Guia de Concursos: conheça as grandes carreiras nas áreas policiais e escolha a sua!

Nenhum comentário
goo.gl/jYU8Ry | A demanda por um emprego estável é alta no Brasil. Por essa razão, os concursos públicos se mostram muito concorridos — na maioria das vezes, com poucas vagas para uma quantidade exagerada de candidatos.

Quanto mais compensar financeiramente, mais o concurso fica disputado.

Uma das áreas mais visadas é a da polícia, seja na esfera federal, seja na estadual. Embora seja muito comum associar polícia ao agente policial, o setor abrange outras carreiras também.

Entenda neste post quais são as carreiras policiais disponíveis e veja em qual delas você se encaixa mais!

POLICIAL FEDERAL


Trabalhar na Polícia Federal (PF) é sonho de muitas pessoas. Os cargos federais são muito cobiçados porque oferecem uma das melhores remunerações e também estabilidade (depois do período probatório).

A Constituição da República define a Polícia Federal em seu artigo 144, parágrafo 1º, como um órgão permanente, instituído por lei e mantido e organizado pela União. A Polícia Federal é estruturada em carreiras.

A PF é composta pelos seguintes cargos:

DELEGADO DE POLÍCIA FEDERAL


O delegado de Polícia Federal exerce diferentes funções. Primeiramente, ele é responsável por instaurar e gerenciar procedimentos policiais de investigação. Também deve orientar e ficar no comando durante a execução de investigações associadas à prevenção e repressão de ilícitos penais (que podem ser crimes, contravenções penais ou atos de infração).

Outras tarefas associadas ao delegado de PF são: participar do planejamento de operações de segurança e investigações; contribuir com a execução de medidas de segurança orgânica (que são as medidas de segurança adotadas por uma determinada instituição); fazer a supervisão e a execução de missões de caráter sigiloso.

Enfim, o delegado de Polícia Federal também pode desempenhar outras funções similares ou destinadas a dar suporte ao órgão para que ele atinja seus objetivos.

Para exercer esse cargo, o candidato precisa de diploma (devidamente registrado) de conclusão de curso superior em bacharel em Direito. Esse diploma deve ser fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC.

PERITO CRIMINAL FEDERAL


Esse cargo é o que mais se subdivide entre as carreiras policiais da PF. O perito criminal deve fazer exames de perícia nos lugares em que aconteceram infrações penais e também realizar exames nos instrumentos usados (ou supostamente usados) na prática dessas infrações.

Além disso, ele deve efetuar pesquisas de interesse do serviço e fazer a coleta de dados e de informações que sejam necessários para complementar os exames de perícia. Sua participação também se estende à execução de medidas de segurança orgânica, sendo necessário zelar para que as mesmas sejam corretamente cumpridas.

Outras atividades do perito criminal da Polícia Federal incluem o apoio técnico e administrativo das metas da instituição, devendo executar outras atividades que lhe forem designadas.

Isso significa que, se você optar por ser um perito criminal, terá a oportunidade de desenvolver tarefas semelhantes àquelas que os personagens da série CSI desenvolvem.

Existem 18 áreas de atuação para esse profissional. Veja quais são elas e suas exigências:

  • Área 1 (diploma em Ciências Contábeis/Ciências Econômicas);
  • Área 2 (diploma em alguma das seguintes áreas de Engenharia: de Redes de Comunicação, de Telecomunicações, Elétrica ou Eletrônica);
  • Área 3 (diploma em Ciências da Computação, Informática, Análise de Sistemas, Engenharia de Redes de Comunicação ou Engenharia da Computação);
  • Área 4 (diploma em Engenharia Agronômica);
  • Área 5 (diploma em Geologia);
  • Área 6 (diploma em Engenharia Química, Engenharia Industrial ou em Química);
  • Área 7 (diploma em Engenharia Civil);
  • Área 8 (diploma em Ciências Biológicas ou Biomedicina);
  • Área 9 (diploma em Engenharia Florestal);
  • Área 10 (diploma em Medicina Veterinária);
  • Área 11 (diploma em Engenharia Cartográfica);
  • Área 12 (diploma em Medicina);
  • Área 13 (diploma em Odontologia);
  • Área 14 (diploma em Farmácia);
  • Área 15 (diploma em Engenharia Mecânica ou Engenharia Mecatrônica);
  • Área 16 (diploma em Física);
  • Área 17 (diploma em Engenharia de Minas);
  • Área 18 (diploma em Engenharia Elétrica).

