Juiz, desembargador e promotor: conheça um pouco da 'cobiçada' carreira jurídica

Nenhum comentário
goo.gl/CvERJ1 | Não são poucos os alunos do curso de Direito que entram na faculdade já sonhando com uma carreira jurídica promissora. A magistratura é uma das opções mais almejadas pelos bacharéis e também uma das mais difíceis de conquistar.

Além de exigir um avançado conhecimento e comprometimento, para assumir um cargo de juiz, promotor ou desembargador é preciso muito estudo e persistência para ser aprovado em concurso público de provas e títulos. Além disso, não basta apenas ter o registro na Ordem dos Advogados do Brasil – OAB e conseguir aprovação em um dos cargos, é necessário ainda ter no mínimo três anos de experiências comprovadas na área jurídica e atender aos critérios estabelecidos no edital do certame que escolher.

Os altos salários e demais benefícios como auxílio-moradia, auxílio-alimentação, gratificações, auxílio-saúde e a vitaliciedade após dois anos de exercício da função, segundo o art. 95, I da Constituição Federal, são alguns dos requisitos que colaboram para a escolha pela magistratura.

O juiz é um representante do Estado, é quem exerce a função primordial do magistrado. Seu papel é julgar os mais diversos casos que ocorrem em nossa sociedade, cabendo a ele a proferir a decisão, sentença e despacho, por exemplo. A carreira de magistrado é algo que se constrói com o tempo e as promoções ofertadas são baseadas em critérios como merecimento e antiguidade, levando-se em consideração conduta profissional, eficiência em suas atividades, tempo no cargo (geralmente considera-se mínimo de dois anos), processos seletivos internos, entre outros. Somente assim é possível chegar aos tribunais de segundo grau e se tornar desembargador, ministro e corregedor.

O desembargador pode ser considerado “o juiz dos juízes”, já que ele é o responsável por rever as decisões de primeira estância e até modificá-las quando uma das partes do julgamento não fica satisfeita. As decisões proferidas por este profissional são conhecidas como acórdão e em geral podem estar sujeita a recursos do Supremo Tribunal Federal (STF) ou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Já para quem investiu em uma faculdade de Direito visando seguir a carreira de promotor, saiba que diferente do que muitos pensam, esse cargo não é hierarquicamente menor do que a de um juiz. Integrante do Ministério Público, ele é o responsável pela defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais, podendo ter um contato mais direito com a população. Sua remuneração varia de acordo com o estado onde atua.

*Com informações do https://chrn.jusbrasil.com.br

Fonte: www.educamaisbrasil.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!