Mulher resgatada de trabalho análogo à escravidão comemora aniversário pela 1ª vez: ‘Vida nova’

Apesar de por fim à exploração, o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Defensoria Pública da União ainda não conseguiram receber a indenização devida pelo mal que Madalena sofreu por quase quatro décadas.

O professor Dalton Rigueira, com quem ela vivia e era responsável por submetê-la à condição de escravidão doméstica, ainda patina na Justiça para que um acordo seja fechado.

Enquanto isso, pela primeira vez desde criança, Madalena comemorou seu aniversário com dignidade e, claro, muita comida, festa e boas energias.

De acordo com uma reportagem veiculada pelo Fantástico no último domingo (11), a mulher morava – e trabalhava – na casa dos ‘patrões’ desde os 8 anos de idade. Não tinha registro em carteira, nem salário mínimo garantido ou descanso semanal remunerado.

Em entrevista ao folhetim da TV Globo, Madalena contou como foi comemorar pela primeira vez um aniversário, após 8 meses do resgate da casa onde viveu.

Sua vida mudou completamente: com uma nova rotina, agora ela tenta aproveitar também os períodos da vida que foram interrompidos.

“Nunca fui feliz assim. Antes eu era triste. Muito triste. Hoje eu sinto que estou bem. Coração limpo. Estou libertada. Estou livre”, contou ela.

Há oito meses, Madalena tem aproveitado as coisas que nunca tinha conseguido. Foi para a praia pela primeira vez e até voltou a estudar.

O cabelo trouxe uma certa vaidade que ela nunca havia tido. Não se sente mais reprimida e agora adora cuidar de si mesma. “Não podia fazer unha, passar um esmalte vermelho. Hoje eu já passo vários esmaltes e tenho três cabelos”, afirmou.

Símbolo na luta contra o trabalho escravo

Desde que foi resgatada, no final do ano passado, Madalena se transformou no rosto mais conhecido da luta contra o trabalho escravo (e análogo à escravidão) doméstico no Brasil.

Sua história repercutiu na imprensa do mundo todo: depois que seu caso ganhou as manchetes, 15 trabalhadoras foram libertadas em seis meses, conforme apuração do Fantástico.

Uma delas é Leda Lúcia dos Santos, que foi resgatada em situação análoga à escravidão em Salvador (BA).

Na denúncia que a libertou, ela teve o caso de Madalena citado. Por conta disso, presenteou Madalena com uma boneca no aniversário. “Aproveita bem essa boneca, foi feita com muito carinho para você”, disse Leda.

Livre da servidão e símbolo de inspiração para outros casos como o dela, Madalena afirmou: “Hoje eu sinto que eu estou bem. Coração limpo. Estou libertada. Estou livre”. ❤️

“Antes eu existia, hoje eu vivo”

O Razões conversou com a Madalena dois meses após ela ser resgatada. Na entrevista, ela se disse muito feliz por estar vivendo de maneira plena pela primeira vez, e agradeceu o enorme apoio e mensagens positivas que recebe todos os dias de pessoas de todo o Brasil.

“Fico feliz de estar vivendo tudo isso. Deus tem colocado pessoas maravilhosas em minha vida. Sei que foi tudo no tempo Dele e ainda está sendo. Tenho certeza que coisas muito boas ainda vão acontecer”. Leia a matéria completa clicando aqui.

Fonte: Razões para Acreditar

O que você achou desse conteúdo? Participe com sua Reaction abaixo:

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima