Ministra Rosa Weber rejeita pedido para declarar ex-presidente Lula inelegível

Um comentário
goo.gl/qC3iFU | A ministra Rosa Weber, presidente eleita do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), rejeitou nesta quarta-feira (18) um pedido apresentado por integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fosse declarado imediatamente inelegível.

Os autores queriam que a Corte eleitoral decidisse sobre o tema antes mesmo do registro das candidaturas, cujo prazo final é 15 de agosto.

A ação, apresentada na sexta-feira (13) em nome de Kim Kataguiri e Rubens Nunes, pedia uma liminar (decisão provisória) para "declarar desde já a incontroversa inelegibilidade".

Por Rosanne D'Agostino, G1, Brasília
Fonte: G1

Um comentário

  1. Em 2016 "inelegíveis" participaram do processo eleitoral, não puderam tomar posse e inúmeras eleições suplementares foram realizadas. Em alguns casos, o candidato não obteve em momento algum o registro, o que provavelmente vai acontecer com o Lula e mesmo assim o TSE permitiu a realização de uma nova eleição. Seria, no minímo estranho, se agora por se tratar do Lula, o tratamento fosse diverso.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!