Acompanhe o novo site direitonews.com.br

10 dicas excelentes de empreendedorismo para advogados - Artigo de César de Deus

Nenhum comentário
goo.gl/PyFu72 | O mundo parece mudar vertiginosamente, não é? Há muito tempo já não basta formar-se em uma boa faculdade e correr atrás de colocação profissional. Por isso, é preciso pensar desde o princípio em como lançar-se como empreendedor em um mercado cada vez mais competitivo. Em um universo gigantesco de advogados, como você pode se destacar? Talvez após anos atuando no escritório de alguém, o que considerar para ter seu próprio espaço?

Se é isso que procura, este artigo foi escrito para você, então fique de olho nas dicas abaixo!

1. Foque em uma área

A oferta de advogados é imensa em praticamente qualquer região do país. No entanto, a distância entre quantidade de profissionais e qualidade do trabalho prestado é enorme.

Muitas vezes, para colocar-se como opção para o maior número de pessoas, o profissional se dispõe a analisar casos das mais diversas áreas do Direito. Isso é um erro primário, o qual pode comprometer seriamente sua carreira. Por quê? Porque atirar para todos os lados afeta sua credibilidade, afinal, os potenciais clientes sabem que não é possível saber acerca de todos os assuntos.

Por isso, foque em uma área e estude para que possa se apresentar como especialista nela. O sucesso vem com os resultados apresentados por você e, para conquistá-los, foco é imprescindível!

2. Crie um plano de negócio no estilo canvas

Você certamente já conheceu alguém talentoso, mas que fracassou ao abrir o próprio negócio. Isso ocorre porque, além de dispor-se a ser um administrador competente, é preciso saber se o seu projeto é viável, certo?

Caso a conclusão seja positiva. Você pode então começar a planejar, estruturar a sua ideia. Como fazer isso? Há, obviamente, diversas maneiras, mas sugerimos a você o Business ModelCanvas, mais conhecido como Canvas. Trata-se de uma ferramenta de planejamento estratégico, uma espécie de mapa.

Nesse plano de negócios estarão esboçados os detalhes da empresa que você pretende montar: qual será o investimento inicial, quais são os custos previstos, quais são os recursos iniciais necessários para o negócio começar a operar, qual a projeção de lucro, quais as estratégias de marketing serão inicialmente elaboradas.

Evidentemente, o desenho desse plano pode levar meses, pois envolve muita pesquisa, e não é um retrato fiel do funcionamento do escritório, mas é fundamental para que você tenha a mais ampla perspectiva do que está fazendo.

3. Estude (MUITO) sobre sua área de atuação

Esse tópico é um lembrete para toda sua vida profissional: estude sobre sua área de atuação. Estude muito e sempre.

Se você terminou recentemente a faculdade e decidiu advogar, é hora de fazer definições e experienciar suas áreas de interesse. Isso tem relação, é claro, com seu perfil e afinidades.

Caso sua área de atuação já esteja escolhida, é crucial tornar-se especialista nela, afinal, área de atuação é sinônimo de área de domínio. E isso tem tudo a ver com credibilidade e construção de uma imagem confiável.

4. Invista em marketing jurídico

Sim, a era do marketing chegou ao mundo jurídico! Afinal, você quer e precisa atrair novos clientes. Para que isso ocorra, é necessário mostrar às pessoas que seu escritório existe e oferece excelente serviço.

O objetivo do marketing é colocar a marca em contato com os potenciais clientes e criar uma boa reputação no mercado, o que também atrai clientes.

Você deve estar se perguntando como fazer marketing em uma área tão tradicional. Isso é assunto para ser explorado de modo mais completo em outro artigo, mas deixaremos alguns princípios aqui.

O primeiro deles é criar conteúdo relevante. Sim, isso significa possuir um site, blog ou página em redes sociais por meio do qual você explore temas interessantes ou polêmicos de sua área de atuação, responda perguntas, enfim, converse com as pessoas. E não se esqueça: deixe o juridiquês de lado, pois você quer ser entendido por quem chega à sua página.

Além disso, é fundamental investir na imagem dessas páginas. O layout do seu site, blog ou redes sociais deve ser impecável, cuidadosamente pensado para causar boa impressão. Nesse aspecto, invista em um logotipo bem elaborado, em um visual elegante e em textos bem escritos, pois erros de língua portuguesa podem gerar opinião negativa.

5. Cultive bom relacionamento com os clientes

O princípio é simples: você depende do cliente. Precisa que ele chegue até você e gostaria que ele indicasse seu trabalho para outras pessoas. A boa e velha propaganda boca a boca nunca está fora de moda!

A relação advogado-cliente é pautada na confiança. Confiança depende de transparência, clareza e empatia. Portanto, seja honesto quanto ao caso de cada cliente e quanto às reais perspectivas e riscos. Além disso, não se esqueça de que sua atitude inicial deve ser ouvir o outro, analisar cuidadosamente o que está sendo dito, o conteúdo de documentos, as lacunas da história. Isso demonstra, simultaneamente, empatia e transparência.

