Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Confira uma lista top de 5 personagens de séries jurídicas para você se inspirar – e um para evitar

goo.gl/sH5Cdg | Para o profissional ou estudante de Direito, hoje em dia existem diversas opções de séries jurídicas na televisão, a maioria delas de alta qualidade. Além dos roteiros inteligentes e personagens complexos, as séries também mostram dramatizações de ambientes jurídicos, que podem servir de inspiração para quem trabalha na área.



Os seus protagonistas geralmente são profissionais dispostos a tudo para vencer suas causas e, com sua dedicação ou persistência, conseguem vencer até os casos mais difíceis. Assim, separamos alguns grandes personagens jurídicos da televisão atual, que podem servir como modelo para o advogado ou o estudante de Direito. E, para efeito de comparação, também destacamos um MAU exemplo.

Vamos conhecê-los?

FIGURAS INSPIRADORAS…

1) Alicia Florrick (Julianna Margulies) – The Good Wife



Exibido no Brasil pelas emissoras Fox Life e Universal Channel, The Good Wife conta com seis temporadas. Sua protagonista é Alicia Florrick, uma esposa e mãe que, após um escândalo sexual envolvendo seu marido, precisa retomar sua carreira de advogada. Mesmo enfrentando uma humilhação pública, Alicia consegue trabalhar em um dos melhores escritórios de advocacia de Chicago, onde mostra força e persistência para se reerguer e construir uma grande carreira.

Além da grande personagem na figura de Alicia, que rendeu dois Emmys e um Globo de Ouro à sua intérprete, a atriz Julianna Margulies, a série também é um retrato fiel dos bastidores do Direito.

 2) Annalise Keating (Viola Davis) – How to Get Away with Murder



How to Get Away with Murder é um suspense que conta a história de um grupo de estudantes de Direito liderados pela brilhante e misteriosa professora Annalise Keating, que está envolvida numa trama de assassinato e conspiração. A protagonista, defendida pela atriz Viola Davis, é uma mulher combativa, inteligente, segura e estratégica, e que não espera menos de seus alunos, como uma grande professora de Direito Penal.

Exibida no Brasil pelo Canal Sony, a série estreou no ano passado e completou sua primeira temporada, de apenas 15 episódios. Perfeita para uma maratona no fim de semana, enquanto a segunda temporada não chega, não é?

3) Mike Ross (Patrick J. Adams) – Suits



Como seus pares nesta lista, Mike Ross é um sujeito que nasceu para exercer a profissão de advogado, mas com um detalhe: ele não é formado em Direito. Mesmo assim, ele é contratado pelo renomado advogado veterano Harvey Specter para trabalhar em seu escritório, por conta de sua memória fotográfica e talento para advogar. Harvey, vendo grande potencial em Mike, decide atuar como seu mentor.

A série, que, no Brasil, é exibida pelo Space, se divide entre drama e humor, e mostra bem o competitivo universo corporativo jurídico, e o talento e perspicácia de Mike para sobreviver neste mundo. Conta com cinco temporadas até o momento.

 4) Patty Hewes (Glenn Close) e Ellen Parsons (Rose Byrne) – Damages



Uma das séries jurídicas mais elogiadas e premiadas dos últimos anos, Damages conta a história da poderosa advogada Patty Hewes, famosa por se envolver em grandes casos, e sua nova protegida, Ellen Parsons. No início, Patty se mostra uma profissional implacável, porém, aos poucos, ela e sua pupila começam a desenvolver uma grande rivalidade, e Ellen se mostra uma adversária mais perigosa do que Patty imaginava.

Damages estreou em 2007 pelo canal FX, nos EUA, e durou cinco temporadas. Cada uma delas contava a história de um grande caso jurídico recente, com uma intrigante narrativa não-linear, como um quebra-cabeças montado ao longo dos episódios. A série é um retrato das dinâmicas de poder que ocorrem, em especial, dentro das grandes corporações jurídicas.

 5) Alan Shore (James Spader) – Boston Legal



Introduzido, primeiramente, na última temporada da série The Practice, o advogado Alan Shore foi o protagonista do spin-off Boston Legal, que foi ao ar entre 2004 e 2008 na rede americana ABC (no Brasil, era exibida pela Fox como Justiça sem Limites). Com um forte senso moral, Alan era o campeão dos menos favorecidos, e lutava por suas causas. Ele também nunca se levava muito a sério, era adepto de meios não ortodoxos para conseguir vencer e tinha pânico de palhaços.

Independente disso, Boston Legal foi uma das séries jurídicas de maior audiência da última década, enquanto Alan se tornava uma das figuras mais memoráveis, graças à atuação de Spader. A série foi uma criação de David E. Kelley, um dos reis dos dramas jurídicos televisivos, sendo responsável por outros clássicos como Ally McBeal, Harry’s Law e a própria The Practice. Seus advogados complicados, porém eficientes, são lembrados até hoje por qualquer fã de dramas legais na televisão.

…E NÃO INSPIRADORAS

Saul Goodman (Bob Odenkirk) – Breaking Bad e Better Call Saul



Apresentado na segunda temporada da renomada série Breaking Bad, Saul Goodman logo conquistou os fãs com seu jeito divertido e expansivo. Porém, o fato é que, além de trabalhar num escritório de ambiente não muito acolhedor, Saul também tirava boa parte de seu dinheiro de atividades ilícitas, principalmente envolvendo o professor-de-química-transformado-em-traficante Walter “Heinsenberg” White e seu pupilo Jesse Pinkman. Este ano, o spin-off Better Call Saul contou a história do sujeito, no início de sua carreira na advocacia. A série, em sua primeira temporada, começou a mostrar a trajetória do inocente e bem intencionado Jimmy McGill no advogado de porta de cadeia que, anos mais tarde, viria a se envolver nas perigosas atividades de Walt e Jesse. Ou seja, um exemplo a NÃO ser seguido pelos estudantes de Direito.

Mas isto não quer dizer que as duas séries não mereçam ser assistidas: tanto Breaking Bad como Better Call Saul receberam excelentes críticas, por seu retrato complexo da moralidade. Todas as temporadas das duas estão disponíveis na Netflix, e pedem por uma boa maratona nas férias de julho.

Fonte: Blog Juris Correspondente