Contradição em depoimento faz advogado de acusadora de Neymar deixar o caso

Nenhum comentário
bit.ly/31emdzp | O advogado José Edgar Bueno, que defendia a mulher que acusa o jogador Neymar de estupro, afirma que deixou o caso por causa de uma contradição na queixa da cliente de 26 anos. Ela teria primeiro dito aos advogados do escritório Fernandes e Abreu Advogados que a relação foi consensual, em um encontro em Paris, em 15 de maio, mas que teria havido uma agressão, denúncia pela qual os profissionais teriam concordado em acusar o jogador.

Depois, porém, a vítima teria decidido fazer um Boletim de Ocorrência citando o estupro. Por sua vez, a atual representante da mulher, a advogada Yasmin Pastore Abdalla, mostrou uma suposta troca de mensagens em que sua cliente diz ao ex-advogado que o jogador "a espancou e a estuprou".

Em carta aberta enviada à Marie Claire, o escritório afirma que a "ex contratante estava ciente que poderia procurar as autoridades policiais a qualquer momento. No entanto, sempre afirmou em diversas oportunidades que não queria o seu nome envolvido em escândalos midiáticos, que poderiam afetar o seu filho, inclusive, preferindo, como lhe garante a Constituição Federal e as leis pátrias, que as alegadas agressões fossem reparadas na esfera civil. Ou seja, que o agressor fosse contatado pelo nosso escritório para arcar com suas despesas médicas, de tratamento psicológico e, ainda, reparasse civilmente os danos que lhe foram causados. Considerando sua pretensão de reparação civil pelas agressões já relatadas, iniciamos a tentativa de conciliação com a parte contrária, de forma ética e transparente. Orientamos a ex contratante a realizar laudo particular que constatasse as lesões sofridas. Esse laudo foi realizado após consulta médica. O que se buscava era que Neymar Júnior reconhecesse as agressões praticadas, bem como a necessidade de amparar a ex contratante psicologicamente (arcando com o respectivo tratamento) e também fizesse a devida compensação pela violência perpetrada. Fizemos o primeiro contato com os representantes de Neymar Junior por intermédio de uma reunião realizada em 29/05/2019. Esses representantes negaram qualquer possibilidade de acordo. Isso foi prontamente comunicado à ex contratante".

Neymar da Silva Santos, pai do jogador Neymar Jr., esteve no programa Aqui na Band na segunda-feira (4) e falou sobre a acusação de estupro da jovem contra o filho e afirmou que um suposto advogado da mulher o procurou para pedir dinheiro pelo silêncio dela. "Eu sabia que era uma extorsão, chamei dois advogados e uma testemunha para conversarem com ele no nosso apartamento. Ele falou: 'a gente precisa de dinheiro para um cala a boca, a gente sabe do tamanho do Neymar'. Mandamos ele embora, a família não concorda com isso", disse o empresário.

O escritório negou uma tentativa de extorsão: "O que os representantes de Neymar Júnior chamaram de extorsão em programas de televisão, de forma caluniosa, difamadora e injuriosa, foi, na verdade, a tentativa de uma composição na esfera cível, a pedido da nossa então cliente, que tinha todo o direito de não ter o seu nome, do seu filho e de seus familiares envolvidos num escândalo. Digno de nota o absurdo de uma reunião entre advogados ser referida, de maneira torpe, como tentativa de extorsão, ainda mais quando essa reunião só se realizou dado o convite feito pelos representantes de Neymar Júnior. Isso só demonstra que os representantes de Neymar Júnior, sabendo dos fatos, orquestraram verdadeira armadilha com o objetivo de criar um álibi para o seu protegido, em prejuízo da vítima e de seus antigos patronos".

O documento enviado pelo escritório Fernandes e Abreu Advogados afirma que "todas as providências demandadas foram tomadas de forma ética e legal e que, a partir de 31 de maio, dada a frustração da cliente, ela tomou decisões à revelia de seus patronos. E esse fato fez com que renunciássemos ao nosso mandato em 01/06/2019, em mensagem dirigida à ex contratante".