Sobre relacionamento com os clientes, tenha cautela com a proximidade. É claro que há amigos que se tornam clientes e clientes que se tornam amigos, mas saiba avaliar cada situação e traçar limites com os quais você se sinta confortável.

6. Tenha correspondentes jurídicos

O correspondente jurídico é aquele que realiza serviços jurídicos para outros advogados ou escritórios de advocacia. Trata-se, portanto, de uma ação de delegação.

Você certamente tem ou terá de realizar diligências em outras comarcas, o que significa despesa financeira e gasto de tempo. A solução para isso está em ter um advogado do local da diligência para realizar o trabalho necessário, seja a simples obtenção de documentos ou até mesmo a participação em audiências.

Assim, você ganha em eficiência, rapidez, economia, e pode dedicar-se às ações estratégicas que necessitam de sua presença.

7. Tenha presença digital

Já falamos sobre marketing digital aqui. Precisamos reforçar a concepção de que sua presença digital deve ser tratada com seriedade e de modo permanente.

Por isso, tenha em mente que seu site deve ser atualizado, seu blog alimentado periodicamente com postagens relevantes e seus canais de diálogo com o cliente devem ser de fácil acesso e precisam funcionar de fato.

Além de site e redes sociais, considere investir em e-mail marketing. Funciona da seguinte forma: em áreas estratégicas de seu site ou blog fica uma área para o leitor inserir seu e-mail, o qual estará registrado em uma lista. Assim, toda atualização que você fizer em suas mídias digitais será informada, por e-mail, a todos os membros da lista personalizada.

Ainda que você considere a advocacia uma área tradicional de atuação, tenha certeza de que, para obter sucesso, é indispensável investir em uma presença digital sólida.

8. Foque na solução dos problemas

Empreender nunca é um caminho fácil, mas o percurso pode (e deve) ser de grande aprendizado e satisfação.

É muito comum que mesmo em nossas vidas pessoais enxerguemos apenas os problemas que surgem. É preciso mudar a perspectiva antes mesmo de iniciar seu empreendimento: objetive desviar a atenção dos problemas em si para as possibilidades de solução de tais percalços. Se possível, elabore, ainda na fase de planejamento, ideias de solução para problemas que possam surgir.

9. Use a tecnologia a seu favor

A tecnologia está revolucionando o meio jurídico e de nada adianta você nadar contra essa corrente. Pelo contrário, é preciso embarcar nela e se tornar um profissional alinhado com as vantagens do mundo digital.

Usar a tecnologia a seu favor pode abranger diferentes aspectos de seu trabalho. Já falamos aqui de marketing digital, por exemplo. No entanto, uso da tecnologia também diz respeito à atuação home office, em que você trabalha online. Sim, hoje há plataformas por meio das quais o agendamento, recebimento e realização da consulta são feitos à distância. Você se lembra do correspondente jurídico, sobre o qual conversamos? Também há plataformas online que te permitem contratá-los ou tornar-se um.

E há mais: aplicativos que te auxiliam na gestão virtual dos processos digitais. Tudo isso certamente mostrou a você que a tecnologia é uma aliada que te permite lidar mais rapidamente com as burocracias, ganhar tempo e investir na qualidade de seu trabalho.

10. Conquiste clientes

Conquistar clientes é, provavelmente, a maior preocupação do advogado que deseja empreender e abrir seu próprio escritório. O Código de Ética da OAB veda a captação de clientes, mas não a conquista deles. Afinal, o profissional precisa ter para quem trabalhar.

Todos os itens que tratamos anteriormente certamente atuarão na sua conquista de novos clientes. Contudo, além de tudo o que já conversamos, é preciso que você se prepare para responder as objeções feitas por clientes em potencial (como observações acerca de seus honorários) e para colocar-se como solução real e competente para os problemas das pessoas que te procuram.

Além disso, não se esqueça de trabalhar suas conexões, o famoso networking. Ter uma rede de contatos com os quais você se relaciona frequentemente cria a oportunidade perfeita para receber clientes indicados por outros profissionais.

E lembre-se: não adianta conquistar clientes e mostrar-se um profissional pouco competente. Invista em sua especialização, busque constantemente seu aprimoramento.

Se gostou deste artigo, dê uma olhada nos outros textos do site e deixe seu comentário para que possamos conversar!

_______________________________

César de Deus
Marketing de conteúdo a arte de vender sem vender
Olá! Eu sou César de Deus, consultor de Marketing Digital, especialista em marketing de conteúdo, que é a arte de vender sem vender. Eu ajudo advogados insatisfeitos com a situação atual, atrair clientes de forma natural e automática, sem ter problemas com o código de ética da OAB, desperdiçar dinheiro contratando profissionais de marketing digital e ou tentando fazer sozinho.
Fonte: Jus Brasil

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!