Após vitória na Justiça, confeiteiro cristão que recusou fazer bolo LGBT vê movimento triplicar

3 comentários
goo.gl/p61m77 | O confeiteiro cristão que protagonizou uma intensa e longa batalha judicial por seu direito de não aceitar encomendas de bolos para celebrações de união entre pessoas do mesmo sexo vem recebendo manifestações de apoio após vencer a ação na Suprema Corte dos Estados Unidos.

Na última quinta-feira, 21 de junho, ele afirmou que seu estabelecimento comercial tem registrado o triplo de movimento e pedidos, em comparação com o período em que esteve à espera da decisão da Justiça sob sua liberdade religiosa.

“Tivemos muitas pessoas vindo para nos apoiar depois do caso. Houve uma manifestação de amor e apoio desde que a decisão foi tomada. A decisão do Estado sobre minhas crenças me custou 40% do meu negócio e me fez diminuir o quadro de funcionários de dez para quatro. Mas estamos felizes por estarmos ocupados fazendo o que mais gostamos em nossa loja”, disse Phillips, lembrando dos momentos de incerteza causados pelo processo que sofreu.

A confeitaria dele, Masterpiece Cakeshop, fica em Lakewood, Colorado (EUA), segundo informações do portal The Christian Post. “Também estamos ansiosos para novamente começar a criar bolos de casamento personalizados. Um bolo é uma tela, e eu estou realmente ansioso para criar uma bela arte que celebre um dia tão especial”, afirmou.

A decisão que ajudou a estabelecer um precedente judicial motivou uma celebração incomum. Após a vitória na Suprema Corte, aproximadamente 400 pessoas fizeram fila em frente à confeitaria para comemorar, de acordo com um relato da Aliança pela Defesa da Liberdade, que forneceu os advogados para a defesa de Phillips.

Num gesto de grandeza, o confeiteiro decidiu oferecer cookies aos militantes LGBT que fizeram um protesto contra a confeitaria depois da decisão da Suprema Corte. “Mesmo depois de ganharmos o caso, um grupo de pessoas apareceu em minha loja para protestar. Eu ofereci cookies para eles e pedi que parassem”, contou.

Agora, Phillips pontua que está aprendendo a lidar com as ameaças de morte que recebe frequentemente, mas que jamais se acostumará à situação. “Embora tenhamos visto muito apoio, nem tudo tem sido positivo. Durante todo o caso, recebi muitos assédios, telefonemas com palavras obscenas e até mesmo algumas ameaças de morte. As ameaças ficaram tão ruins que a minha a esposa estava com medo de colocar os pés dentro de nossa própria loja”, relembrou.

“Desde que vencemos, vimos muito mais apoio do que negatividade. Até mesmo pessoas que não acreditam no que eu faço sobre casamento, incluindo muitos LGBTs, estão sendo muito encorajadores para conosco”, disse. “Tolerância é uma via de mão dupla. Se queremos liberdade para nós mesmos, temos que estendê-la àqueles com os quais discordamos. A maioria das pessoas entende isso”, acrescentou o confeiteiro.

Por fim, Jack Phillips se sente confiante com o futuro: “Certamente, você nunca se acostuma com hostilidade, falsas declarações ou ameaças de morte. Tivemos que lidar com essa parcela de ódio. Mas a maioria das pessoas em nossa comunidade e nossos clientes sabem que servimos a todos – nós simplesmente não celebramos todos os eventos ou expressamos todas as mensagens”.

Por Tiago Chagas
Fonte: noticias.gospelmais.com.br

3 comentários

  1. Vcs precisam parar de dar ibopI pra esse cara. Toda semana um post referente a isso. Ou precisam ao menos se posicionar sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  2. Que bom que o direito a liberdade foi reconhecido.

    ResponderExcluir
  3. Nos EUA tem justiça, aqui que é uma zona...

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!