Ministro da Educação assume erro e retira slogan de Bolsonaro de carta a alunos

Um comentário
goo.gl/VKfXnc | Nesta terça-feira, 26, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, assumiu que errou ao pedir que as escolas filmassem as crianças sem a autorização dos pais. A pedido do ministro, a carta foi revisada, tendo sido retirado o trecho com slogan de campanha de Bolsonaro, “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

A carta havia sido enviada às escolas de todo o país com a solicitação de que, no primeiro dia do ano letivo, os alunos ficassem perfilados para a execução do hino nacional. O documento também pedia a leitura de uma carta do ministro da Educação contendo o slogan, e, por fim, que o momento fosse filmado e enviado ao governo.

"Eu percebi o erro, tirei essa frase, tirei a parte correspondente a filmar crianças sem a autorização dos pais. Evidentemente, se alguma coisa for publicada, será dentro da lei, com autorização dos pais", disse o ministro após receber duras críticas.

Após a retratação do ministro, o MEC informou, por meio de nota, que enviará ainda nesta terça-feira às escolas uma carta atualizada para que seja lida pelos responsáveis pelas instituições de ensino de forma voluntária no primeiro dia letivo deste ano.

 Veja a íntegra da nova carta:

O e-mail mantém o pedido para que alunos e funcionários fiquem perfilados diante da bandeira para execução do hino, e a solicitação para que o momento seja filmado. Porém, diz que o atendimento ao pedido é voluntário e que "a gravação deve ser precedida de autorização legal da pessoa filmada ou de seu responsável".

Fonte: Migalhas

Um comentário

  1. Mas qual Deus acima de todos? Shiva, Tupan, Spaghetti Monster, Jehovah, ou o meu, o sagrado e honorável Pink Unicorn? Se um pode, todos podem, na democracia. E a Constituicao não proíbe a pratica de uma religiao nas escolas publicas?

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!