R$ 3 milhões: cantora Anitta alega parcialidade de juíza em ação de ex-empresária

Nenhum comentário
goo.gl/zHsTJt | Depois que a Justiça determinou que Anitta pagasse R$ 3 milhões para sua ex-empresária, a defesa da cantora alegou parcialidade da juíza responsável pelo caso. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa de Anitta na tarde desta terça-feira (13).

Por conta disso, o processo que Kamilla Fialho, ex-empresária da cantora, move contra ela está suspenso.

— O agravo julgado hoje foi feito antes da defesa de Anitta entrar com duas suspeições e uma representação no Conselho Nacional de Justiça diante da suspeita de parcialidade da juíza responsável por este processo. Com tais fatos novos, o processo e, por sua vez qualquer decisão dele, encontra-se suspenso até o julgamento destas suspeições.

Procurado para comentar o caso, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro informou apenas que a "decisão ainda não está disponível".

Nesta terça-feira (13), a 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou que Anitta teria que pagar cerca de R$ 3 milhões para sua ex-empresária, sob pena de ter os bens bloqueados. Segundo Leonardo Gomes, advogado de Kamilla, esse valor se refere ao não pagamento de multa pela quebra de contrato e é apenas uma parte do que a cliente pede na Justiça.

— Pleiteamos a multa, cerca de 14 milhões, que está sendo apurada em juízo, mais as perdas de danos de tudo que a K2L [empresa de Kamilla] deixou de faturar pelo rompimento do contrato, enquanto a Anitta ainda teria que cumprir — ainda faltavam cinco anos de contrato quando ele foi rompido. Nada mais justo do que se cumprir o que rezava o contrato e repartir o montante devido a empresa.

Vale lembrar que Anitta entrou duas vezes com recurso contra a decisão, porém ambos foram negados.

Por Camila Juliotti, do R7
Fonte: diversao.r7.com

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!