Reajuste de Aluguel: veja agora tudo o que você deve saber sobre - Artigo de Maria Oliveto

Nenhum comentário
goo.gl/B745z3 | Antes de alugar um imóvel, é essencial se munir de informações para evitar dores de cabeça. Além de ficar atento a detalhes como documento de vistoria e valor de locação, é importante entender como funciona o reajuste de aluguel e qual sua periodicidade. É uma forma de se assegurar de que não será surpreendido por valores abusivos ou inesperados, que podem obrigar você a passar por uma mudança às pressas.

Para ajudar você a ficar seguro no seu contrato de locação e a entender como a modalidade funciona no mercado imobiliário, preparamos esse artigo com as principais informações sobre o assunto. Quer saber mais sobre o reajuste de aluguel e como ele é calculado? Confira o post e fique mais tranquilo!

Índice de reajuste


Em geral, os aluguéis sofrem alteração com base no IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado). Embora não tenha sido criado exclusivamente para isso, é uma das maiores referências para um aumento justo e sem abusos.

Ele é completo porque concentra diversos fatores importantes para a economia, como a inflação, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor) e o INCC (Índice de Custo da Construção). O resultado final é baseado na média dos últimos doze meses e é, portanto, uma forma bastante confiável de cálculo.

No caso de o contrato estar baseado no IGP-M, é obrigatório que o reajuste aconteça anualmente, ou seja, de doze em doze meses.

Alguns contratos podem utilizar somente o IPCA. Nesse caso, o valor é calculado com base nas despesas de uma família com alimentação, transporte, saúde, moradia, entre outras.

A diferença é que, nesse caso, o valor de reajuste obedece ao que foi calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no mês de aniversário do contrato.

Qual a periodicidade do reajuste de aluguel?


O proprietário do imóvel tem o direito assegurado de alterar o valor do aluguel até uma vez por ano. Entretanto, se ele provar que o valor está obsoleto com relação ao mercado, ele pode exigir um aumento antes do tempo.

Para isso, é preciso que ele peça uma revisão à imobiliária ou que forneça ao locatário os números pesquisados por ele.

Essa não é uma situação corriqueira e, em geral, o reajuste acontece anualmente. Para se certificar, é imprescindível ficar atento às cláusulas do contrato de locação que tratem desse assunto.

E se o proprietário pedir um aumento muito alto?


No caso de o locatário perceber alguma discrepância ou abuso no aumento do valor de locação, é possível que ele peça uma revisão com os cálculos detalhados do reajuste de aluguel.

É possível contratar serviços especializados para fazer essa conta, o que aumenta as chances de provar que o aumento não condiz com a realidade do mercado imobiliário.

Essa revisão pode ser solicitada a cada três anos e pode incluir dados como valor do metro quadrado na região e índice de inflação.

Em geral, esses problemas são mais causados com casas para alugar direto com o proprietário, já que os contratos podem ser feitos por leigos. Por isso, se você não pretende fechar negócio com uma imobiliária, tente, pelo menos, pedir uma revisão profissional.

Como é feito o cálculo do reajuste de aluguel?


Para chegar ao valor correto do reajuste de aluguel, basta ficar atento e fazer algumas contas.
Primeiramente, é preciso conferir o fator de atualização do mês anterior ao aniversário do aluguel. Depois disso, é preciso multiplicar o valor pela cotação base e somar à quantia do aluguel atual.
Posso pedir desconto antes da revisão do contrato?

O desconto não está vinculado à revisão do contrato. É, portanto, permitido após o primeiro ano de vigência.

Nesse caso, o inquilino não pede os cálculos e a mudança no índice de reajuste, mas apresenta uma proposta ao proprietário do imóvel. É possível argumentar com dados da inflação ou até acontecimentos pessoais, como a perda de um emprego ou doença na família.

Se o locador aceitar a proposta de desconto ou até de manutenção do valor do aluguel após um ano, então essas alterações têm validade para o ano seguinte.

Serei avisado a respeito do aumento do aluguel?


Se o seu contrato de locação foi feito direto com o proprietário, não podemos garantir de que você será avisado.

Embora o reajuste esteja previsto em contrato, a correria do dia a dia pode fazer você esquecer da renovação e do consequente aumento. O ideal é, portanto, você anotar na agenda e se planejar para a mudança no valor da locação.

No caso de locação feita com imobiliária, existe um aviso três meses antes do reajuste. É a chamada “carta de aumento”. Ela informa a porcentagem do reajuste, a data em que ele será aplicado e o período de contrato.

Essa carta deve ser assinada pelas partes envolvidas, a fim de evitar o argumento de que o reajuste de aluguel não lhe foi informado.

Como posso pedir desconto e apresentar nova proposta?


Para que você pleiteie um desconto no valor de locação, é preciso mais do que pechinchar e oferecer sua proposta.

A melhor forma de garantir sucesso e chegar a um valor bom para locador e locatário é conhecendo como o mercado funciona.

Procure se informar a respeito do valor cobrado no mercado. Pesquise nos sites de imóveis a respeito do preço do metro quadrado no seu bairro e veja se ele está de acordo com o que você paga.

Em caso negativo, fica mais fácil persuadir o proprietário e fazê-lo entender que o preço pode estar abusivo.

Você pode traçar uma estimativa desse preço pesquisando os portais de imóveis na internet. É importante que você pegue como base os valores dos aluguéis de imóveis semelhantes ao que você mora, evitando ser confrontado e perder nos argumentos.

Para pedir o desconto também é necessário oferecer um valor aceitável, ou seja, não exagere nos cortes ou você receberá uma negativa.

Caso você tenha feito todos os pagamentos do contrato anterior em dia, use isso a seu favor. Converse com o proprietário ou com o inquilino e faça-os enxergar que só há benefícios nessa parceria.

Ainda assim, se sua proposta for negada, convém avaliar as vantagens em abandonar o imóvel e procurar por outro. Além de isso ser repleto de trâmites, você pode precisar arcar com custos que não estavam previstos no seu orçamento.

Agora ficou mais fácil entender o reajuste de aluguel? Então comece agora mesmo a procurar apartamentos para alugar em Curitiba! Aproveite para compartilhar esse post nas suas redes sociais e deixar todos por dentro desse assunto de interesse público!

Por Maria Oliveto
Fonte: chavesnamao.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!