Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Promotor de Justiça de São Paulo diz que desembargadora tem cara de empregada

goo.gl/sV5Z9l | Mesmo depois de já ter sido punido por isso, o promotor de Justiça Rogério Zagallo voltou ao Facebook para escrever insultos preconceituosos. Neste domingo (8/1), disse que uma desembargadora do Tribunal de Justiça do Amazonas tem cara de empregada doméstica.

O comentário foi feito num post do advogado Caio Arantes. Ele compartilhou em sua página na rede social uma notícia sobre a desembargadora Encarnação das Graças Salgado. O texto, do jornal O Estado de S. Paulo, reproduz uma acusação de que ela é ligada a uma facção criminosa. E Zagallo comentou: “Pela carinha, quando for demitida poderá fazer faxina em casa. Pago R$ 50,00 a diária”.

Rogério Leão Zagallo é o promotor titular do 5º Tribunal do Júri de São Paulo. É o responsável, portanto, por representar a sociedade em casos de crimes contra a vida. E não é a primeira vez que ele publica comentários de cunho racista no Facebook.

Em dezembro de 2014, ele foi suspenso por 15 dias depois de ter postado uma mensagem considerada ofensiva pelo Conselho Nacional do Ministério Público. Em junho de 2013, quando as ruas de São Paulo foram tomadas por protestos contra o aumento do preço das passagens de ônibus, Zagallo os chamou de bugios, uma espécie de macaco, e pediu que a Tropa de Choque da Polícia Militar os matasse.

“Estou há duas horas tentando voltar pra casa, mas tem um bando de bugios revoltados parando a Avenida Faria Lima e a Marginal Pinheiros”, postou em sua página. “Por favor, alguém poderia avisar a Tropa de Choque que essa região faz parte do meu Tribunal do Júri e que se eles matarem esses filhos da puta eu arquivarei o inquérito policial.”



“Petistas de merda”, arrematou, para concluir: “Que saudades da época em que esse tipo de coisa era resolvida com borrachada nas costas dos merdas”.

Quando julgou um recurso de Zagallo contra a punição, o CNMP considerou a conduta do promotor “de todo inaceitável”.

Clique aqui para ler o acórdão do CNMP

Por Pedro Canário
Fonte: Conjur

6 comentários :

  1. Anônimo9/1/17 11:17

    Atitude esdrúxula de quem deveria dar o exemplo. Mas, convenhamos que, a falta de caráter independe da classe social ou do nível de escolaridade do indivíduo. O IRMP, Rogério Zagallo, sendo conhecedor e aplicador das leis deveria respeitar o próximo, principalmente por se tratar de uma desembargadora, que está em um aposição bem acima da dele, e deixar de proferir palavras e expressões humilhantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perdoe-me pela manifestação de pensamento supramencionada, IRMP. Caso o tenha ofendido não era esta a minha intenção. Sorte em sua caminhada e se acreditas em Deus, que Ele o acompanhe em sua jornada!

      Excluir
  2. Anônimo9/1/17 13:19

    Deveríamos ficar indignados com essa vagabunda que acoberta bandido, promotor ela tem cara de bruxa que perdeu a vassoura, nao disse nada demais disse daria emprego a eka parem ele rem bom coração. Quanto a borracha na ptzada ele tava certo lá tras promotor vc ten meu apoio borrachafa e pouco teria de ser EL PAREDON

    ResponderExcluir
  3. Cê tem página no facebook? Muito bom esse site...

    ResponderExcluir
  4. Tem gente que é tão ignorante né? Olha só, desembargador não está acima de promotor não, nem de promotor nem de advogado, viu? Não opine sem saber! Não há hierarquia entre advogados, promotores e juízes. No mais, tanto essa desembargadora quanto esse promotor são uns medíocres, cada um pelo seu motivo (uma por ser larápia, e o outro por ser um desbocado preconceituoso). Além disso, quanta gente pobre de espírito ofendendo essa senhora pelas características físicas dela, o que ela tem de mais feio é sua falta de caráter. Até porque não devemos julgar os outros pelas suas características físicas. Hipócritas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir

Agradecemos pelo seu comentário!