Cena forte: policial militar quebra braço de advogado dentro de delegacia em SP

20 comentários
goo.gl/m6BqM7 | Imagens captadas dentro de delegacia da Polícia Civil de Atibaia (a cerca de 60 km de São Paulo), na noite deste domingo (3), mostram um policial militar quebrando o braço do advogado Geovani Leonardo Doratiotto, membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

As imagens, gravadas pela namorada da vítima, mostram uma discussão entre o advogado e os policiais militares. Os PMs, então, agarram Doratiotto e torcem o braço dele. Um dos que agarram, puxa até quebrar. “Ele teve claramente o intuito de fraturar meu braço”, disse. (Vídeo no final da matéria)

De acordo com o advogado, a confusão começou enquanto ele e alguns amigos preparavam uma atividade sobre assédio sexual no carnaval. Um grupo de ideologia política contrária teria se aproximado e começado a provocar.

Ainda segundo Doratiotto, o grupo que estava com ele conseguiu fugir das provocações até o momento que começaram as agressões. “Eu fui no banheiro e, quando voltei, teve um bate-boca com o grupo e eu levei um soco no rosto”, disse o advogado. Por causa da pancada, ele teria caído e, mesmo assim, segundo o advogado, policiais militares se aproximaram para algemá-lo.

O advogado afirma que foi algemado e levado para a delegacia dentro do carro da PM. No DP, ele teria sido informado que não registraria o boletim de ocorrência como vítima, mas sim acusado por diversas ilegalidades, como desacato, injúria, entre outros.

“Foi uma tentativa mentirosa de inverter os fatos”, diz Doratiotto. Ele afirma que ficou em uma área restrita da delegacia, enquanto o grupo que teria provocado a confusão estava na área comum, para prestar depoimentos como testemunhas e vítimas.

Ao ser chamado para depor, como investigado, Doratiotto começou a pedir para tirar as algemas, pois estariam machucando seu braço. Depois de ter a algema retirada, ele teria mostrado o braço machucado e, então, iniciou a discussão com os PMs.

“Eles falaram que foi pouco e eu questionei o que eles poderiam fazer a mais, além de algemar”, conta. Foi nesse momento que os policiais militares o agarraram e quebraram o braço do advogado conforme é possível ver nas imagens.

Depois de ter o braço quebrado, o advogado foi socorrido e levado para o hospital. Ele foi, em todo momento, acompanhado por uma escolta policial. Segundo o advogado, primeiro falaram que seriam outros PMs que o acompanhariam, mas ao longo da noite, ele teve que ser escoltado pelos próprios agressores.

Ainda de acordo com Doratiotto, em vários momentos os policiais militares fotografaram os documentos e exames entregues pelos médicos à vítima.

Depois do atendimento, todos voltaram para delegacia para terminar de formalizar o boletim de ocorrência. O advogado conta que ainda precisou pagar R$ 1 mil de fiança para ser liberado e voltar para casa. “Depois de tudo isso, ainda tive que dormir sentado e tomar banho com uma cadeira porque não aguento de dor”.

Procurado pela reportagem, o ouvidor de polícia de São Paulo, Benedito Mariano, disse que vai instaurar um procedimento para acompanhar o caso. “Falei hoje com o corregedor e convidei a vítima a ir à Ouvidoria na quarta-feira à tarde”, disse Mariano.

O R7 também procurou a SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), que, por meio de nota, disse que instaurou IPM (Inquérito Policial Militar) para apurar a conduta dos agentes envolvidos na ocorrência. Afirmou também que o homem foi levado à delegacia após agredir pessoas, na noite de domingo (3), em uma praça em Atibaia.

Em outra nota, a pasta disse que "os agentes envolvidos na ocorrência foram afastados das suas funções até a conclusão do Inquérito Policial Militar".



Kaique Dalapola, do R7
Fontes: noticias.r7.com e Ponte Jornalismo

20 comentários

  1. Anônimo5/3/19 09:01

    O que é triste é que muita gente de Atibaia acha esse comportamento normal. Essa agressividade, intolerância, ódio e manipulação de fatos é um tipo de corrupção e imoralidade que estão presentes lá a anos. O sitio do Lula foi nada em comparação ao que somos expostos nessa cidade no cotidiano. O mais triste de tudo é que só consegue enxergar isso quem sai de lá e conhece outras cidades e pessoas. Todo dia é dia 1 de outubro de 1992 em Atibaia, só que não se trata de re-educandos, trata-se de todos da cidade, principalmente os jovens que são forçados a adotarem ideologias e discriminados, isolados, traumatizados caso pensem de forma diferente. Paternidade tóxica reina.

