Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

MPF investiga faculdade suspeita de prometer mensalidade de R$ 50 para alunos

goo.gl/SKHxti | O Ministério Público Federal (MPF) abriu uma investigação contra mais de 50 mil financiamentos da Uniesp, um grupo educacional presente em nove estados e com mais 100 unidades, após alunos de Sorocaba (SP) denunciarem um golpe que gerou um prejuízo de mais de R$ 50 mil.

De acordo com diversos alunos ouvidos pela TV TEM, eles eram atraídos por uma propaganda que prometia o pagamento de uma mensalidade no valor de R$ 50 a cada três meses.

A propaganda informava que a Uniesp assumiria o pagamento do Financiamento Estudantil (Fies) e o aluno receberia um certificado que todas as mensalidades seriam pagas pela universidade.

No entanto, ao longo do curso os alunos descobriram que quando acabavam o curso, a Uniesp não pagava o financiamento e a dívida ficava para o aluno.

Em nota, a Uniesp afirma que cumpre tudo o que é prometido nas propagandas e que respeita o Código de Defesa do Consumidor.



Regina de Souza dos Santos está indignada com a postura da universidade (Foto: TV TEM/Reprodução)

Regina de Souza dos Santos, que cursou pedagogia, afirma que ficou indignada com a postura da faculdade. "Sabe quando você fica surpresa? Quando vi a propaganda, falei ‘Meu Deus, é uma oportunidade única, vou realizar o sonho de muitos anos’, agora meu nome está restrito”, afirma.

Falaram que eu não cumpri as exigências, só que a única exigência era R$ 50 trimestrais e eu paguei rigorosamente em dia", afirma Regina.

Após descobrir o golpe, Regina também descobriu que está com uma dívida de quase R$ 50 mil com o Fies.

Adelaide Malavazzi também acreditou nas propostas apresentadas pela universidade. "Se eu soubesse que seria assim, não teria feito", afirma.



Uniesp é investigada pelo Ministério Público Federal por aplicar golpe em alunos (Foto: TV TEM/Reprodução)

Estudantes enganados


O golpe era aplicado no momento em que o aluno prestava um vestibular. Quando aprovado, começava a estudar e depois entregava vários documentos para a Uniesp.

A universidade encaminhava essa documentação para um banco e em seguida orientava o aluno a assinar um contrato que, na verdade, era o financiamento estudantil. Dessa forma, passava a dívida para o aluno.

Muitos alunos assinavam documentos no dia de prova correndo, nem sabia o que estava fazendo", afirma Alex Xavier do Conselho Nacional de Defesa do Acadêmico.

Na região de Sorocaba, centenas de estudantes alegam que foram enganados pela universidade e estão entrando na justiça porque não têm condições de pagar a dívida. Só no Tribunal de Justiça em São Paulo (TJ-SP), são mais de 300 processos contra a universidade.

O Ministério da Educação declarou que acompanha a investigação do Ministério Público Federal e também apura supostas irregularidades que possam afetar o fundo de financiamento.

O MEC ainda informou que a Uniesp ficou proibida de utilizar o Fies, mas não explicou o motivo e nem em que período.



Rosana de Figueiredo acumula uma dívida de R$ 47 mil por causa da Uniesp (Foto: TV TEM/Reprodução)

O Ministério também informou que a universidade entrou na Justiça e, em 2016, voltou a oferecer o financiamento do governo.

Nosso erro foi querer estudar, aprender e saber mais", afirma Rosana de Figueiredo, umas das alunas prejudicadas.

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que administra o Fies, confirmou que a Uniesp só retornou a oferecer o financiamento estudantil devido uma decisão judicial.

Além disso, o FNDE informou que não sabe quantos contratos já foram assinados neste semestre porque o processo de preenchimento das vagas continua aberto.

Fonte: g1 globo

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!