Notícias

12/cate2/Notícias

Curiosidades

8/cate5/Curiosidades

Dicas

10/cate2/Dicas

Artigos

8/cate5/Artigos

Recent post

Elegância jurídica: advogada combina com moda? Combina muito! Por Lisi Schmidel

goo.gl/UEv4rM | Quando eu decidi ingressar no curso de Direito, sonhava em me tornar uma advogada combativa, daquelas que atuavam em tribunais do juri, tal qual se vê em filmes americanos. Achava lindo vê aquelas atrizes usando tailleurs bem cortados e scarpins de salto agulha. Era para mim, a personificação da mulher poderosa.

Quero dizer com isso que a moda e o glamour, foram as primeiras coisas que me inspiraram a querer me tornar uma advogada.


Depois que ingressei no curso, em 1999, veio a realidade. Não só a profissão tinha muito pouco de glamour no seu dia à dia, como na prática, às idas e vindas aos fóruns com enormes corredores, me fizeram repensar várias vezes o uso do salto.

Para agravar, minha cidade, a querida "cuiabrasa", digamos que não é muito estimulante ao uso de tailleurs como uniforme profissional, pois com corriqueiros quarenta graus à sombra, é desnecessário justificar o motivo.

Então, quando estagiária, me limitava a usar uma camisa e uma saia lápis quando haviam compromissos mais formais, ou, em dias em que eu teria de literalmente "ralar a barriga no balcão", ou seja, ir de balcão em balcão cobrar agilidade no andamento dos processos, usava uma calça jeans ou de alfaiataria e uma "blusinha" mais comportada.

Zero glamour.

Depois que me tornei advogada, finalmente comecei a usar o sonhado tailleur como uniforme, porque acreditava que seria esse o traje apropriado à uma imagem de seriedade e competência.

Com o passar dos anos fui me desprendendo a esse tipo de conceito de moda profissional e arriscando outras combinações, mais coerentes com o clima da minha cidade e com a quantidade de afazeres que tenho ao longo do dia, e o terno ou tailleur, passei a usar em dias em que tenho audiências e reuniões mais formais.

Acredito que hoje, me visto muito melhor, ainda que não tente passar tanta seriedade no visual, e percebi, que minha evolução profissional caminhou ao lado do meu auto conhecimento em moda.

Acho importante uma boa apresentação visual diante do cliente ou pessoas as quais de alguma forma o profissional esteja lidando. Acredito que seja uma espécie de aval visual da competência. Não que isso seja verdade, mas as pessoas buscam isso inconscientemente, eu garanto!

Aquele velho ditado: "não basta ser, tem de parecer".

Percebo inclusive, que muitas pessoas julgam mal bons profissionais pela aparência mais desleixada ou informal que apresentam, o que é de um certo modo, bastante injusto. Mas percebam o seguinte, quando buscamos um advogado ou advogada, não estaríamos, assim como eu na escolha da profissão, buscando aquele modelo de cinema? Acho que seria interessante atender a esta primeira expectativa do pretenso cliente. Afinal, a primeira impressão, é a que fica! 

Em outro post explico porque escolhi esse nome.

Espero que tenham gostado! Beijos

Por Lisi Schmidel
Fonte: www.ligirlboss.com