Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Adolescente suspeito de matar advogada ficou 10 horas na casa dela e agiu por vingança, diz polícia

goo.gl/wT195U | A investigação sobre a morte da comerciante e advogada Clarinda Yamaura Tamashiro, em Aquidauana, a 131 km de Campo Grande, aponta que o adolescente ficou 10 horas na casa da vítima e agiu por vingança. Ele permanece isolado em uma cela da cidade, aguardando decisão judicial para ser encaminhado a Unidade Educacional de Internação (Unei).

De acordo com a polícia, o adolescente chegou às 5h no imóvel da vítima e lá ficou até às 15h (de MS). Ele confessou o crime e a investigação descobriu que, há cerca de 2 meses, o rapaz furtou R$ 5 mil da vítima, sendo localizado logo depois e o dinheiro devolvido a comerciante. Inclusive, o mesmo envelope da polícia foi apreendido agora com a quantia levada pelo criminoso.

Foram 3 tentativas de cometer o crime. A polícia também apura uma possível violência sexual contra a advogada. Desde o início das buscas, a polícia o aponta como único autor envolvido no crime.

Entenda o caso


De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima foi encontrada seminua, com as mãos e pés arramados, além de um capuz na cabeça. A vizinha a encontrou em uma quarto trancado na casa dele e o adolescente foi apreendido pelo crime.


Testemunhas informaram que presenciaram o momento em que ele pulou o muro do local. A perícia foi acionada e também achou, no carro da vítima, duas sacolas com R$ 57 em moedas. Já com o suspeito foi achado sacola plástica com R$ 13.880.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Mato Grosso do Sul, emitiu uma nota lamentando a morte trágica da advogada. Confira a íntegra abaixo:

"É com profunda indignação e pesar que a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS) informa o falecimento da advogada Clarinda Tamashiro, encontrada morta na tarde desta quarta-feira, no Bairro Alto, em Aquidauana.

Conforme apurado pela imprensa local, a polícia acredita que a vítima tenha sido alvo de latrocínio e segue investigando o caso. A advogada é viúva de Jorge Tamashiro, dono de um dos armazéns mais antigos da cidade, e considerado um dos pioneiros no município. Clarinda deixa um filho, o médico Sérgio Tamashiro".

Fonte: g1 globo

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!