MP-RO publica e apaga vídeo institucional parodiando filme Os Vingadores

Nenhum comentário
bit.ly/2DBPBW4 | O Ministério Público de Rondônia compartilhou em seu canal oficial no Twitter, durante algumas horas na sexta-feira e no sábado (27/4) um vídeo no qual a instituição se apresenta como super-herói em defesa do bem-estar da população.

O vídeo é uma paródia do filme Os Vingadores, de 2012. Usando imagens do filme com dublagem amadora, o MP de Rondônia é representado pelo incrível Hulk, que luta ao lado do meio-ambiente (Homem de Ferro), segurança (Capitão América), cidadania (Viúva Negra), educação (Thor) e saúde (Gavião Arqueiro). Os Vingadores, na cena, enfrentam o vilão da corrupção.

Antes que as imagens fossem tiradas do ar, o jornalista Reinaldo Azevedo, colunista da Folha de S. Paulo, chegou a postar o vídeo em seu canal no YouTube.

O vídeo causou constrangimento institucional. Três promotores enviaram o link para repórteres do jornal local Rondônia Dinâmica se dizendo envergonhados pela postura.

Depois do incidente, o vídeo foi apagado. O procurador-geral do MP-RO, Airton Pedro Marin Filho, afirmou que o vídeo não foi autorizado pela administração.

No Twitter, seguidores levantaram a hipótese de o MP estar cometendo crime de plágio. Sobre a acusação, o MP se manifestou dizendo estar protegido pela permissão garantida às paródias na Lei de Direitos Autorais.




Veja a íntegra do posicionamento do procurador-geral:

"Informo que a divulgação do vídeo institucional nas mídias sociais na data de ontem foi feita sem a prévia aprovação da Administração Superior. Após a veiculação e tomando conhecimento de seu conteúdo, verificou-se que a abordagem publicitária não guarda pertinência com a magnitude das atribuições institucionais e de seus membros, motivo pelo qual determinamos sua imediata retirada de todas as mídias sociais.

O membro do Ministério Público não pode ser confundido com personagens de ficção, pois sua luta acontece no dia a dia, na sociedade contemporânea, e tem por finalidade a defesa da ordem pública e dos interesses sociais, respeitando a constituição e as leis , buscando romper as   barreiras que impedem o exercício da cidadania plena.

Airton Pedro Marin Filho
Procurador-Geral de Justiça do MP/RO

Fonte: Conjur

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!