Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Conheça 5 assassinos da vida real que dão mais medo que qualquer filme de terror

goo.gl/cPndUf | Pois bem, hoje nós vamos falar de alguns assassinos que são tão cruéis quanto os serial killers mais famosos, mas suas histórias são menos conhecidas.

Por algum motivo, seja problemas mentais ou simplesmente crueldade, existem pessoas nesse mundo capazes de matar por prazer. E foi pensando nisso que nós selecionamos histórias medonhas de 5 assassinos que da vida real que dão mais medo que qualquer filme de terror, confiram:

1 - Fred West



Vamos começar essa lista com o caso de Fred West. A maioria dos assassinatos desse psicopata aconteceram entre 1973 e 1979. Porém, tudo começou mesmo em 1971. Charmaine, filha de Fred de um casamento passado, foi assassinada por Rosemary West, na época, atual esposa de Fred.

A filha de Fred foi morta enquanto ela estava presa por roubo. Em agosto do mesmo ano, Fred foi libertado, a filha do antigo casamento de Rosemary também logo desapareceu. Estranho, não!? Bom, esse casal parecia ter um casamento estranho e problemático, mas pelo que podemos ver, eles gostavam mais ou menos das mesmas coisas. Rosemary dormia com seu próprio pai, mas isso tinha a aprovação de Fred. Rosemary começou na prostituição e 1972, e pouco tempo depois disso, Fred abusou de sua filha de apenas 8 anos de idade.

A tal filha ficou grávida de Fred em 1979, abortou o bebê e logo saiu de casa. E foi aí que Fred começou a abusar de suas outras filhas. Desde 1973, os Wests mataram cerca de 9 mulheres, incluindo inquilinos do casal, crianças do bairro e sua própria filha. Heather West tornou-se o centro das "afeições" de Fred depois que sua irmã mais velha saiu de casa. Em 1994, ao investigar o desaparecimento de Heather, descobriu-se que seus restos mortais estavam enterrados no pátio da casa dos Wests. Fred confessou 10 assassinatos, mas foi acusado de mais 11 restos mortais que foram encontrados. Rosemary foi acusada de apenas 10.

Fred se enforcou em 1995 enquanto estava preso e esperando julgamento. Rosemary nunca confessou crime nenhum, mas foi julgada por 10 assassinatos e condenada à prisão perpétua.

2 - Juana Barraza



Juana Barraza nasceu no ano de 1956. A mãe dela era alcoólatra, e deixava um homem abusar de Juana a troco de três cervejas. Tal homem violou Barraza inúmeras vezes, e isso fez com que ela desse a luz a quatro filhos. Acredita-se que Barraza começou seus assassinatos por volta dos anos 90. As vítimas de Barraza eram sempre mulheres com mais de 60 anos de idade e que viviam sozinhas. Ela se passava como funcionária do governo para ter acesso a casa das vítimas. Depois, ela assassinava as mulheres e as roubava.

O curioso é que algumas testemunhas levaram a polícia a acreditar que tal assassino era um homem vestido com roupas femininas. Até porque, Bazarra tinha características masculinas. Ela foi presa quando tentava fugir da casa da sua última vítima. As suas impressões digitais foram ligadas a 10 assassinatos, mas também eram suspeita de pelo menos mais 40 assassinatos. A mulher até confessou 4 assassinatos, mas negou envolvimento em todos os outros casos que era suspeita. Ela foi julgada em 2008 e culpada por 16 acusações de assassinatos e roubo. Bazarra pegou incríveis 759 anos de prisão.

3 - Ervil LeBaron



Ervil LeBaron criou uma família poligâmica no México, no ano de 1970. Bom, o cara parecia realmente ser o "diferentão". Ele criou sua própria seita, chamada Igreja do Primogênito do Cordeiro de Deus. Ervil parecia ter fome de poder. Ele era narcisista, teve 13 esposas e 50 filhos. Para ele, uma vez que Maria tinha dado a luz a Jesus quando tinha 14 anos de idade, ele também podia ter esposas adolescentes. Embora sua família vivesse em meio a pobreza, ele buscava constantemente novas noivas.