Troca de mensagens entre advogado e vítima


A mulher que denunciou Neymar por estupro é representada hoje pela advogada Yasmin Pastore Abdalla, que divulgou ao Jornal Nacional o relatório médico feito no dia 21 de maio, uma semana depois da agressão em Paris. Nesse laudo, o especialista em aparelho digestivo Luiz Eduardo Rossi Campedelli reporta dor estomacal após episódio de estresse emocional, hematomas e arranhaduras. Ela foi diagnostica com síndrome dispética, transtorno ansioso depressivo e traumatismos superficiais.

Ao Jornal Nacional, Yasmin mostrou uma troca de mensagens entre a sua cliente e o advogado José Edgar Bueno Filho:

"Por que a gente não joga logo na mídia para acabar com a carreira desse pipoqueiro de vez? Ele me espancou e me estuprou", diz a vítima.
E José Edgar responde: “Calma. Isso logo depois de apresentarmos a denúncia.”
“Eu tô com raiva, Zé. Eu devia ter matado ele quando tive chance”, responde ela.
“Não vai ficar impune. Mas você tem que saber que uma briga dessas demora.”, finaliza o advogado.

José Edgar confirmou que as mensagens são dele e que, depois de se encontrar com os representantes de Neymar, ainda tentou convencer a vítima a não divulgar um vídeo que teria sido feito no segundo encontro do casal, no dia 16 de maio. O vídeo não foi revelado ainda.

Em entrevista à Band, o pai de Neymar contou ainda que o jogador, ao entrar no quarto de hotel, percebeu que havia um celular filmando-o e decidiu sair. A moça então teria agredido Neymar, que teria pedido a ela que não fizesse escândalo e, depois, emitiu a passagem dela de volta para o Brasil.

Em nota, o advogado Gustavo Xisto, que defende Neymar, afirmou:

"Como já revelado pelo sr. Neymar mais cedo na imprensa, de fato foi realizada uma reunião no dia 29 passado, em sua residência na cidade de São Paulo, em que estiveram presentes dois dos seus advogados, uma outra testemunha e o advogado que representava os interesses da suposta vítima. Na oportunidade foi solicitada uma compensação financeira (“cala boca”) para que a suposta vítima não relatasse as alegadas agressões às Autoridades Policiais. Na oportunidade não foi apresentado nenhum laudo médico, tampouco vídeo, apenas fotografias. Na data de hoje a defesa teve acesso ao Procedimento Investigatório, analisando as declarações e documentos apresentados. Diante do sigilo não podemos nos pronunciar sobre os seus elementos e conteúdo. A defesa já se prontificou a colaborar com as investigações, inclusive para que as declarações do Atleta Neymar Jr. sejam prestadas oportunamente e as provas apresentadas".

Entenda o caso


Uma mulher registrou um Boletim de Ocorrência em São Paulo, na sexta-feira (31), acusando o jogador Neymar de estupro. O crime, segundo ela, teria ocorrido em um hotel em Paris, na França, no dia 15 de maio. A identidade da vítima é preservada no B.O. Em seu perfil no Instagram, o atacante publicou um vídeo no sábado (1º) se defendendo da acusação e dizendo ser vítima de extorsão.

Em nota enviada à Marie Claire a Secretaria de Segurança Pública confirma a denúncia: "Houve uma denúncia registrada pela vítima na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher de Santo Amato. O inquérito policial segue em sigilo".

No Boletim de Ocorrência, a mulher afirmou chegou em Paris no dia 15 e foi embora no dia 17. Além disso, estava abalada emocionalmente e com medo de registrar o fato em outro país, optando por fazer na delegacia em São Paulo, onde reside. Ela disse também que foi Neymar quem pagou suas passagens e hospedagem em Paris, por meio de um assessor.

O atacante publicou um vídeo em seu perfil no Instagram, na noite de sábado (1º), defendendo-se da acusação de estupro feita pela mulher de 26 anos e dizendo ser vítima de extorsão. Neymar mostra o que seria uma troca de mensagens no WhatsApp com a garota que o acusa do estupro. O vídeo mostra também fotos íntimas que teriam sido enviadas a ele pela modelo.

Priscilla Geremias
Fonte: revistamarieclaire.globo.com

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!