ESCRIVÃO DE POLÍCIA FEDERAL


O escrivão encarrega-se das formalidades nos processos, lavrando termos, autos e mandados, verificando os prazos estipulados para o preparo, ultimação e remessa dos procedimentos investigativos.

Ele também deve acompanhar a autoridade policial em diligência caso isso seja determinado. O escrivão também pode dirigir veículos da polícia, cumprir requisitos de segurança orgânica, participar dos procedimentos de investigação, realizar outras tarefas de natureza policial/administrativa e que lhe forem designadas.

Exige-se do candidato a escrivão diploma de conclusão em qualquer curso de nível superior.

AGENTE DE POLÍCIA FEDERAL


Esse profissional é o que realmente vai às ruas, executando as investigações e as atividades policiais propriamente ditas, buscando prevenir e reprimir ilícitos penais.

O agente deve dirigir os veículos da instituição, cumprir medidas relacionadas à segurança orgânica, realizar tarefas diversas de natureza policial/administrativa e outras para as quais seja designado.

PAPILOSCOPISTA POLICIAL FEDERAL


O papiloscopista executa, supervisiona, orienta e fiscaliza os trabalhos de coleta, análise, classificação, subclassificação, pesquisa, arquivamento, perícias. Todas essas operações relacionam-se com a papiloscopia (ou datiloscopia), que estuda as impressões digitais de mãos e pés para fornecer subsídios ao processo investigativo.

Ele deve ainda prestar assistência à autoridade policial, implementar estudos papiloscópicos, guiar veículos da PF, cumprir medidas de segurança orgânica, realizar outras funções de caráter policial/administrativo e outras atividades que lhe forem designadas.

POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL


Outro concurso entre as carreiras policiais é o de policial rodoviário federal, que fiscaliza as rodovias. O trabalho desse profissional é efetuado em escala de serviço, ou seja, trabalha-se 24 horas seguidas com direito a 72 horas seguidas de descanso; no final da semana, devem ser totalizadas 40 horas semanais.

Desde o dia 1º de janeiro de 2013 (Lei Federal nº 12.775/12), a estrutura organizacional da Polícia Rodoviária Federal passou a ser dividia em 4 classes: Classe Especial; Primeira Classe; Segunda Classe; Terceira Classe.

O candidato que entra na Polícia Federal assume imediatamente a Terceira Classe, Padrão I. A cada ano, o desempenho dos policiais é avaliado, gerando a oportunidade de alcançar o padrão seguinte.

Isso significa que, anualmente, o servidor público pode ser promovido em função de seu desempenho. Até que, ao final de 18 anos de trabalho, ele atinja a Classe Especial, Padrão III.

Saiba mais sobre as classes da Polícia Rodoviária Federal.

CLASSE ESPECIAL


O policial rodoviário dessa classe tem como escopo as tarefas de natureza policial/administrativa. Essas tarefas englobam direção, planejamento, coordenação, controle, supervisão, bem como avaliação na área administrativa e operacional, direção e coordenação de tarefas de corregedoria (órgão de controle interno cuja finalidade é corrigir erros e abusos de autoridade), ensino e inteligência.

O policial da classe especial ainda articula e realiza intercâmbio com outras corporações e organizações da polícia, tanto a nível nacional quanto internacional.

Ele também deve cumprir as funções da Primeira Classe.

Divide-se nos seguintes padrões: I, II e III.

PRIMEIRA CLASSE


Essa classe envolve as tarefas de caráter policial: planejamento, coordenação, capacitação, controle, execução administrativa e operacional.

Ela também articula e intercambia com outras organizações policiais, mas apenas a nível nacional.

Além disso, deve cumprir as atividades da Segunda Classe.

Divide-se nos seguintes padrões: I, II, III, IV, V e VI.

