Venceu desemprego, gravidez e abandono, tornou-se Juíza e inspira pessoas: “a Educação transformou minha vida”

Via @higynajosita | Antes de lograr êxito no concurso da magistratura, Higyna Josita precisou lidar com três professores: bolso vazio, coração partido e filho para criar. Estudou para o concurso enquanto ainda estava grávida e amamentando sua filha mais velha. Segundo ela, virou uma máquina de estudar quando descobriu que estava grávida, porque o fato de dar uma vida melhor a sua filha a motivou a correr contra o tempo para passar no concurso público. Estudava dez horas por dia durante dois anos. Tinha “pressa de vencer”, termo usado por ela.

Sendo a mais velha de uma família de quatro irmãs, Higyna sempre precisou ajudar sua mãe a cuidar da casa e da comida, para que a mesma pudesse trabalhar fora. Lembra ainda que os pais se separaram quando tinha 07 anos e que, nesse período, viu a mãe trabalhar por algum tempo como lavadeira para poder sustentar a casa. 

"Eu, desde pequena, decidi que venceria pela Educação e que daria uma vida melhor a minha mãe. Foi muito importante ter conseguido cumprir a promessa que fiz a mim mesma", conta a juíza.

Estudou em escolas públicas e em algumas particulares, onde conseguiu bolsa de estudos pelo mérito. Sempre acreditou no poder da educação para transformar vidas e nunca se deixou levar pela situação financeira difícil que acometia a família. 

Quando terminou o curso de Direito, na Universidade Federal da Paraíba, se viu desempregada e descobriu, também, que estava grávida, tendo o namoro acabado nesse mesmo período. Ela conta que isso poderia ter sido encarado como algo ruim mas, que em meio ao maior sofrimento, encontrou a chave para vencer, porque a dor a fez forte e a fez lutar com foco pelo sonho de ser Juíza. 

Hoje, já com 20 anos de carreira na magistratura, escreveu a obra jurídica intitulada “Curso Prático de Audiências Criminais: para o advogado que tem pressa”, lançada pela editora Juspodium, no bojo da qual ensina os advogados recém-formados a fazerem todos os tipos de Audiências Criminais.

"Lembrei do período que advoguei, de como tinha medo de fazer audiências, e resolvi colocar os meus 20 anos de experiência com a magistratura a serviço dos advogados, para que não passem pelo que passei no começo de suas carreiras", declara a juíza Higyna Josita aos interessados em seu livro.

No seu perfil do Instagram, Higyna Josita (@higynajosita) leva esperança a concurseiros de todo o Brasil com seu #boravencer, sempre enfatizando que eles nunca devem desistir de seus sonhos e que, se lutarem, alcançarão vitória, porque a educação tem poder para transformar vidas.

O que você achou desse conteúdo? Participe com sua Reaction abaixo:

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima