Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Exercício ilegal da profissão: vítimas de golpes de falsa advogada chegam a 60

goo.gl/Qco85R | Ao menos 60 moradores de cinco municípios já procuraram a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sertãozinho (SP) dizendo-se vítimas da jovem de 26 anos, presa há uma semana por suspeita de se passar por advogada para aplicar golpes.

A Polícia Civil ainda calcula o valor total do prejuízo deixado por Daiane Aparecida Pacheco, mas algumas pessoas dizem ter pagado até R$ 8,5 mil para que a suspeita ingressasse com processos na Justiça, principalmente nas áreas trabalhista e previdenciária.

Nove vítimas já prestaram depoimento em Barrinha (SP), onde Daiane morou por três meses. O aposentado João Zuber disse ter feito um empréstimo de R$ 7,5 mil para arcar com os honorários, e só depois do pagamento desconfiou do golpe.

“Ela disse que eu tinha direito a receber muito dinheiro, R$ 1,3 milhão. Eu não acreditei mais em nada do que ela falava. Se fosse uns R$ 250 mil, até R$ 300 mil, dava para acreditar, mas não deu. É muito alto, muito dinheiro”, contou.



Boletins de ocorrência de supostas vítimas da falsa advogada na região de Ribeirão Preto (Foto: Antônio Luiz/EPTV)

Daiane foi presa no escritório dela em Sertãozinho, onde morava há duas semanas. Uma das vítimas na cidade foi o enfermeiro Reinaldo de Oliveira Antônio, que disse ter entregado R$ 8,6 mil à falsa advogada. A sogra dele também pagou R$ 4 mil pelos serviços da falsária.

“Eu confiei muito nela. A gente até agradecia pelo que estava fazendo. Ela falou de uma suposta doença, disse que estava com câncer, que não podia vir naquela semana que a gente tinha combinado. Acho que ela foi muito sacana com a gente”, disse.

Suposta comparsa


Vítima da falsária, a tosadora Mariana Aparecida Custódio da Silva disse que Daiane contava com a ajuda de uma técnica de enfermagem. As duas, segundo Mariana, viajavam juntas para outras cidades, supostamente para aplicar o golpe.

“Ela, o marido dela e a Daiane foram à minha casa buscar meu marido para ir ao Fórum assinar um papel, porque disseram que meu marido tinha R$ 150 mil para receber. A gente caiu nessa bobeira. A gente se iludiu”, desabafou.

O pedreiro José Messias dos Santos também procurou a polícia e disse estar sendo ameaçado pelo filho da técnica de enfermagem, que era sua vizinha. Santos pagou R$ 7,8 mil à falsa advogada, que lhe prometeu ingressar com um processo na Justiça para solucionar a compra de um terreno.

“Nós somos pessoas direitas, estamos correndo atrás dos nossos direitos. Nós, vizinhos, todos caímos no golpe delas. Para mim, pensava que era uma vizinha boa. Tem muitas vítimas”, afirmou.



O aposentado João Zuber diz que pagou R$ 8,5 mil à falsa advogada (Foto: Antônio Luiz/EPTV)

Defesa


Daiane segue presa na Penitenciária Feminina de Ribeirão Preto (SP). O delegado Targino Osório disse que pedirá o bloqueio de bens dela nos próximos dias. Ainda segundo Osório, a mulher apontada como comparsa da falsa advogada é considerada testemunha e não suspeita nos crimes.

Ao G1, a técnica de enfermagem disse que também foi vítima de Daiane. "Nunca desconfiei de nada. Ela é uma pessoa envolvente. Se você conviver com ela, vai cair na lábia dela."

A mulher, que prefere não se identificar, diz que o marido deixou de pagar pensão alimentícia há sete meses a uma filha que está na faculdade. Daiane teria prometido um acordo na Justiça e pediu R$ 10 mil para cuidar do caso. Ela também teria cobrado para pedir o benefício da aposentadoria dele.

"Quando estourou a bomba, fomos ver o tamanho do prejuízo. Estamos devendo o valor da minha casa. Nós corremos, pegamos dinheiro com um agiota que está me cobrando juros de 15% ao mês. Então, minha dívida está astronômica. Estou com medo do meu marido ser preso. Se o oficial de Justiça autuar meu marido, eu tenho 24 horas para pagar a pensão atrasada e não tenho dinheiro."



Moradores de Barrinha (SP) procuraram a Polícia Civil dizendo-se vítima da falsa advogada (Foto: Antônio Luiz/EPTV)

Investigação


A DIG instaurou inquérito para apurar a farsa depois que uma mulher denunciou a falsa advogada. A vítima, moradora de Barrinha, desconfiou das solicitações de depósitos em dinheiro feitos para cuidar de um pedido de aposentadoria.

De acordo com Osório, a suspeita prometia vitórias em diferentes causas, como revisão de benefícios, juros abusivos e pensões. A vítima esteve no escritório de Daiane, acompanhada de um policial disfarçado, que a questionou sobre o registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A suspeita não apresentou o documento e acabou presa em flagrante, na última quinta-feira (15). No escritório, os investigadores apreenderam dinheiro e documentos de pessoas que podem ter sido enganadas. O caso segue em investigação.

Fonte: g1 globo

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!