SEGUNDA CLASSE


As tarefas do policial rodoviário de segunda classe são de natureza policial: execução e controle administrativo e operacional de todas as atividades relacionadas ao cargo.

Ele cumpre também as atribuições da Terceira Classe.

Divide-se nos padrões: I, II, III, IV, V e VI.

TERCEIRA CLASSE


Essa classe engloba operações de natureza policial, como fiscalização, patrulha e policiamento ostensivo, socorro e atendimento às pessoas que forem vítimas de acidentes nas rodovias e demais tarefas ligadas ao departamento da Polícia Rodoviária Federal.

Divide-se nos padrões: I, II e III.

POLICIAL CIVIL


O policial civil é um servidor público que pertence ao órgão do governo denominado Polícia Civil (PC), cuja função principal é garantir a segurança pública, prevenindo, repreendendo e investigando crimes.

Para entrar nessa instituição, são exigidos requisitos como: naturalidade brasileira; estar em dia com o serviço militar (homens) e com as obrigações eleitorais; ter seu CPF regularizado; ter um curso de nível superior; ter, no mínimo, 18 anos (embora alguns editais exijam um mínimo de 21 anos e, para determinados cargos, o máximo de 45 anos); apresentar aptidões físicas e mentais; estar limpo com a Justiça (sem antecedentes criminais); possuir Carteira de Habilitação categoria B, no mínimo; manter comportamento digno e irrepreensível dentro da sociedade.

Cada estado se responsabiliza pelo lançamento do edital e pela definição das fases de classificação. Há provas escritas, de títulos (nos casos de uma formação específica), testes psicológicos e físicos (efetuados na academia de polícia, como abdominais, avaliação de resistência, flexões e outros).

Somente a Polícia Civil, a Polícia Federal e o Ministério Público podem pedir autorização da Justiça para grampear telefones (realização de escutas).

Como na Polícia Federal, existem cargos semelhantes na PC.

DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL


O cargo de delegado comporta funções como fazer o planejamento, a coordenação e a supervisão de investigações e operações policiais.

Ele também deve presidir inquéritos, tomar depoimentos de testemunhas, elaborar relatórios, investigar os crimes para identificar e prender seus autores e assim por diante.

Certas funções administrativas, como emitir documentos, também são da alçada do delegado.

Para concorrer ao cargo de delegado de Polícia Civil, o candidato deve ter diploma de bacharelado em Direito. Não é necessário que esteja atuando como advogado, nem que possua a carteira da OAB.

ESCRIVÃO DE POLÍCIA CIVIL


O escrivão se responsabiliza por todas as tarefas burocráticas na delegacia. Hierarquicamente, ele está logo abaixo do delegado. Ele deve participar desde o início do inquérito policial e permanecer até a conclusão, registrando todos os relatos.

O escrivão deve analisar os inquéritos, anotar informações nos livros oficiais, fazer indiciamentos, efetuar prisões em flagrante e também recolher as fianças.

O escrivão precisa ter diploma em curso superior em qualquer área.

INVESTIGADOR DE POLÍCIA CIVIL


Esse servidor público tem como função efetuar inspeções e operações policiais. Como o nome já diz, ele deve investigar crimes e infrações administrativas, identificando os responsáveis.

Cabe ao investigador recolher informações sobre as vítimas, procurar testemunhas, fazer uma apurada investigação a partir de indícios e de provas até que o culpado seja identificado. Ele também executa mandados de prisão, de busca e apreensão.

O trabalho do investigador de PC é como um de um detetive e, para descobrir o criminoso, ele pode até recorrer a disfarces para ter acesso a locais e a informações importantes.

Para concorrer ao cargo de investigador, o candidato precisa ter diploma em algum curso superior.

PERITO CRIMINAL


O trabalho do perito criminal é analisar o local do crime e, a partir de sua análise, obter provas técnicas. Cabe ao perito recolher evidências, analisar as armas utilizadas no crime, efetuar os exames necessários nos laboratórios, identificar e redigir os laudos periciais.

A finalidade de todo esse trabalho minucioso é compreender o modo como o crime foi cometido, criando provas que deverão ser utilizadas no inquérito e ajudarão no trabalho do investigador.

