Advogada presa por injúria racial e agressão em aeroporto perde cargo na OAB

advogada presa injuria racial agressao perde cargo oab
[ Assista AQUI ] Via @portalg1 | A advogada Luana Otoni de Paula foi destituída da presidência de uma das comissões da Ordem dos Advogados do Estado de Minas Gerais (OAB-MG). A Polícia Federal (PF) prendeu a mulher em flagrante por injúria racial e agressão, depois que ela chamou o funcionário de uma linha aérea de "macaco, preto, cretino, babaca" e bateu nele.

A portaria que revogou a nomeação dela para o cargo de dirigente da "Comissão de Direito da Moda" foi publicada nesta segunda-feira (24). A medida foi assinada pelo presidente da instituição, Sérgio Leonardo.

OAB-MG revoga nomeação de advogada Luana Otoni de Paula para comissão — Foto: Reprodução

Procurada pelo g1 para um posicionamento sobre o caso, a OAB-MG não se manifestou.

Relembre

Suspeita de injúria racial foi ouvida na delegacia de Vespasiano — Foto: Henrique Campos - TV Globo

O caso aconteceu no último domingo (23), no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na Região Metropolitana. Luana Otoni de Paula era passageira de um voo que seguiu para Natal (RN), às 13h30.

Depois de apresentar o cartão de embarque, a advogada caiu no chão antes de chegar na aeronave. Para ajudá-la, um funcionário da empresa ajudou a socorrê-la e relatou que a mulher apresentava sinais de embriaguez.

O gerente operacional perguntou se a cliente precisava de atendimento médico e a convidou a se retirar do avião, respeitando os protocolos da aviação civil, referente à segurança aérea, e explicou que a passageira precisaria ser realocada em outro voo.

Segundo o boletim de ocorrência, quando o funcionário da Azul retirou os pertences de Luana, ela tentou agredi-lo, dizendo que ele era "macaco, preto, cretino, babaca". A mulher também falou que ele estaria feliz por desembarcar uma patricinha e, em seguida, chutou e socou o homem.

Suspeita de cometer injúria racial após ser ouvida pela Polícia Civil em Vespasiano — Foto: Henrique Campos - TV Globo

Outro funcionário da companhia tentou conter a cliente e também foi xingado. A Polícia Federal (PF) foi chamada, deu voz de prisão à suspeita e a conduziu até a base da Polícia Militar (PM).

Para a PM, Luana contou que apenas obedeceu ao funcionário da empresa e que teria tropeçado ao entrar na aeronave. Ela alegou que não poderia perder o voo por motivos profissionais, que se exaltou e saiu de perto dos envolvidos.

Já a Azul informou que "repudia veemente qualquer tipo de ofensa ou agressão aos Clientes e seus Tripulantes, sendo certo que serão adotadas as medidas cabíveis".

Assista e comente no Instagram:

Por g1 Minas — Belo Horizonte
Fonte: g1

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima