Advogado: você precisa mesmo de um escritório físico? (Artigo) de Pedro Custódio

6 comentários
goo.gl/4y7uyK | Há exatamente um ano atrás eu estava deixando o escritório de advocacia no qual trabalhava para me lançar no mercado como advogado.

- Ué, mas você já não era advogado?

Sim. Mas o mercado não me conhecia. Minha rotina era entrar no escritório às 8h e sair às 18h. Resolver alguma coisa no horário de expediente? Só se avisasse com antecedência.

Eu queria ter tempo e liberdade para fazer as coisas que eu quisesse ou estar onde eu quisesse, sem ter que esperar as férias ou os finais de semana pra isso.

Um ano se passou. O que aconteceu? Estou escrevendo esse texto aqui de Ubatuba – SP, em plena terça-feira, tomando um café.

Se você está em dúvida entre advogar e prestar concurso público, ou mesmo abandonando o barco porque não aguenta mais as despesas do escritório, esqueça o aluguel da sala, as contas de luz, de internet e o cafezinho.

Advogados com visão de futuro já estão carregando seus escritórios na mochila e dispensando o espaço físico.

Confira essas três dicas que eu separei, se você quiser que essa realidade deixe de ser um sonho pra você, assim como deixou de ser pra mim.

1 - Monte seu modelo de negócio

Se você parar pra pensar, ter um espaço físico não é fundamental para advogar.

Pelo celular, eu checo e envio e-mails, recebo e avalio documentos e faço muito networking (principalmente no LinkedIn). Meus clientes entram em contato comigo sempre que precisam, seja por telefone ou por mensagem. Os processos judiciais eu acesso eletronicamente e minhas petições – e textos – são feitas no Word do meu notebook.

Ou seja, basicamente, preciso de um celular e um notebook para trabalhar.

Quando o caso necessita ou o cliente quer me encontrar para conversar, eu o convido para um café ou me ofereço para ir até ele. Além de ser mais cômodo pra ele – o que gera mais valor ao meu serviço – eu mostro que sou um advogado acessível e humano, tornando a relação mais leve, descontraída e, consequentemente, duradoura.

Portanto, deixe de lado a visão limitada de que todo advogado precisa de um escritório e crie seu próprio modelo de negócio. Você já tem o conhecimento jurídico e as ferramentas para aplicá-lo.

2 - Use a tecnologia a seu favor

Eu sou fã de aplicativos e ferramentas que facilitam a minha vida. Afinal, trabalhar por conta própria exige muita organização.

Como eu dependo de um celular e um notebook para trabalhar, fiz deles o meu próprio escritório, e tenho tudo o que preciso para me organizar, me comunicar e escrever.

Com o Wunderlist, por exemplo, consigo organizar simplesmente tudo, desde as finanças de casa até os prazos processuais. O aplicativo me dá um panorama das tarefas do dia e também da semana, todas divididas em pastas, permitindo que eu organize muito melhor o meu tempo. Para me comunicar, o bom e muito utilizado Whatsapp está aí. Faço ligações e chamadas por vídeo, dispensando qualquer custo com linha telefônica.

Na semana que vem vou fazer uma lista dos aplicativos e ferramentas que utilizo no meu dia a dia como advogado e escritor.

3 - Abrace a ideia de que qualquer lugar pode ser o seu escritório

Trabalhar em casa é excelente, mas é importante que você não fique isolado. Quanto mais contato com outras pessoas você tiver, maiores são as chances de surgirem oportunidades.

Portanto, coloque seu notebook na mochila e procure uma cafeteria, um coworking ou qualquer espaço com Wi-Fi, de preferência onde outras pessoas também frequentam para trabalhar. Essa é uma oportunidade incrível para você fazer networking, trocar ideias e, por que não, fazer clientes.

Conclusão

Quando eu trabalhava no modelo tradicional de escritório, o único contato que eu tinha era com o relógio. Ficava olhando para ele esperando o alinhamento dos ponteiros às 18h.

Eu lia muito sobre essa galera que trabalha de qualquer lugar do mundo e achava que isso era impossível pra mim, a não ser que mudasse de profissão.

Com um pouco de criatividade e muita coragem, eu mudei totalmente a minha forma de trabalhar. Hoje trabalho no horário que eu me sinto mais produtivo e não preciso esperar as férias para estar onde eu quero.

Se quiser, isso é possível pra você também.

Ubatuba – SP, 23 de Janeiro de 2018

Por Pedro Custódio
Fonte: Jus Brasil

6 comentários

  1. Sou advogada também e tenho mesmo estilo que trabalhar que o seu.
    Trabalho em casa e faço meu horário. Minha qualidade de vida elevou muito.
    Muito boa sua matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro Custódio27/1/18 14:24

      Que legal, Adriana!

      Nada melhor do que ter qualidade de vida!

      Abraços!

      Excluir
  2. Pedro Custódio27/1/18 14:23

    Puxa vida!

    Muito obrigado por compartilharem o texto! Me senti lisonjeado! ;)

    Abraços ao pessoal do Amo Direito

    ResponderExcluir
  3. Sou advogada e tenho meu escritorio, mas não consigo estar lá todo o tempo, pois sou mãe e faço questão de cuidar pessoalmente do meu filho. E como o custo de uma secretária é alto, o escritório acaba ficando vazio e eu fico à disposição dos clientes pelo celular e whatsapp quase que 24h, conciliando casa, maternidade e minha profissão. Me culpo e por vezes me angustia não estar no escritório, onde poderia me dedicar mais. Mas ao ler seu artigo, este peso ficou um pouco mais leve...rs. Acredito que seja possível sim esta nova maneira de advogar, pois mesmo eu não estando presente no meu escritório nunca deixo de responder um cliente, cumprir um prazo, prestar algum esclarecimento. E por isto acredito que consigo ser profissional e uma boa advogada. Mas como vc justifica ao cliente o fato de não ter um escritório? Pergunto pois ainda julgam muito o advogado pela pompa que apresenta....seja um carro, um escritório, uma vestimenta, como se tudo isto demonstrasse se você é ou não um bom advogado.

    ResponderExcluir
  4. Já estava com essa idéia na cabeça, depois de ler esse artigo vou aderir o modelo de trabalho. Obrigado e sucesso Dr.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom o artigo. Parabéns.
    Ainda estou na faculdade, penso em advogar mas não tenho os recursos necessários para abrir um escritório ou mesmo alugar uma salinha em um prédio comercial.
    Você(s) acha(m) que é possível já iniciar a carreira de advogado tralhando nesses moldes, ou é preciso antes consolidar alguns clientes para depois começar o homeworking? Obrigado desde já.
    caso queira(m) responder no email: wesleyhenrique.2007@hotmail.com

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!