Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Jovem é presa ao se passar por advogada para tirar dinheiro de clientes em falsas ações

goo.gl/oGqGKm | Uma jovem de 26 anos foi presa nesta quinta-feira (15) em Sertãozinho (SP) por suspeita de se passar por advogada para obter dinheiro de clientes em falsas ações judiciais. Segundo a Polícia Civil, Daiane Aparecida Pacheco teria aplicado golpes em diferentes cidades da região.

De acordo com o delegado Targino Osório, responsável pelo caso, a mulher foi presa no escritório dela e será indiciada por estelionato. A polícia não divulgou uma estimativa do prejuízo que ela teria causado às vítimas. Algumas pessoas relatam que chegaram a pagar R$ 8 mil pelos processos.

A defesa da suspeita não foi localizada para comentar o assunto.

Denúncia


A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) instaurou inquérito para apurar a farsa depois que uma mulher denunciou a suposta advogada. A vítima, moradora de Barrinha (SP), desconfiou das solicitações de depósitos em dinheiro feitos para cuidar de um pedido de aposentadoria no INSS.

“A vítima já tinha dado cerca de R$ 8 mil pra essa moça e não tinha acontecido nada até hoje. Ela [a advogada] havia mandado algumas mensagens via Whastapp para que mandasse no dia de hoje mais R$ 1,5 mil. Seriam referentes a uma taxa paga na Receita Federal”, afirma Osório.

Segundo o delegado, a mulher esteve na tarde desta quinta-feira no escritório da suspeita, mas acompanhada de um policial disfarçado. Desconfiada, a advogada chegou a dizer que não poderia receber o valor combinado e que desistiria do caso.

“O policial questionou sobre o registro da OAB. Ela ficou confusa e os policiais entraram e acabaram prendendo essa moça. Foi constatado que ela realmente não é advogada.”

No escritório em Sertãozinho, onde atuava há dez dias, foram apreendidos dinheiro e documentos de pessoas que podem ter sido enganadas pela suspeita. De acordo com Osório, Daiane manteve outro escritório por dez meses em Barrinha.

Após a prisão, dezenas de moradores compareceram à delegacia em Sertãozinho para relatar que foram vítimas da falsa advogada.

Uma das mulheres, que prefere não se identificar, diz que entregou R$ 3 mil à suspeita e que por pouco não passou um terreno para o nome dela. O imóvel seria o pagamento de honorários por uma ação referente a problemas com uma loteadora. Segundo a vítima, a advogada informou que havia vencido a causa.

A dona de casa Darci Araújo Santos diz que chegou a abrir uma conta bancária no Banco do Brasil a mando da advogada para receber uma indenização. “Eu gastei R$ 3,4 mil. Ela falou que a loteadora ia depositar R$ 105 mil na minha conta.”

A polícia vai investigar a participação de outras pessoas no esquema.



DIG em Sertãozinho, SP, ficou cheia de clientes da falsa advogada nesta quinta-feira (15) (Foto: Reprodução/EPTV)

Por Jornal da EPTV 2ª Edição
Fonte: g1 globo

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!