Da mesma forma que o perito criminal federal, o perito criminal da PC também precisa de especialização em alguma área. Conforme sua especialização, ele desenvolve seu trabalho de perícia: Contabilidade; Biologia; Ciências da Computação; Farmácia e Bioquímica; Química; Física; Engenharia; Geologia; Fotografia; Odontologia.

POLICIAL MILITAR


A Polícia Militar (PM) é a que mais se dedica a atividades operacionais de segurança. É uma das carreiras policiais mais concorridas por pessoas que desejam atividades mais práticas ainda que sejam, geralmente, mais arriscadas também.

Ao lado da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Ferroviária Federal, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar constitui o Corpo de Segurança Pública do Brasil.

A Constituição brasileira define as funções dessa polícia como policiar ostensivamente e preservar a ordem pública. O policiamento ostensivo é muito falado e trata-se de uma modalidade de operação policial desenvolvida explicitamente, contrapondo-se ao policiamento velado (como o que a Polícia Civil executa algumas vezes em suas operações investigativas).

Todas as pessoas identificam o policial militar por sua farda e pelo porte de armas. As viaturas da Polícia Militar também são facilmente reconhecíveis, especialmente pela sirene ligada. A sirene é um alerta para os outros veículos, como quem diz: “Abram caminho que a polícia vem aí!”.

O policial militar deve efetuar uma fiscalização precisa de comportamentos e de atividades, reprimindo crimes, infrações no trânsito, contravenções e assim por diante. Dessa maneira, ela tenta manter a ordem pública, garantido que as leis sejam cumpridas e o cidadão seja respeitado dentro da sociedade.

Atuando de modo bem evidente, a Polícia Militar pretende inibir a prática de infrações. Inibindo essas ações, torna-se mais fácil garantir a segurança do indivíduo e da coletividade. Ela representa a força e a presença do Estado, tendo liberdade para usar de violência caso seja necessário (respeitados os limites da própria legislação).

Embora as viaturas sejam os veículos mais comuns usados pelos policiais militares, eles não são os únicos: motos, cavalos e até bicicletas podem ser usados por esses servidores públicos.

Cada estado tem sua própria Polícia Militar e abre concursos, publicando editais sempre que exista necessidade de servidores. A PM do Distrito Federal, ao contrário da PM dos estados, é mantida e organizada pela própria União, mas se sujeita à autoridade do governador do Distrito Federal. As outras PMs recebem recursos e são organizadas pelo estado a quem pertencem, sendo subordinadas ao seu governador.

As carreiras policiais da PM são duas: soldado (também chamado praça) e o oficial. Conforme o candidato opte por uma delas, o nível de dificuldade do certame pode ser maior ou menor.

Aquela classificação comporta subdivisões que são as mesmas utilizadas nas Forças Armadas do Exército. Vamos considerar as características de cada um dessas carreiras policiais.

SOLDADO DE POLÍCIA MILITAR


Em relação à escolaridade, os concursos para praças geralmente exigem apenas o nível médio (no Distrito Federal, no entanto, já se exige o curso superior).

Caso o candidato consiga passar no concurso, começa outra etapa. Ele deverá fazer o CFP (Concurso de Formação de Praças), cuja duração é, em média, de 6 a 12 meses. Concluído o curso, o praça torna-se um soldado de primeira classe.

Durante o CFP, que é de duração integral, o soldado recebe, desde o primeiro mês, a remuneração pelo cargo e todos os seus benefícios, tais como: alimentação; fardamento; assistência médica individual e aos dependentes; previdência social especial.

Os soldados são classificados por graduações, que são (do cargo menor para o mais elevado);

  1. Soldado de primeira classe;
  2. Cabo;
  3. Terceiro-sargento;
  4. Segundo-sargento;
  5. Primeiro-sargento;
  6. Subtenente.

Cada estado tem suas próprias normas sobre promoção. A promoção pode ser conferida por tempo de serviço ou curso de habilitação. Atos de bravura também podem, em alguns casos, conceder a promoção ao servidor público. Em alguns estados, o cabo, ao se aposentar, recebe a patente de terceiro sargento, ganhando, assim, remuneração equivalente.

