PGR manda ministra Luislinda Valois se explicar sobre cargos de chefias vagos

Nenhum comentário
goo.gl/2seKgS | A procuradora federal dos Direitos do Cidadão Deborah Duprat determinou que a ministra Luislinda Valois explique, “com a maior brevidade possível”, por que não preenche cargos de chefia.

O pedido ocorre depois de a Coluna revelar que, no último dia 15, o Fórum Nacional da Criança e do Adolescente protocolou na PGR denúncia contra Luislinda por “gestão irresponsável” e mostrar que há 22 áreas sem chefia. O Fórum, que representa mais de mil entidades, tem como missão fiscalizar a aplicação dos direitos das crianças e adolescentes.

Ao todo, 22 cargos de chefia estão vagos no ministério comandado por Luislinda. Somente na Secretaria de Igualdade Racial seis áreas estão sem coordenadores. Na Secretaria da Criança e do Adolescente, duas diretorias não têm comando. A conta não inclui os cargos vagos no terceiro escalão.

Após ser procurada pela Coluna, a ministra começou o preencher as vagas. Ela havia afirmado à Coluna do Estadão que as nomeações “não dependem apenas do ministério” e que “aguardam a liberação da Casa Civil”.

Após o PSDB desembarcar do governo, a ministra Luislinda deixou o partido para tentar permanecer no cargo. Desde que se comparou a um escravo, como revelou a Coluna, a pasta dela é cobiçada por outros partidos da base governista.

LEIA O OFÍCIO DE LUISLINDA 

Por Andreza Matais
Fonte: Estadão

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!