USP bate Unicamp em ranking que traz má notícia aos formandos brasileiros

2 comentários
goo.gl/GzeWy2 | A conclusão da equipe da consultoria QS Quacquarelli Symonds, responsável por alguns dos mais respeitados rankings de faculdades do mundo, é  de que a confiança dos empregadores nos graduados brasileiros está em baixa.

A edição 2019 do QS World University Rankings: Latin America, divulgada na semana passada, traz 90 universidades brasileiras – entre 400 instituições latino-americanas ranqueadas. Do Brasil, 76 universidades tiveram queda no índice que mede a reputação das instituições no mercado de trabalho.

Pela segunda vez seguida, a Pontifícia Universidade Católica do Chile (PUC Chile) foi classificada como a melhor da América Latina. A Universidade de São Paulo (USP) subiu do terceiro para o segundo lugar, trocando de posição com a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Depois do Brasil, o México é o país com mais universidades na lista: são 63. A Colômbia tem 53 e o Chile, 40, sendo que uma delas está no topo (de novo).

A visão que as empresas têm dos graduados é um dos oito itens avaliados pela QS e é medida por meio de entrevistas feitas com 42 mil empregadores. A nota dada pelo mercado de trabalho responde por 20% da classificação final de uma instituição.

O maior peso na avaliação é a nota de reputação acadêmica, que vale por 30% do resultado. Proporção entre o número de professores e de alunos, a quantidade de docentes que são doutores, número de citações e quantidade de pesquisas publicadas, força internacional das publicações e o impacto na internet completam os itens avaliados pela QS na hora de ranquear as instituições.

Se a relação com os empregadores se deteriorou de um ano para cá para a maioria das instituições, a produção de pesquisas é animadora, segundo Ben Sowter, diretor da QS,afirmou em nota:

“Há muitos aspectos positivos na performance brasileira deste ano. O sistema mantém-se competitivo e o país ainda abriga as verdadeiras potências de pesquisa na América. Para continuar a melhoria, as instituições devem assegurar-se do relacionamento com empregadores, identificando maneiras de preparar os graduandos para a economia atual”, afirmou.

De acordo com os cálculos da QS, a USP é a instituição que mais produz pesquisas por faculdade na América Latina. As demais instituições brasileiras também vão bem nesse quesito: nove dos 10 melhores resultados do indicador do número de pesquisas por membros da faculdade são de instituições brasileiras.

A seguir, confira quais as 15 melhores universidades brasileiras presentes no ranking da América Latina (a lista completa está disponível no site da QS):


Por Camila Pati
Fonte: Exame

2 comentários

  1. Seria válido um relatório global também para ver como se posiciona nosso continente em relação ao resto do globo.

    ResponderExcluir
  2. Transformaram as universidades brasileiras em campos de concentração comunista! Já era de se esperar.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!