Naturalmente, quanto mais alto no nível hierárquico, melhor será a remuneração do policial militar.

OFICIAL DE POLÍCIA MILITAR


Para concorrer ao cargo de oficial da Polícia Militar, o candidato deve ter diploma de curso de nível superior (em Minas Gerais, exige-se o curso específico de Direito). Sendo aprovado no concurso, ele fará o CFO (Curso de Formação de Oficiais), cuja duração é mais longa que a do CFP, estendendo-se de 2 a 3 anos.

Enquanto realiza esse curso, o soldado recebe uma nova denominação: cadete ou aluno-oficial. Concluído o curso, o cadete passa a aspirante a oficial. Como aspirante a oficial, ele permanece por um período de 6 meses, ao final do qual e promovido a segundo tenente.

Como no caso do soldado de PM, o cadete também começa desde o início a receber remuneração e os benefícios do cargo.

Os oficiais são classificados por postos, sendo as formas de promoção variáveis conforme o plano de carreiras policiais da PM de cada estado:

  1. Cadete III (CFO);
  2. Cadete II (CFO);
  3. Cadete I (CFO);
  4. Aspirante a oficial;
  5. Segundo-tenente;
  6. Primeiro-tenente;
  7. Capitão;
  8. Major;
  9. Tenente-coronel;
  10. Coronel.

OS CÍRCULOS HIERÁRQUICOS DA POLÍCIA MILITAR


Considerando as graduações e postos citados acima, a PM se compõe de 6 círculos hierárquicos.

Começando do círculo mais baixo, temos o Círculo de Cabos e Soldados (formado por soldado e cabo). Logo depois, em uma posição mais elevada aparece o Círculo de Subtenentes e Sargentos (terceiro-sargento, segundo-sargento, primeiro-sargento, subtenente).

O Círculo de Praças Especiais é formado, em sua primeira parte, pelos alunos do CFO (cadete III, cadete II, cadete I) e pelo aspirante a oficial.

O próximo círculo é o Círculo de Oficiais Subalternos (segundo-tenente e primeiro-tenente). O Círculo de Oficial Intermediário é composto apenas pelo capitão. Finalmente, o major, o tenente-coronel e o coronel constituem o Círculo de Oficiais Superiores.

OS REQUISITOS E AS PROVAS DO CONCURSO DE POLÍCIA MILITAR


Antes de encerrar este tópico sobre PM, vamos falar sobre os requisitos para o candidato que participar do concurso e como são as provas.

A idade mínima exigida, na maioria das vezes, para participar do concurso de PM é 18 anos, e a idade máxima é de 30 anos. Considera-se, em alguns estados, uma altura mínima também: 1,60 m ou 1,65 m. Também é permitido investigar a vida do candidato a fim de saber se ele tem antecedentes criminais.

As provas dividem-se em: provas objetivas; provas discursivas (para os que desejam a carreira de oficial); testes psicológicos; exames de saúde diversos; testes físicos.

As disciplinas normalmente exigidas são Português, Matemática e Raciocínio Lógico, Informática, História, Geografia, Atualidades, Direito (Constitucional, Administrativo, Penal, Processual Penal).

CONCLUSÃO


Enfim, foi elaborado um guia para que o leitor tenha um conhecimento mais aprofundado sobre as diferentes carreiras policiais e possa estudar melhor qual delas tem mais a ver com seu perfil.

A remuneração é um estímulo excelente, mas você não deve se deixar guiar apenas pela ideia de “ganhar mais”. Talvez, tentar o concurso da PM ou PC de seu estado já seja um começo. Mas, se estiver disposto a arriscar mais, pode partir para a Polícia Federal ou Polícia Rodoviária Federal.

O importante é que você escolha um bom curso preparatório e prepare-se com antecedência. Não deixe para estudar em cima da hora. E lembre-se de que, se não conseguir a vaga logo na primeira vez em que prestar um concurso, isso não é motivo para desistir: continue estudando e enfrente o próximo certame.

Lembre que existem muitos cursos bons disponíveis — especialmente online, que são mais flexíveis, cômodos e econômicos.

Posted by RockContent
Fonte: blog.focusconcursos.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!