Organização criminosa: STF afasta ministro do Trabalho por fraudes na pasta

Nenhum comentário
goo.gl/LdeeoM | A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quinta-feira, uma nova fase da Operação "Registro Espúrio". Ela investiga uma possível organização criminosa que atua na concessão fraudulenta de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho. No Rio de Janeiro e em Brasília, a ação conta com 10 mandados de busca e apreensão, sendo um deles no gabinete do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), além de três mandados de prisão temporária. De acordo com o portal G1, o ministro da pasta, Helton Yomura, foi afastado do cargo. O chefe de gabinete de Marquezelli foi preso temporariamente.

Além dos mandados expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), após determinação do ministro Edson Fachin, também serão impostas medidas cautelares para a proibição dos investigados de frequentar o Ministério do Trabalho e de manter contato com os demais servidores da pasta, além da suspensão do exercício de suas funções.

Segundo a PF, as investigações das primeiras fases da operação indicam que importantes cargos dentro do Ministério foram preenchidos de acordo com os interesses dos grupo criminoso, o que permitiria a manutenção das ações ilícitas na pasta.



O deputado Nelson Marquezelli, durante discussão em comissão especial em 02/07/2013 - Jorge William / Agência O Globo

Deflagrada originalmente em maio, a "Registro Espúrio" teve 23 mandados de prisão e 64 de busca e apreensão. Na época, as investigações apontavam para fraudes de concessões de registros sindicais que chegariam ao valor de R$ 4 milhões. Também na ocasião, os gabinetes dos deputados federais Paulinho da Força (SD-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB) foram alvo de busca e apreensão.

Por O Globo
Fonte: oglobo.globo.com

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!