O que fazer depois que finalizar a graduação de Direito? Artigo de Thais Miranda

3 comentários
goo.gl/m1ESnJ | Esse pensamento deixa a maioria dos estudantes desconfortáveis com seu futuro, depois do termino da graduação. Alguns porque estão finalizando a graduação junto com seu estágio, sem expectativas de contratação no escritório. Outros porque se dedicou apenas ao curso de Direito durante os cinco anos e não obteve nenhuma experiência profissional que o estágio jurídico oferece. E claro, não podemos esquecer aqueles que estão na dúvida entre a advocacia privada e o concurso público.

Inicialmente, devemos fazer uma analise e fazer a seguinte pergunta a nós mesmos: COM O QUÊ EU QUERO TRABALHAR PELO RESTO DA MINHA VIDA PROFISSIONAL? Ao responder essa pergunta você já terá meio caminho percorrido. No meu caso responderia essa pergunta assim: “QUERO ADVOGAR NA ÁREA PRIVADA, TER MEU ESCRITÓRIO E NÃO PRETENDO FAZER CONCURSOS PÚBLICOS”. Diante da sua resposta você já terá um norte e poderá realizar um protejo de metas e objetivos. Irei sugerir caminhos para as duas áreas a advocacia privada e o concurso público.

Inicialmente, para aqueles que se decidiram por uma carreira de concurso público sonhando com uma Magistratura, promotoria, procuradoria, enfim o Direito possibilita para carreiras publicas um leque de opções, mas que como qualquer outra profissão de sucesso necessita de muito esforço, dedicação, disciplina, perseverança, e muita insistência. Digo isso pois a concorrência para esses cargos são altíssimas com provas de um nível de complexidade que merecem no mínimo três anos de estudos com muita disciplina.

Portanto você que tem este sonho e um perfil profissional para alguma carreira de cargo público, imediatamente ao término de seu curso, inicie os estudos voltados para seu objetivo, não se distraia neste objetivo, não deixe nada interferir em sua decisão. Claro que quem opta por este caminho necessita também de renda para se manter, alguns não podendo se dar ao luxo de se dedicarem exclusivamente aos estudos. Porém não podem esquecer que vocês (aprovados no exame da ordem), já são profissionais autônomos com a liberdade de advogar e exercer a profissão, limite esse exercício a 4 horas por dia de trabalho, o resto aos seus estudos. Ou apenas a duas causas por mês de modo que você consiga priorizar seus estudos. Assim, terá renda e conseguirá estudar para seu cargo público desejado.

Agora para aqueles que pretendem advogar na carreira privada, assim como eu. Antes de tudo, você precisa muito se qualificar, aperfeiçoe-se na sua área profissional escolhida, trabalhe e estude para seus objetivos profissionais darem certo. Essa área precisa de muito compromisso, lealdade, ética, perseverança, proatividade, ousadia e de bastante insistência. Nessa área os covardes e preguiçosos não se “criam”, pois só ficam os decididos e aqueles que amam o que fazem.

Então aqueles que se dedicaram os cinco anos para a graduação, os estudos não acabaram, comece o seu aperfeiçoamento, escolha sua área de atuação, esteja no meio destes profissionais, procure um escritório de advocacia em sua área de atuação entregue currículos, e continue se atualizando. Caso ainda não saiba em qual área você quer advogar não se preocupe, esta área lhe escolherá. Entregue seu currículo no máximo numero de escritórios e aprenda! Pegue a experiência da advocacia, com um tempo saberá no que deve se aperfeiçoa.

E para os que sempre fizeram estágio, possuem alguma experiência forense e da advocacia muitos já sabem sua área de atuação e seu objetivo profissional. E a sugestão é parecida, aperfeiçoem-se, participe de todos os eventos da advocacia, esteja presente nos meios jurídicos e acadêmicos, SEJA PRESENTE. Quem não é visto não é lembrado. Faça pós graduação, mestrado, doutorado, participe das comissões da ordem dos advogados de sua seccional pois este trabalho voluntário lhe propicia muitos conhecimentos, contatos, oportunidade e uma boa reputação profissional.

Espero sinceramente que este texto tenha clareado a mente de muitos estudantes e futuros juízes, advogados, delegados. Nós somos os próximos a fazer toda a diferença na sociedade e no mundo jurídico, podemos ser os melhores, vamos com nossa dedicação e compromisso.

E para quem tem interesse em saber o que eu pretendo profissionalmente, quero advogar na área privada e quero muito é uma meta profissional abrir o meu próprio escritório de advocacia e empreender, e isto já é bem certo, pretendo ficar em escritórios como associada no máximo durante 05 anos, pois acho importante a experiência antes de abrir um escritório. Tenho muita vontade e acho lindo palestrar, isso também é um objetivo meu, e por fim ser professora acadêmica, isso também brilha meus olhos, não mais que a advocacia. É isso. Teremos um longo caminho pela frente. Avante!

Boa Sorte!

Thais Miranda
Graduanda de Direito 10º- Conclusão 2/2018
Graduanda de Direito 10º semestre. Objetivo profissional: Advogar na área privada e Palestar Abrir meu próprio escritório de advocacia. IG: @ttaismiranda e @pelaordem.mem e-mail: ttais.miranda@gmail.com
Fonte: Jus Brasil

3 comentários

  1. Tenho o mesmo sonho que você! Chegaremos lá ♥️

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela iniciativa. Sucesso nesta jornada. Vc merece minha querida.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!