Acompanhe o novo site direitonews.com.br

Professor de Direito da USP defende ditadura, e alunos protestam - assista!

Um comentário

O discurso intitulado "Continência a 1964", escrito e lido por um professor da faculdade de Direito da USP durante uma aula, motivou protesto de estudantes do curso na segunda-feira (31).


Um vídeo (veja abaixo) que mostra o discurso e a consequente manifestação dos alunos foi compartilhado por mais de 4.500 pessoas no Facebook em 12 horas. O vídeo foi feito pela estudante Junia Lemos.

No vídeo, o professor Eduardo Gualazzi lê parte do seu discurso ("A História informa que as tiranias vermelhas terminaram afogadas num Holocausto de sangue e corrupção total") quando estudantes começam a bater na porta da sala de aula e a gritar, simulando sons de uma cena de tortura.



"No dia em que a gente está fazendo atos de memória pela resistência à ditadura, não podemos deixar um professor falar sobre um regime que infringiu os diretos humanos comprovadamente", disse.

Camila Sátolo diz que o grupo que mobilizou os estudantes, chamado coletivo Canto Geral, pretende entregar o discurso do professor –impresso em papel timbrado da faculdade e registrado em cartório– à comissão de ética da USP.

A estudante Érica Meireles, 23, participou do ato e repreende a atitude do professor. "Os estudantes tinham que se organizar para mostrar uma opinião contrária. Ele não poderia simplesmente entregar aquele material, referente a um período em que a gente sabe que não havia um Estado democrático de direito", diz. Segundo as estudantes, o professor deixou a sala no meio do ato e não voltou para continuar a aula.

Fonte: Folha

Um comentário

  1. Um auto-exorcizado dos instintos animais que não tem mais ideologias não torce para nenhum dos dois lados nesta ocorrência ( ver artigo e video com links abaixo). Porem, com certeza a USP consome ao menos algum centavo do dinheiro publico, quer dizer, do meu dinheiro. E isto me obriga a entrar na ocorrência. Nao admito que nenhum professor onde meu dinheiro esta sendo consumido desperdice o tempo de aula onde deve ser ensinado apenas a materia especifica, para falar a favor ou contra qualquer ideologia, politica, religiao, minorias, etc. este professor tem que ser punido com uma suspensão de no minimo 6 meses e uma multa para me devolver o dinheiro gasto.

    Mas temos tambem que sempre vigiar e criticar onde se expressam os instintos animalescos tendentes a grandes e medios predadores e presas, para elevar a humanidade ‘a sua transcendencia. Ou seja, onde o instinto predador se expressa – como no caso deste debil mental ainda animalizado, com diploma – temos que nos vestir de presa e contra-atacar com seu discurso; onde o instinto de medio predador se expressa geralmente pela ideologia comunista que seria o governo pelas presas, temos que nos vestir de predador e contra-atacar seu discurso. Entao vamos contra-atacar o discurso deste predador?

    Simples. Se a escola não expulsa-lo, os alunos devem se retirar da classe quando esse extremado conservador do instinto predador herdado dos animais carnívoros entrar… Eu apenas lhe faria uma pergunta: ^Mostre a algum calo nas maos ou prove que alguma vez na vida produzistes algum dos produtos de e necessidade básica que consumistes, alem de tudo que voce vampirizou dos pobres e deve sua vida, seu diploma e tudo mais a eles….

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!