Após morte de oficial de Justiça grávida, OAB discute instalação de ambulatório em Fórum

Nenhum comentário
bit.ly/2WBjQaf | A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Sorocaba (SP) retomou nesta sexta-feira (31) o debate sobre a necessidade de um ambulatório para atendimento médico emergencial no Fórum do Judiciário Estadual, localizado no Alto da Boa Vista. O assunto veio à tona depois que uma oficial de Justiça grávida de oito meses morreu ao sofrer uma parada cardiorrespiratória durante o horário de trabalho. O bebê também não resistiu.

Natália Dias Cesco, de 34 anos, passou mal no corredor do Fórum, na tarde de quinta-feira (30). O Samu foi acionado por volta das 16h02 e encaminhou uma ambulância de suporte avançado, com um médico e enfermeiro, para atender à ocorrência.

O veículo chegou ao local às 16h30, segundo o Samu, e a equipe fez todos os procedimentos de primeiro socorro, que não foram suficientes.

Diante da situação, a OAB ressaltou a necessidade de que o assunto seja debatido. "Segundo divulgado, o socorro foi acionado, mas não houve tempo, infelizmente, de evitar que a servidora viesse a óbito. O fato registrado reclama apuração e retoma o debate sobre a necessidade de o espaço dispor de ambulatório para atendimento médico emergencial. Por lá, conforme estatísticas, circulam em média duas mil pessoas diariamente".

Ainda segundo a OAB, o assunto já está pautado dentro da agenda de prioridades da diretoria, que deverá requerer aos órgãos competentes a tomada de providências para dotar o equipamento público desse serviço.

De acordo com Maurício Carlos Queiroz, presidente da Associação Família Forense da Comarca de Sorocaba (Affocos), a principal reivindicação é a construção de um espaço físico para atendimento de casos de urgência e emergência de servidores e munícipes que frequentam o Fórum.

Segundo ele, são cerca de 700 servidores que passam todos os dias pelo Fórum. Somando os quase dois mil munícipes, o movimento diário fica entre 2,5 mil e três mil pessoas.

O diretor do Fórum de Sorocaba, Carlos Maluf, disse à TV TEM que apoia o pedido e que irá apresentar formalmente um requerimento à Presidência do Tribunal de Justiça.

A reportagem do G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para questionar sobre a falta de um ambulatório no Fórum do Judiciário Estadual de Sorocaba, mas, até a publicação desta reportagem, não obteve resposta.

Funcionários fazem protesto


Funcionários do Fórum se reuniram em frente ao local na tarde desta sexta-feira e fizeram um minuto de silêncio em homenagem à colega de trabalho Natália Dias Cesco.

Além disso, o grupo fez um protesto pacífico para reclamar da falta de assistência médica no prédio, que registra um grande volume de circulação de pessoas diariamente.

Funcionários do Fórum fizeram um minuto de silêncio em homenagem à oficial de Justiça — Foto: Clemilson Bortoleto/TV TEM

Uma funcionária, que pediu para ter a identidade preservada, conta que essa não foi a primeira vez que uma pessoa passou mal no prédio. Segundo ela, todos os dias alguém pede por atendimento médico, mas essa foi a primeira morte registrada no local.

"Se houvesse uma enfermaria com um médico no prédio, essa colega e seu bebê poderiam ter tido uma chance. O tribunal gasta em sistema de segurança ou tecnologia, mas a preocupação com a saúde dos funcionários e do público que frequenta os fóruns é zero", comenta.
A escrevente Cristiane Carvalho dos Santos, que presenciou o momento em que a oficial de Justiça passou mal no corredor do 2º andar do prédio, reforça a necessidade de um ambulatório médico no Fórum de Sorocaba.

"Tentaram de tudo para reanimá-la, mas ninguém ali tinha o preparo adequado para a situação. Fizeram boca a boca, tudo que podiam para ajudar enquanto o resgate não chegava. Talvez, se ela tivesse tido os primeiros socorros adequados rapidamente, o final teria sido outro", lamenta.

Entenda o caso


Segundo testemunhas, Natália teve uma parada cardiorrespiratória no corredor do Fórum, por volta das 16h de quinta-feira. O Samu foi acionado e encaminhou uma ambulância para o local.

Oficial de Justiça grávida de 8 meses morre após passar mal no Fórum de Sorocaba; bebê não resistiu — Foto: Divulgação

No local, a equipe do Samu fez os procedimentos de primeiros socorros à paciente, inclusive, tentou reanimá-la por cerca de de 30 minutos, sem sucesso.

Mesmo assim, ela foi levada pelo Samu para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Éden, onde foi feita uma cesariana de emergência, mas a criança não resistiu.

O corpo de Natália deve ser encaminhado ainda nesta sexta-feira (31) para Presidente Prudente (SP), cidade onde a família dela mora, para ser velado e enterrado no cemitério Parque da Paz.

Por G1 Sorocaba e Jundiaí
Fonte: g1 globo

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!