Dúvidas e expectativas: dez excelentes conselhos para um veterano em Direito

Nenhum comentário
goo.gl/89QwoX | Inícios e finais são sempre épocas cheias de dúvidas e expectativas. Se no primeiro ano de curso há o susto pela chegada da vida adulta, no último a vida adulta já está estabelecida, o tanto de responsabilidades já aumentou consideravelmente e a tendência é que isso seja uma constante.

Depois de alguns anos de faculdade, começam a surgir dificuldades maiores e a chegada do “sexto ano” amedronta qualquer um. E foi pensando nisso que eu elaborei esses dez conselhos para quem, em 2018, vai dar início ao último ano da faculdade de Direito.

1º. Eu poderia começar com um conselho motivacional, mas não sou desses. O primeiro é o mais importante e o mais importante não é motivá-lo. Sendo assim, vai lá: você ainda não está formado. Há um ano todo pela frente, com várias disciplinas a serem estudadas e só o fato de você ter completado quatro anos de faculdade não te credencia a ser bacharel. Por isso, leve a sério as disciplinas do último ano, porque a conta só fecha no cinco.

2º. Se você for aprovado no Exame de Ordem ao longo do ano, lembre-se do primeiro conselho: você ainda não está formado e ainda não pode ser um advogado. Ah, mas você já pode economizar uma grana para pagar a sua primeira anuidade.

3º. Talvez você já seja um civilista de carteirinha ou um criminalista empedernido na luta contra o autoritarismo do sistema que oprime as massas. Talvez você já seja um tributarista de olho nas malandragens do Fisco sobre o patrimônio do contribuinte ou um trabalhista revoltado com a Reforma que vitimou os direitos sociais adquiridos com tanta luta popular. De todo modo, vale a pena olhar para as disciplinas de diversificação que são ofertadas no último ano da faculdade. É, eu sei, você está cansado de tanto estudar ao longo desses quatro anos, mas lembre-se que o mercado de trabalho está saturado. Você, em breve, será mais um bacharel entre milhares de bacharéis que são despejados para fora das faculdades todos os anos e, em qualquer carreira que você escolher, haverá a necessidade de mostrar o seu diferencial e ele pode estar justamente no conhecimento a respeito dessas disciplinas que hoje você considera esquisitas e desnecessárias. Vale o último esforço, ele pode te poupar de alguns perrengues futuros.

4º. O TCC! Este assunto valerá mais de um conselho. Vamos a um deles: não escolha um tema vinculado à sua vida particular ou que te cause incômodos psicológicos. É bastante comum que as pessoas escolham temas de TCC a partir de uma vivência pessoal e isso pode ser extremamente perigoso, principalmente quando a temática envolve questões familiares ou sentimentais. Um pesquisador precisa de um certo distanciamento do seu objeto de pesquisa para que ela não se torne um tormento em sua vida e até mesmo para que ele possa enxergá-lo de forma fria e não tenha distorções de entendimento a respeito do tema que está estudando. Por isso, mantenha distância de temas assim. Escolha um tema que te motive a estudar e que te cause o mínimo de aborrecimentos possíveis.

5º. Ainda sobre o TCC: você precisa finalizá-lo, então, em vez de perder tempo reclamando disso nas redes sociais, sente, leia e escreva. Escreva ainda que você não possa aproveitar o que escreveu no seu trabalho. Escreva para jogar fora. Escreva, porque você precisa de condicionamento na sua escrita e quanto mais escrever, melhor vai escrever. Você terá momentos em que se sentirá travado e não conseguirá concatenar suas ideias a contento. Mesmo assim, escreva, ainda que aquela ideia te pareça absurda. Lembre-se que você tem um orientador para auxiliá-lo a identificar os excessos e as excentricidades, então escreva e logo você perceberá que adquiriu maior facilidade em colocar no papel o seu pensamento. E por falar em orientador... isso nos leva ao próximo conselho.

6º. Procure um professor com quem você se identifique, porque vocês terão que conviver durante algum tempo até que o trabalho seja finalizado. Entenda que o orientador é aquela pessoa que possui mais experiência do que você e use-o como um farol, considerando as suas ideias e conselhos e seguindo o caminho que ele apontar. Seja parceiro de seu orientador e não trave com ele uma disputa. Isso em nada te beneficiará. Ah, e atente aos prazos que ele fixar. Logo mais você será um profissional e já está na hora de demonstrar que há responsabilidade de sua parte no cumprimento das metas estabelecidas para o trabalho.

7º. Verifique o cumprimento das suas horas complementares e as pendências em outras disciplinas assim que pisar na faculdade pela primeira vez neste ano. Fique atento ao cumprimento das exigências nas disciplinas de estágio. Assista as audiências exigidas logo no início do ano, entregue os relatórios o mais cedo possível, você precisará de cabeça fria e mente sã para enfrentar o TCC e as outras disciplinas, sem esquecer, é claro, dos estudos para o Exame de Ordem e eventuais concursos públicos. Não acumule responsabilidades para o final do ano e poupe-se de alguns dissabores.

8º. Você terá um acúmulo de atividades neste último ano. É como se a faculdade te sobrecarregasse para que você não sinta saudades dela no sexto ano. Mas você sentirá do mesmo jeito. Então, já que a sobrecarga e a saudade são de lei, não esqueça de aproveitar o convívio com os amigos de faculdade o máximo que puder. Churrascos e festas de confraternização são de comparecimento obrigatório. Acredite: eles farão muita falta depois. E, neles, você e seus colegas, já embriagados, farão promessas de reencontros sempre que a saudade bater. E talvez esses reencontros jamais aconteçam da forma como foram planejados, porque a vida acaba nos levando a caminhos outros e nos traz outras tantas responsabilidades. Por isso, aproveite neste último ano, mesmo que você seja aquele tipo de pessoa que nunca participou das festinhas da sua turma, ainda que você seja o chato da turma. Até para você o último ano vai reservar a boa surpresa de ser acolhido por seus colegas, que sentirão saudades até do chato da turma.

9º. O seu vestido de formatura precisa ser lindo, porque as fotos têm que ficar sensacionais. O seu terno também. Mas não use nada apertado demais, baile de formatura requer que se requebre até o chão... várias vezes. Sempre haverá um “Vai, malandra” pra dançar.

10º. Não esqueça do Engov antes e depois do seu baile de formatura. E se beber não dirija, precisaremos de você vivo e sem antecedentes criminais para lutar o bom combate no Direito da vida real, aqui fora.

Por Renê Hellman
Fonte: emporiododireito.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!