Ejacular em mulher constrange, mas não justifica prisão, diz juiz de São Paulo

5 comentários
goo.gl/U1x8sP | Masturbar-se em um ônibus e ejacular no braço e no pescoço da passageira ao lado pode ser constrangedor aos que presenciam e aos que sofreram com a situação, mas não é motivo o suficiente para manter o responsável pelo ato preso, mesmo que ele tenha antecedentes criminais. Com esse entendimento, o juiz José Eugênio do Amaral Souza Neto relaxou a prisão em flagrante de um homem em São Paulo.

O acusado foi preso nesta quarta-feira (30/8) após se masturbar e ejacular na passageira que estava sentada ao seu lado em um ônibus que cruzava a avenida Paulista, em São Paulo (SP). Após o ato, o homem quase foi agredido pelos outros passageiros, mas o motorista do veículo e o cobrador impediram as agressões enquanto a Polícia Militar não chegava.

Ele foi acusado de estupro, mas o juiz converteu o crime para o delito previsto no artigo 61 na Lei de Contravenções Penais: “Importunar alguém, em lugar público ou acessível ao público, de modo ofensivo ao pudor”.

Essa mudança recebeu o apoio da defesa do acusado e do Ministério Público paulista, que se manifestou pelo relaxamento do flagrante. A pena para essa contravenção penal é uma multa que varia entre 200 mil réis e dois contos de réis, segundo a norma.

“O crime de estupro tem como núcleo típico constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso. Na espécie, entendo que não houve o constrangimento, tampouco violência ou grave ameaça, pois a vítima estava sentada em um banco do ônibus, quando foi surpreendida pela ejaculação do indiciado”, justificou o magistrado.

Apesar do relaxamento do crime, José Eugênio do Amaral considerou que o ato praticado por Novaes é “bastante grave” e resultou em traumas para a vítima. Ele também considerou o histórico do acusado, que já tem passagens anteriores por condutas que atentam ao pudor, mas ressaltou que a solução para esse problema é o tratamento psiquiátrico e psicológico, não a prisão.

Clique aqui para ler a decisão.
Processo 0076565-59.2017.8.26.0050

Por Brenno Grillo
Fonte: Conjur

5 comentários

  1. Completely, a risk is a danger, get it on record. what's more, incidentally, the fact of the matter is reality, and you can't be blamed for saying reality. In the event that this person has a go at something the police will know about his dangers. Bravo for holding up.

    ResponderExcluir
  2. I read your blog post and this is nice blog post.. thanks for taking the time to share with us. have a nice day top forex brokers

    ResponderExcluir
  3. Thanks for posting this info, I found it very interesting and informative.
    RPA Training in Chennai

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, acho que encontrei o conhecimento de que precisava. Vou ver e encaminhar algumas informações no seu post. obrigado novel updates

    ResponderExcluir
  5. There are good stuff which you need to understand and implement while using your strategy which you have discussed here. Some good piece of stuff also included in this article which are new for me. I'm happy to have information about it.

    dissertation help

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!