Biden toma medidas para proteger privacidade online feminina relacionadas ao aborto

Via @portalr7 | O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tomará uma série de medidas nesta sexta-feira (8) para, entre outras coisas, proteger no meio online a privacidade das mulheres que desejam interromper uma gravidez.

De acordo com um comunicado da Casa Branca, o presidente assinará uma ordem executiva para "proteger informações confidenciais de saúde" e "combater a vigilância digital" relacionada ao aborto.

O texto também prevê a proteção das clínicas móveis que realizam procedimentos de interrupção da gravidez nas fronteiras dos estados onde essa prática é proibida e garantem o acesso a anticoncepcionais e pílulas abortivas.

Da mesma forma, propõe-se a organizar uma rede de advogados voluntários para garantir que as mulheres possam viajar dentro do país se decidirem fazer um aborto sem serem assediadas pela lei se morarem em um estado que proíbe o procedimento.

Desde que o Supremo Tribunal de Justiça anulou em 24 de junho a decisão Roe vs. Wade que em 1973 garantiu o direito ao aborto na esfera federal, sete estados já proibiram o acesso à interrupção voluntária da gravidez e muitos mais devem seguir esse caminho.

Naquele mesmo dia, Biden chamou a decisão de "erro trágico", mas desde então, o democrata permaneceu em silêncio sobre o assunto, atraindo críticas cada vez mais virulentas de seu próprio Partido Democrata.

Muitos ativistas alertam para os perigos ligados a dados online, como geolocalização ou informações coletadas por aplicativos para monitorar ciclos menstruais, que podem ser explorados para processar mulheres que fizeram abortos.

Fonte: noticias.r7.com

O que você achou desse conteúdo? Participe com sua Reaction abaixo:

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima