Advogado acusado de matar a namorada responderá por ocultação de cadáver e feminicídio

Nenhum comentário
bit.ly/2HZrcgY | O advogado Paulo de Carvalho Souza foi preso em flagrante por ocultação de cadáver e preso preventivamente por tempo indeterminado por feminicídio, podendo cumprir pena de 12 a 30 anos por feminicídio e de 1 a 3 por ocultação de cadáver.

O crime de ocultação de cadáver tem a pena máxima de 3 anos (de acordo com código de processo penal, crimes com pena de até 4 anos, cabem pagamento de fiança), isto explica o fato de Paulo ter tido direito a pagamento de fiança no valor de R$ 50.000,00, porém a fiança não foi paga e Paulo foi levado ao presídio.

Portanto, mesmo se tivesse pago a fiança, Paulo ficaria preso, devido ao mandado de prisão preventiva pelo crime de feminicídio.

Nesta quinta-feira (04), Paulo será encaminhado para a audiência de custódia, na qual o juiz irá decidir sobre a prisão do assassino. Paulo permaneceu em silêncio durante o interrogatório da Polícia Civil.

O delegado Ícaro Malveira disse em coletiva de imprensa nesta manhã, que não acredita que Paulo estava em surto psicótico durante o crime, devido a todo planejamento que Paulo criou para manter o cadáver no apartamento durante os seis dias, acredita-se que a motivação do crime tenha sido devido algum problema relacionado a relação amorosa dos dois.

Paulo teria deixado o ar condicionado em uma temperatura muito baixa, além aplicar produto de limpeza no corpo da vítima, assim como ter muito gelo no apartamento, tudo isso para disfarçar o odor do corpo de Lucimara.

Na madrugada desta quinta-feira, foi emitida uma declaração de óbito, que permite ao Instituto Médico Legal (IML) liberar o corpo para a família. O laudo definitivo, com a causa da morte, deve sair nos próximos dias. O corpo tinha diversas marcas de facadas.

Lucimara será cremada em Balneário Camboriú. Depois, as cinzas seguirão para o crematório de Blumenau, onde terá uma homenagem organizada pela OAB, a partir das 15h.

Entenda o caso:


O advogado Paulo de Carvalho Souza de 42 anos é suspeito de matar Lucimara Stasiak de 29 anos a facadas na quinta-feira(28), e manter o corpo dentro do apartamento com gelo, supostamente para disfarçar o cheiro,  no edifício Ilha de Paquetá, rua 3150 no centro de Balneário Camboriú.

Paulo é advogado, assim como Lucimara.

Os vizinhos teriam suspeitado de Paulo pois ouviram uma briga entre o casal na última quinta-feira, e após isso Lucimara não foi mais vista, além disso os vizinhos notaram a entrada de Paulo com sacos plásticos e gelo, e acionaram a polícia.

Os policias do BOPE conseguiram entrar no apartamento e confirmar a morte de Lucimara, porém, Paulo se trancou na sacada, pedindo que ninguém se aproxima-se, caso contrário iria se jogar do sétimo andar.

O corpo de Lucimara permaneceu no apartamento durante toda a ocorrência, para que o local do crime não fosse alterado, enquanto Paulo não se rendesse.

Paulo disse aos policias que teve surto um psicótico e achou que esfaqueava aranhas e não Lucimara.

De acordo com a PM, um amigo de Paulo afirmou que o advogado tem um histórico de crises, já foi internado e atualmente toma remédios controlados.

A operação contou com a presença do BOPE, COBRA, guarnições de rádio patrulha, agentes de trânsito e o SAMU.

Paulo apresentava auto lesões por faca no braço e não possuía nenhum boletim de ocorrência em seu desfavor registrado no Estado. Foi atendido pelo SAMU que estava no local e encaminhado para os procedimentos cabíveis.

Fonte: www.bcnoticias.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!