Advogado agride médica após confusão em balada de R$ 500 nos Jardins; veja vídeo

Nenhum comentário
goo.gl/FTHRzr | Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um advogado agredindo uma médica em uma balada nos Jardins, área nobre de São Paulo (assista abaixo). O caso ocorrido na madrugada do último domingo (4) na Tetto Rooftop Lounge, que cobra até R$ 500 de entrada, foi parar na Polícia Civil.



Nas imagens das câmeras de segurança da casa noturna que vazaram é possível ver Rafael Barbosa, de 32 anos, avançar na direção de Cristina Lima, de 26, e segurar seu pescoço. Ele só para depois de ser contido por outros clientes e seguranças da casa noturna.
Enquanto me esganava, foi também me empurrando para trás, eu estava 100% indefesa, e se ele continuasse naquilo mais alguns segundos poderia ser tarde demais", disse Cristina.
De acordo com a médica, antes dessa agressão, ela havia sido xingada de "rapariga, pobre e puta" pelo advogado porque esbarrou nele sem querer. Em seguida, começou a chorar e bateu nele com a bolsa, passando a filmá-lo com o celular dela. Não há confirmação se a cena do esbarrão e da bolsada foram gravadas.

Nas imagens que fez com seu aparelho, e que também circulam na web, Cristina pegou o momento em que Rafael tampa o rosto e depois parece perguntar a um segurança se bateu nela, dizendo um palavrão na sequência. Uma outra pessoa, que seria primo e funcionário da casa, coloca a mão na frente do aparelho da médica para impedi-la de filmar.

O caso de Cristina será investigado pela 3ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no Jaguaré, Zona Oeste, como injúria. Mas nos próximos dias, ela deverá levar o vídeo no qual o advogado a segura pelo pescoço, mais o resultado do exame de corpo de delito que confirma a agressão, para incluir os crimes de lesão corporal e ameaça na queixa.
Reação instintiva foi a de empurrar a mulher", disse Rafael no boletim de ocorrência que registrou contra Cristina, que completa 26 anos nesta sexta-feira (9).
Rafael dá outra versão: a de que foi empurrado pela médica, que estaria embriagada, e ainda o chamou de "viado", o estapeou e lhe deu uma bolsada. Ele também procurou uma delegacia, o 96º Distrito Policial (DP), Monções, na Zona Sul, que também registrou o que aconteceu como injúria. O advogado, que alega ter sido atingido pela bolsa no supercílio, iria se submeter a exame pericial para tentar constatar a lesão. Ele não comenta o momento em que aparece no vídeo segurando o pescoço da médica.

Por meio de nota, a Tetto informou que Rafael não entrará mais no local porque “baniu a entrada do agressor em suas dependências” (a íntegra do comunicado está no final do texto). A balada atrai um público com poder aquisitivo disposto a desembolsar R$ 500 de entrada para homem e R$ 250 para mulher. A Tetto fica na Avenida Rebouças, na cobertura de um hotel, seguindo uma tendência de festas promovidas em Nova York.



Médica Cristina Lima em dois momentos: antes e depois da balada na qual acusa advogado de agredi-la (Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)


Médica


“Era 1h da manhã e eu estava indo embora. Me despedi de minha amiga que estava no camarote, e no meio do caminho, empurra-empurra, esbarrei num menino que não conhecia. Ele me xingou de rapariga, puta e pobre”, disse Cristina.

"Eu não bati nele de propósito. E ele me empurrou e peguei celular para começar a filmar. Ele tomou o celular e gritou que eu não podia filmar. Depois devolveu. Colocou as mãos nos meus ombros e deu uma joelhada na barriga. Depois pediu para os seguranças me expulsarem senão estariam demitidos", afirmou a médica.

"Ficou me xingando e humilhando: 'é uma rapariga pobre. Essa roupa de pobre'. Dei uma bolsada na cara dele. E falou para outro segurança me retirar. E comecei a chorar", disse ela, que foi conhecer a balada após uma amiga colocar seu nome da lista VIP, pagando só o que consumisse. "Foi a primeira e última vez, não volto mais. Espero sinceramente que isso não se repita com nenhuma outra mulher."

“As câmeras de vigilância da boate mostram que ela foi agredida. O IML [Instituto Médico Legal] confirmou os sinais das lesões”, disse a advogada Helena Vasconcellos, que defende os interesses de Cristina.

Advogado


Rafael não quis comentar o assunto e indicou seu advogado, Pedro Ivo Gricoli Iocoi, para conversar com a reportagem.

“Conheço o Rafael há algum tempo e ele não é agressivo. Segundo o meu cliente, ele estava com um amigo na casa noturna, quando a moça passou empurrando diversas pessoas de forma desrespeitosa. Ele falou que ela era sem educação e ela o agrediu com um tapa na cara. Ele empurrou a moça, que voltou e deu uma bolsada na cabeça dele”, afirmou Pedro.

“Orientei o meu cliente a registrar a ocorrência e se submeter a exame de corpo de delito para registrar a lesão causada pela bolsada”, disse o advogado do rapaz. “Depois dessa confusão, outra moça disse que ela arrumou briga no banheiro feminino”.

Questionado sobre o vídeo que mostra Rafael dizendo algo sobre ter batido nela, Pedro respondeu que na verdade ele perguntava a um segurança se a tinha agredido. “No momento do áudio em que ele fala 'eu bati nela?' ele está questionando o funcionário da casa noturna, porque foi ela quem foi levada para fora da casa noturna por ter agredido ele com a bolsa e não o contrário.”

“Quando meu cliente foi pagar a conta, a moça ainda estava no caixa da casa noturna, conversando com o segurança. Imediatamente ela começou a gritar apontando meu cliente como o suposto agressor. Ele discutiu com a moça, dizendo que ela que tinha agredido ele e não o oposto. Ela o xingou de viado e de filho da puta, momento no qual as agressões quase evoluíram para as vias de fato”, disse o advogado.

Sobre a imagem de Rafael segurando Cristina pelo pescoço, Pedro disse que não irá comentar o assunto.

Nota da casa noturna


Por meio de nota divulgada por sua assessoria de imprensa, a Tetto se manifestou contrária a violência ocorrida na casa noturna e informou que vai colaborar com as investigações policiais, além de não permitir mais a entrada de Rafael no local.

Leia aqui a íntegra do comunicado:


“O TETTO Rooftop Lounge repudia todo e qualquer ato de violência e desrespeito em suas dependências e está à disposição para colaborar com as investigações em relação à agressão de um homem contra uma mulher - ambos clientes -, ocorrida no último sábado, 2 de março. A casa já baniu a entrada do agressor em suas dependências.”

*Colaborou: Rafaela Putini

Por Tatiana Santiago e Kleber Tomaz*, G1 SP, São Paulo
Fonte: g1 globo

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!