Internautas acusam youtuber infantil de apologia ao n4z1sm0. Entenda

internautas acusam youtuber infantil apologia nazismo
Via @metropoles | Ronaldo Souza, conhecido como Gato Galáctico, um dos youtubers mais populares do Brasil entre o público infantil, postou uma foto em suas redes sociais, nessa quinta-feira (27/6), que deu o que falar.

Na imagem, Ronaldo aparece bebendo um copo de leite cru, com a legenda: “Podemos descriminalizar o leite cru também? Não faz o menor sentido ser ilegal”.

A postagem veio após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que descriminalizou o porte de maconha para uso pessoal.

Post polêmico de Gato Galáctico no X

No entanto, os internautas apontaram a publicação como algo além de uma alfinetada à descriminalização. Gato Galáctico foi acusado de fazer referência a um “apito de cachorro”, termo usado para descrever mensagens com conotações racistas, xenofóbicas ou discriminatórias que são sutis ou codificadas.

Apesar de parecerem inofensivas para a maioria das pessoas, essas mensagens são compreendidas por grupos supremacistas e neonazistas como uma forma de comunicação dissimulada.

O leite cru seria um desses códigos entre supremacistas brancos. Gato Galáctico nega de forma veemente que este tenha sido seu objetivo.

Internautas acusaram Gato Galactico por apologia ao nazismo

Vale lembrar também que a venda de leite cru é proibida no Brasil desde 1969, devido aos riscos à saúde pública, o que tornou ainda mais peculiar a defesa pública de Ronaldo a favor da “descriminalização” da bebida.

Em outra postagem, que também causou polêmica, o youtuber comemora a vinda de seu segundo filho. Um seguidor comenta que Ronaldo é o “salvador da raça”. O Gato Galáctico, por sua vez, respondeu com um emoji batendo continência. Os internautas também consideraram a resposta como racista.

Post chamando Gato Galactico de “Salvador da raça” foi interpretado como racismo

Treta entre youtuber infantil e Felipe Neto

A situação se intensificou após o influenciador Felipe Neto publicar um tuíte comparando o álcool e a maconha.

“Álcool mata muito mais que maconha. Álcool vicia muito mais q maconha. Álcool destrói muito mais famílias. Álcool é 114 vezes mais letal que a maconha.”

Em resposta, Gato Galáctico retrucou chamando Felipe de “Lúcifer”.

“Disse Lúcifer enquanto esfregava as mãos, revelando a maldade do que acabara de pronunciar.”

A resposta de Felipe não tardou, e ele criticou duramente Ronaldo por sua postagem com o copo de leite.

“O cara postou foto bebendo leite e usando camisa verde (procure saber a relação disso com movimentos de supremacia branca). E bateu continência para um sujeito que disse que ele é ‘salvador da raça’. Não dá pra ficar mais claro que isso’”, publicou.

Leite e a supremacia branca

O uso do leite como símbolo da supremacia branca não é recente. Segundo a professora Andrea Freeman, da Escola de Direito Richardson da Universidade do Havaí, a primeira associação foi feita em 1920, pelo Conselho Nacional de Laticínios dos Estados Unidos.

Em um panfleto, o órgão afirmava que pessoas que usavam quantidades generosas de leite em seus produtos – geralmente pessoas brancas – eram “progressistas na ciência e em todas as atividades do intelecto humano”.

De forma similiar, em 1933, a História da Agricultura do Estado de Nova Iorque declarou que as raças que consumiam muito leite eram mais fortes física e mentalmente, se tornando a mais resistente.

“De todas as raças, os arianos parecem ter sido os que mais bebiam leite e os que mais usavam manteiga e queijo, um fato que pode, em parte, explicar o rápido e elevado desenvolvimento desta divisão dos seres humanos.”

A professora Andrea Freeman ainda explica que a relação entre a raça branca e o leite remonta das oringes dos países escandinavos – Dinamarca, Suécia e Noruega.

“Embora a maior parte do mundo não consiga digerir leite de uma forma confortável, uma parte da população branca, originária dos frios países escandinavos, onde beber leite de outras espécies era uma ferramenta de sobrevivência, consegue digeri-lo com facilidade”, escreveu a estudiosa em crítica de raças no artigo “Leite, um símbolo do ódio neonazista” (Milk, a symbol of neo-Nazi hate, em inglês).

Repercussão

No X, o assunto ficou entre os mais comentados da rede social. Diante da repercussão negativa, muitos internautas começaram a questionar as intenções por trás da postagem de Gato Galáctico.

Num primeiro momento, o youtuber não respondeu diretamente às acusações de estar utilizando um “apito de cachorro”.

Em vez disso, ele aproveitou a visibilidade da postagem para divulgar uma mensagem religiosa: “Aproveitando que este post bombou, gostaria de proclamar que Cristo é Rei e Ele ama você. Ad Maiorem Dei Gloriam.”

No entanto, nesta sexta-feira, Gato Galactico se pronunciou no X, deixando claro que tudo não passou de um mal-entendido.

“Ontem, fui alvo de críticas por beber leite cru e supostamente fazer associações a mensagens de supremacia. Isso é uma mentira absurda. Abomino o nazismo e todas as formas de autoritarismo e violência. Não tenho envolvimento com grupos supremacistas, tampouco neo-nazistas.

Por aqui, defendemos a paz e em nome dela e do bem-estar da minha família, que está sendo afetada por essa situação, e de qualquer pessoa que possa ter se sentido ofendida, irei remover a publicação. No meu canal, temos um compromisso diário com a mensagem que é transmitida a todos que nos acompanham e em hipótese alguma permitirei a disseminação de informações falsas.

Agradeço ao carinho e compreensão de todos.”

Por Giovanna Estrela e Madu Toledo
Fonte: metropoles.com

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima