Por grosseria de advogado, ex-funcionário é condenado a pagar indenização à Zara

Nenhum comentário
goo.gl/qA7NWQ | Uma desembargadora da Justiça do Trabalho de São Paulo determinou que um ex-funcionário da Zara pagasse R$ 12 mil à empresa de roupas por litigância de má-fé.

O advogado que represento o ex-empregado usou um “tom irônico, deselegante e impulsivo” com uma juíza de primeira instância, segundo o texto da ação.

Quando recorreu, o caso foi recebido também por uma magistrada, a desembargadora Lilian Gonçalves.

Ela reproduziu, no seu voto, algumas das frases que o advogado dirigiu à juíza de primeira instância.

Ele havia afirmado que a juíza “não conseguiu entender o teor da planilha” e “não examinou, como deveria, os autos”.

Em razão da maneira como o advogado se dirigiu à magistrada, foi aplicada uma multa de 10% do valor que ele havia atribuído à causa, o equivalente a R$ 12 mil —não é a despesa da ação, mas, sim, uma indenização por má-fé.

Da Folha
Fonte: www.diariodocentrodomundo.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!