    ResponderExcluir
  2. Cadê o vídeo? "Cenas fortes"?? Vocês carniceiros da imprensa adoram vídeos fortes, mostrar tragédia e desgraça alheia o tempo todo, mostram coisas bem piores, porque não quiseram mostrar esse vídeo?? Deve ser porque adoram sensacionalismo barato e são sempre parciais, mostrando apenas um lado da história, o lado que querem mostrar ou "criar", pois afinal, falar mal da polícia sempre rende mais ibope pra vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu nomimo e pertubadpe.tu ainda tu ainda acha que esses polícias tao certo? Tu caga bela boca bicho.policias vagabundos sem preparo para estana polícia.queria era que fosse comigo que ele ia se arrepende do dia que ele nasceu

      Excluir
  3. Acho que e errado publicar uma notícia, que envolva mais de um agente, e colocar somente uma versão dos fatos, quem fez esta reportagem, deveria ao menos por ética e respeito a nós leitores trazer as duas versões dos fatos, para que possamos formar julgamento justo e com respeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mostrem o video dele ameaçando a policial, dele resistindo a prisão, dando carteiraço pq é advogado, aí vão entender que a agressão não foi de graça. Não foi agressão no mínimo cumpriam a ordem de prisão motivada

      Excluir
  4. O policial quebrou o braço do cidadão de propósito...totalmente despreparado para exercer a função de Polícia, deveria perder a farda pra aprender.esse tipo de situação acontece a todo momento no país, quando as pessoas tentam lutar por seus direitos são espancadas e oprimidas, mas não nos redamos ao mal, pois ele nunca vencerá #porumpaismelhor😑

    ResponderExcluir
  5. Acho que o vídeo devia ser veiculado para que nos decidissemos se é ou não forte demais. Creio que sem assistir é impossível tirar uma conclusão.

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de saber o outro lado da história, acho muito errado essas matérias que so tem um lado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O policial quebrou o braço de outra pessoa. Isso quer está explicitamente de fato.

      Excluir
    2. O OUTRO LADO É QUE O POLICIAL NÃO ESTÁ COM O BRAÇO QUEBRADO, ENTENDEU????

      Excluir
  7. jornalismo porco !!! so um lado fala kkkk parece a rede esgoto de tv

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo5/3/19 16:01

      É uma noticia, não um programa de Talk Show. Depois de ver o video voce ainda quer falar alguma coisa ?

      Excluir
  8. Nada justifica quebrar o braço de alguém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo6/3/19 16:20

      Policiais despreparados, não passam por reciclagem, neste final de semana divulgado 3 casos de feminecideo, sendo dois deles envolvendo policiais, lamentável, mas tenho medo dos bandidos e tenho medo da polícia

      Excluir
  9. Vocês estão cegos é? Não estao vendo o vídeo no final da matéria? O qual mostra Total despreparo a agressão desproporcional e gratuita dos estúpidos policiais?

    ResponderExcluir
  10. DEPOIS QUE ESCULACHAM ESSES MERDAS DIZEM QUE A POPULAÇÃO NÃO APOIA A POLICIA, LIXOS.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Eu não entendo qual a dúvida nesse vídeo? É notório que os policiais agiram como bandidos, agrediram desnecessariamente e de forma animalesca. Quem acha que isso é justificável por causa de fatos anteriores, estando o agredido dentro da delegacia e em pleno controle, não entende absolutamente nada de civilidade e de dever dos policiais.

    ResponderExcluir
  13. O fato é absolutamente digno de repúdio: o braço do rapaz foi quebrado propositalmente. E tem gente perguntando sobre o outro lado da história? Esse é o fato aqui. Fosse só mais um advogado envolvido em confusão seria o de menos, mas vemos um agente público se achando no direito de lesionar um cidadão sem qualquer necessidade disso. Isso me faz perder a esperança no Brasil.

    ResponderExcluir
  14. Tu nomino e perturbado.tu acha que os policiais tão certo quebrado o braço de uma pessoa? Tu deve ser um lixo cara tu caça bela boca

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!