Após ‘cabelos extintos e toneladas de Rivotril’, juiz federal celebra fim de processo de 40 anos

Via @jurinews | O juiz federal Magnus Delgado, da 1ª Vara Federal do Rio Grande do Norte, expressou em sentença toda a sensação de alívio que sentiu ao decidir pelo arquivamento dos autos de processo milionário envolvendo a posse do terreno onde hoje funciona o campus central da UFRN. O processo tramitava há 40 anos.

Em decisão de poucas e bem humoradas linhas, ele começou pontuando: “Trata-se da famosíssima Ação do terreno onde hoje funciona a gloriosa UFRN. Pela quantidade departes e Advogados acima já se percebe a complexidade do processo e mais ainda do processo de execução. As cifras foram incrivelmente milionárias”.

E seguiu revelando como foi a condução do processo ao longo dos anos:

“Depois de mais de 04 (quatro) décadas de tramitação, todos os meus cabelos extintos e toneladas de Rivotril, Gardenal e Maracujina consumidos pela valorosíssima e inigualável Equipe de Servidores da 1a.Vara Federal, a quem agradeço ajoelhado e de mão postas por todo o empenho, toda a paciência e toda e tanta competência, julgo extinto o presente feito executivo”, escreveu Magnus Delgado.

E exclamou por diversas vezes:

“Após o trânsito em julgado desta sentença, arquivem-se os autos com baixa na distribuição, independentemente de novo despacho (pelas caridades !!!). Eu não estou acreditando que vou assinar essa decisão!!! Não pensei que viveria para esse momento !!!”

O juiz ainda garantiu na sentença que houve a “quitação dos precatórios devidos, pagamento de peritos, habilitação de herdeiros, transferência de numerário a juízos outros, e mais milhares de incidentes processuais resolvidos todos em sua inteireza”.

Por Redação JuriNews

Fonte: jurinews.com.br

O que você achou desse conteúdo? Participe com sua Reaction abaixo:

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima