TJ: através de liminar, mãe lésbica consegue direito a licença maternidade

bit.ly/2xzZSi4 | Uma mãe LGBT conseguiu uma liminar no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), para uma licença maternidade, mesmo ela não sendo a mãe gestante. Situações como esta são comuns dentro da comunidade LGBT+.

De acordo com o site Metórpoles, o caso se iniciou após a mulher, que preferiu não se identificar, ter seu pedido de licença negado pelo Banco do Brasil de Brasília, no qual ela trabalha. Em março deste ano a mulher solicitou a dispensa por 120 dias, mas foi liberada apenas por 20 dias – esse número costuma ser dado para homens que serão pais.

De acordo com a advogada do casal, Cíntia Cecílio, a funcionaria trabalha no banco há mais de 30 anos e está casada desde 2015. “Elas resolveram começar um processo de fertilização e quem engravidou foi a esposa, por ser mais jovem”.

Ainda segundo a advogada, o que mais deixou a cliente incomodada foi o fato de terem a tratado como pai da criança, mesmo ela sendo mulher. “Ela ficou extremamente ofendida. Primeiro, porque trabalha no banco há mais de 30 anos e nunca imaginou que passaria por uma situação dessas. O que mais incomodou foi a licença-paternidade”, disse.

*(Foto meramente ilustrativa: reprodução Internet)

Fonte: observatoriog.bol.uol.com.br

1/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

  1. lamento no haberlo sabido antes de leer su artículo, gracias por compartirlo con nosotros
    the impossible quiz

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima