Tática dos feras: como usar questões para aprender teoria - Por Carol Alvarenga

Nenhum comentário
goo.gl/LJ1Pbf | Se você é daqueles que pegam um livro didático ou uma lei e os leem “de cabo a rabo”, você precisa ver este post! Primeiro, porque você perde muito tempo em assuntos que não têm chance alguma de cair em sua prova; segundo, porque você dá a estes o mesmo peso de assuntos importantíssimos, com chances altas de serem cobrados.

Hoje, eu, Carol Alvarenga, vou falar de uma técnica bastante legal, que aprendi em um cursinho, uma vez, e aprimorei para adotá-la em meus estudos. Ela consiste, basicamente, em você pegar questões da banca que aplicará sua prova e procurar a resposta para estas questões em suas leis e seus livros. Para saber mais, veja o tutorial que fiz no vídeo a seguir (caso prefira material escrito, é só continuar lendo).

Com este post, você poderá ver, em vídeo ou na parte escrita, como usar questões para aprender teoria. Isso vai te possibilitar a:

1. ver o que mais cai na prova;
2. estudar normativos com mais facilidade;
3. aumentar a qualidade de sua memorização.

Vídeo com a Tática dos Feras:



Se você prefere ler, leia (é o mesmo conteúdo do vídeo):


Abaixo, eu apresento como é a técnica, sem você precisar dar o play no vídeo. Algumas pessoas preferem ler, então eu achei legal colocar a tática dos feras de forma escrita.

Não existe fórmula mágica. Existe fórmula técnica.


Obviamente, não existe fórmula mágica para passar em concursos públicos. Você tem que estudar, estudar, estudar muito. Só que existem algumas técnicas que podem te ajudar a melhorar a qualidade do estudo, de maneira que sua memória seja aprimorada, sua leitura fique mais rápida, seus resumos sejam feitos para realmente serem usados, quando precisar rever algum assunto.

Vamos ver qual é esta tal “tática dos feras”, então!


Eu digo que esta tática é muito boa para dois tipos de estudo:

  • Estudar atos normativos (leis, decretos, constituições);
  • Estudar detalhes que devem ser memorizados (fórmulas, entendimentos de doutrinas, gráficos).

Imagina só: seu edital cobra pelo menos duas leis diferentes. Cada uma dessas leis tem 100, 150, 200 artigos. E aí você começa a fazer questões e nota que, nas provas, a banca cobra DETALHES dentro daqueles artigos. Bate um desespero, não bate? Você não vai querer estudar todos os artigos. Não vai ter tempo, nem memória suficientes para isso.

A técnica é válida exatamente para este tipo de situação. Para entendê-la, siga os seguintes passos (eles valem ouro!):


Entendeu? Você deve:

  • selecionar as questões de concurso que satisfaçam aquelas características de que falei (isto é, que sejam sobre leis, decretos, constituições, fórmulas, gráficos etc);
  • procurar, nas leis ou nos livros, a resposta de cada questão;
  • marcar, ao lado do parágrafo do livro, ou do artigo, inciso, alínea, parágrafo do normativo, o nome da banca e o ano de cada questão (dessa maneira, você saberá que aquela parte da teoria cai!);
  • repetir esses passos com todas as questões – e, assim, você saberá o que cai ou não.

“CARACA, CAROL, mas é tão óbvio! Como não pensei nisso antes?” Exato. As coisas mais simples da vida realmente são as que mais importam.

Quando você notar, suas leis estarão com muitos artigos com pouquíssimas anotações e poucos artigos com muitas anotações. Olha só alguns exemplos da minha Lei 8.666/1993, em PDF:

Partes que menos caem ficam totalmente em branco!

Partes da lei ficam totalmente em branco.

O que mais cai fica super visível.

Alguns artigos caem muito mais que outros! Veja só este exemplo.

Aí vão mais alguns exemplos, dessa vez em alguns dos meus livros:

Em uma página enorme, só um parágrafo realmente caiu em provas.

Mais uma vez, apenas alguns parágrafos caíram em provas. Na hora da revisão, isso vai te ajudar!

Essa tática te mostra sabe o quê? Relevância. Quando você estuda, você deve se perguntar: este conteúdo cai tanto assim para eu dar esse destaque todo a ele? Não seria melhor dar maior relevância a um conteúdo que caia mais?

Alguns sites grátis onde você pode encontrar questões


Para encontrar questões e usá-las nesta tática, é muito fácil. Basta você acessar os sites das próprias bancas de concursos e fazer os downloads das provas. Também existem alguns sites que te possibilitam filtrar estas questões, e até mesmo comentam uma questão ou outra. A lista dos que eu indico está a seguir:

  • Questões de concursos (QC): você pode resolver quantas questões quiser, e, de graça, poderá ver até 10 questões comentadas. Uma ótima ferramenta, na minha opinião.
  • Rota dos concursos: trabalha do mesmo jeito que o QC. Uma parte é área livre, outra parte você tem de pagar. Também é muito bom!
  • TEC Concursos: mais uma opção com muitos comentários de professores. Além do sistema de questões, oferece, também, material teórico… só que este aqui não é gratuito!
  • PCI concursos: você pode baixar as provas filtrando por bancas. Um dos sites que mais uso, em meus estudos. É totalmente grátis, para baixar as provas.
  • A Casa das Questões: serviço mais recente que possibilita ver mais de 10 questões por dia. Sugestão da usuária Yasmin (dada nos comentários).
  • Aprova Concursos: o Aprova é um site antigo de preparação, mas fez uma área própria de questões SUPIMPA. Sugestão do Estevao Lobato nos comentários ;)

Resumo do que foi visto hoje


Hoje você aprendeu a tática dos concurseiros mais feras que existem. Basicamente, você ficou sabendo o seguinte:

  • não existe fórmula mágica para passar em concursos, mas existem métodos que te ajudam a estudar com maior eficiência;
  • a técnica aqui apresentada é ótima para atos normativos e detalhes que devem ser memorizados;
  • existem quatro passos para você aplicar a tática dos feras: a) fazer a questão; b) procurar a resposta da questão na lei ou no livro; c) anotar o nome da banca e o ano da questão ao lado do artigo da lei ou do parágrafo do livro; e d) repetir os três primeiros passos MUITAS vezes, fazendo várias questões;
  • quando a técnica é aplicada a várias questões, você vai perceber que muito conteúdo não é cobrado na prova.

Obrigada por estar comigo, em mais um post. Comente abaixo o que você achou deste artigo! Dê sua sugestão, tire sua dúvida.

Bons estudos, boa sorte, boa vida,

Carol Alvarenga.
Fonte: esquemaria.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!