Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Sustentação oral: 10 ótimas dicas para criar um roteiro e falar com desenvoltura

goo.gl/NM1zmh | Nem só de livros jurídicos vivemos nós, advogados, promotores magistrados e auxiliares da justiça, outras literaturas podem, sim, complementar a nossa vida profissional e acadêmica.

Gostei muito do livro "29 minutos para falar bem em público e conversar com desenvoltura", do Reinaldo e Rachel Polito, experts em comunicação social. Tive a audácia de adaptá-lo em alguns pontos e, entre outras dicas preciosas que o livro oferece, essas dez são fundamentais caso tenha que preparar, por exemplo, uma sustentação oral.

1. Concentre-se para criar o texto


O momento da criação é a fase mais delicada de todo o processo; é quando você precisa refletir bem para eleger o assunto que irá expor. Seu bom desempenho diante dos magistrados depende disso.

2. Determine a sua defesa e seus objetivos


Para uma boa atuação, antes você precisa determinar de forma clara a sua defesa e os objetivos pretendidos.

3. Tenha domínio sobre o assunto


Facilite sua vida. Para se sentir confortável durante uma apresentação, saiba de todos os detalhes do processo. Quanto mais conhecer o assunto, mais seguro e confiante estará diante dos ouvintes. De todas, acredito ser essa a mais importante.

4 - Delimite a sustentação oral (ou apresentação), não seja prolixo


De maneira geral, alguns assuntos são bastante abrangentes e você deve tomar cuidado para não "fugir" muito do que está no processo. Por exemplo, uma exposição sobre tributos pode ser tornar um pouco genérico, uma vez que esse assunto se compõe de diversos subtemas. Nesse caso, atenha-se ao tributo em comento.

5 - Associe-o ao que conheça bem


Aqui a importância, no caso de advogados, não ser generalista e dominar muito bem a sua área de atuação. Procure desenvolver o assunto fazendo associação com jurisprudência ou outras ações que você conheça muito bem e guarde relação direta com o objetivo da sua sustentação.

6 - Seja cuidadoso na pesquisa


Imperioso dizer que é importantíssimo estar atento à jurisprudência mais recente e outros julgados do mesmo Tribunal.

7 - Tome cuidados especiais


Essa dica, vez ou outra, gera polêmica. Mas a sua imagem é o seu cartão de visitas. Ter uma boa postura e se vestir de acordo é importante. Além disso, tomar cuidado com o tom de voz, que não pode ser nem tão alto, nem muito baixo.

8 - Inove


Essa achei muito interessante. Os autores dizem assim: "nenhum assunto, por mais antigo e comentado que seja, deve ser descartado. Se você encontrar um bom ângulo de análise, ele parecerá novo, soará como uma mensagem inédita para os magistrados e auxiliares. Assim, procure desenvolver aspectos inusitados do tema para o público, pois, aos sair do lugar comum e se afastar da mesmice, conquistará mais facilmente a atenção dos ouvintes".

9 - Veja outras apresentações


Não tenha vergonha de continuar aprendendo. Tenho certeza de que alguns advogados e até antigos professores da faculdade podem te ajudar caso tenha dúvidas ou apreensões.

10 - Bônus (e algo meio óbvio, não é?)


Independentemente do domínio que tenha sobre o assunto e da técnica que resolva utilizar, nunca deixe de se preparar. Treine o máximo que puder, principalmente se você for um advogado iniciante (e eu me encaixo nesse grupo). Treine o máximo que puder. Esse exercício será útil não apenas para a determinada sustentação oral, mas também para o desenvolvimento da sua comunicação. Quanto mais praticar, melhor orador você se tornará.

Fontes: Jus Brasil e Livro: 29 minutos para falar bem em público e conversar com desenvoltura. Reinaldo Polito e Rachel Polito. Editora Sextante

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!