenas de outros e foi o da juíza que ganhou repercussão certamente deve ser pelo mérito de como foi escrito e isso não deveria ofender ninguém.

    ResponderExcluir
  11. Acredito que para não ser plágio, as coisas que ela escreveu igual ao texto dá socióloga , ela tinha que ter citado o nome dá socióloga , não é ?

    ResponderExcluir
  12. É óbvio que não se trata de plágio, como reconhecem alguns dos comentários anteriores. A propósito, quem diz que os textos são idênticos é porque não leu integralmente e/ou com a devida atenção nenhum deles. Nada a estranhar... Infelizmente, hoje em dia, grande parte das pessoas anda de cabeça baixa olhando as telinhas de seus smartphones. O uso destes aparelhos é a praga do século, como dizem muitos e, entre eles, o próprio Papa Francisco, por estar matando as conversas e o discernimento. Neste particular, segundo pesquisa da Tyntec, o Brasil é o país que possui a maior quantidade de usuários conectados nas redes sociais (77%) via smartphone. Assim sendo, não é exagero concluir que a maioria as pessoas ou não lê mais nada ou, no máximo, dá só uma ligeira vista d'olhos nos textos (jornais, revistas, internet, etc.).
    Em apoio aos comentários discordando da absurda ideia de plágio, recomendo aos interessados a leitura de um esclarecedor artigo sobre o assunto:
    DIREITOS AUTORAIS
    Obra com mesma ideia ou tema de outra não é plágio
    22 de maio de 2013
    http://www.conjur.com.br/2013-mai-22/obra-mesma-ideia-ou-tema-outra-nao-configura-plagio-decide-stj

    ResponderExcluir
  13. Sério q a discussão aqui é se é plágio ou não ? Brasileiro é idiota mesmo

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!