O cara usava roupas caras, dirigia carros de luxo e era bom de conversa, o que ajudava a conquistar novos membros para sua seita. Ele dizia para seus membros que eles seriam considerados "filhos da perdição" e morreriam se eles deixassem a seita.

Pelo menos 25 pessoas foram assassinadas sob seu poder. Muito parecido com Charles Manson, ele fazia com que seus seguidores assassinassem pessoas, o que fez ele ser chamado de "Mormon Manson". Entre as vítimas estavam líderes de outros grupos poligâmicos que não se curvaram para ele e até mesmo sua própria filha, que estava grávida. Ele foi condenado pelo assassinato do seu próprio irmão. Depois de morrer em uma prisão em 1981, no estado de Utah, devido a um ataque cardíaco, seus seguidores continuaram matando pessoas. Ninguém sabe ao certo quantas mortes ao todo foram comandadas por Ervil.

4 - Niels Hogel



Niels Hogel foi enfermeiro em várias unidades de terapia intensiva da Alemanha. Ele era, assim digamos, um "reanimador" de pacientes. Sim, ele gostava de salvar vidas, e se não houvesse ninguém para ele salvar, ele dava um pequeno empurrãozinho para que ele pudesse atuar.

Uma vez que ele tinha acesso a medicamentos cardiovasculares, ele injetava nos pacientes doses extras nos seus corações. Depois disso, ele tentava salvar os pacientes. Porém, em muitos casos, tais pacientes morriam. Um colega percebeu depois de um tempo que, quando Hogel não conseguia salvar um paciente, ele ficava muito incomodado, do tipo, "que tipo de Deus permite que isso aconteça"?

Ele fez a mesma coisa várias e várias vezes. Ele ia de hospital em hospital, desperdiçando remédios e vidas ao mesmo tempo. Em um hospital de Oldenburg, as pessoas começaram a suspeitar do enfermeiro por causa do número crescente de mortes em sua unidade. Eles tentaram mudar ele de unidade, pensando que poderia ser apenas má sorte. Porém, perceberam que sempre que alguém precisava ser reanimado, Hogel sempre queria fazer o trabalho sozinho. Ele foi transferido para Delmenhorst.

Foi lá que Hogel finalmente foi pego. Um funcionário o viu injetando em um paciente uma droga que o matou. O tal funcionário achou isso um tanto fora do comum. Ele disse ao seu chefe, e dois dias depois, eles o confrontaram. Porém, durante esses dois dias, Hogel matou mais um paciente. Depois disso, Hogel foi preso, acusado de assassinato. Ele confessou mais 88, embora algumas pessoas acreditam que o número de pessoas mortas pelo enfermeiro seja o dobro.

5 - Moses Sithole



Vocês já ouviram falar em Moses Sithole? Ele é considerado por muitos como o assassino em série mais cruel da África do Sul. Ele cometeu 38 assassinatos e estuprou 40 mulheres, tudo isso no ano de 1995. Ele estuprava as mulheres, depois amarrava e estrangulava suas vítimas com suas roupas íntimas. Depois que as quatro primeiras vítimas foram encontradas mortas dessa maneira, a polícia percebeu que um assassino em série estava atuando. Foi feita uma força-tarefa para tentar capturá-lo. Só depois de 34 vítimas encontradas que Sithole foi finalmente levado a justiça.

Ficou evidente apenas depois que da sua captura que ele atraiu a maioria de suas vítimas com propostas de empregos. Considerando a alta taxa de desemprego da África do Sul, essa foi uma maneira muito esperta de atrair as vítimas. O caso fica ainda mais assustador pelo fato de que Sithole era HIV positivo. Ele alegremente admitiu 29 assassinatos, dando detalhes explícitos dos crimes. Ele recebeu 2.410 anos de prisão depois de um julgamento que levou mais de um ano. Ele começou a cumprir sua pena em 1997.

E aí, já conheciam todos esses terríveis assassinos? Comentem!

Fonte: www.newsrondonia.com.br

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!