Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Tática inusitada: defensor público toca música do Rappa em Tribunal do Júri; vídeo

goo.gl/BBYd5H | Tática inusitada foi utilizada pelo defensor público Rodrigo Stochiero, que atua no Tribunal do Júri de Campo Grande. O advogado levou um violão para o júri e tocou a música “Hey Joe”, da banda O Rappa.

Ao publicar o vídeo em suas redes sociais, o defensor propõe "uma reflexão sobre o ciclo da violência e os efeitos de tal fenômeno no juízo exercido sobre os atores envolvidos neste drama humano".

Ao final da palinha, o defensor conclama: “não julguem um povo inteiro por erro de alguns”.



O caso era de imputação de homicídio duplamente qualificado e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. O réu foi condenado, mas os jurados reconheceram o privilégio do relevante valor moral, o que afastou a qualificadora da torpeza e retirou a hediondez do delito.

Rodrigo citou o seguinte trecho da letra da música, e concluiu pedindo que o júri não se precipitasse ao julgar.
Menos de 5% dos caras que moram na favela são dedicados a alguma atividade marginal. Mas impressionam quando aparecem no jornal tapando a cara com trapos, com uma Uzi na mão, parecendo farrapos, árabes do caos. Sinto muito te falar, mas é burrice pensar que esses caras é que são os donos da biografia, pois a grande maioria que mora na favela daria um livro por dia sobre arte, honestidade e sacrifício.' Quando O Rappa termina a música dessa forma, ele quer dizer primeiro: olhem para a história da pessoa, das pessoas que são envolvidas na violência, mas não julguem uma favela inteira, um povo inteiro por erro de alguns, ou de erro que no passado alguém cometeu. Não se precipitem ao julgar um caso desses."
Fonte: Migalhas

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!