Fim do Exame de Ordem na advocacia prejudicará mais o cidadão do que o Advogado

100 comentários
goo.gl/80l9eX | Fosse uma piada de mau gosto, já seria um ato de desrespeito à profissão. Mas o parecer de um deputado federal favorável a projetos de lei que extinguem a necessidade do Exame de Ordem para a prática da advocacia, e no Dia do Advogado, é muito mais do que isso: trata-se de um ataque frontal às garantias fundamentais dos cidadãos travestido de boa ação e embalado em um discurso demagógico.

O que habilita o bacharel a advogar é o Exame de Ordem. Até que se encontre um filtro melhor para aferir a capacidade mínima de um bacharel, o Exame tem de continuar em vigor. Pelo bem da própria sociedade. O advogado recebe do cliente uma procuração que lhe dá poderes para lidar com o que há de mais precioso na vida das pessoas: o patrimônio, a liberdade e a vida.

Apesar de na maioria dos casos exercer seu ofício na esfera privada, o advogado tem responsabilidades públicas claras. E é a única categoria contemplada pela Constituição Federal como indispensável para que se alcance a justiça: “O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei”.

A norma constitucional inscrita no artigo 133 da Carta Magna não serve de pedestal aos advogados. No lugar de ser um bônus, a regra traz grandes responsabilidades. O advogado deve, mais do que simplesmente exercer uma profissão, fiscalizar o Poder Judiciário e buscar a justiça. A despeito do que se possa imaginar, a profissão não tem mero caráter mercantil.

Só isso já seria motivo suficiente para que um exame de proficiência seja aplicado para aferir a capacidade de quem quer exercer a advocacia. Mas há mais. Existem hoje, no Brasil, mais de 1,5 mil cursos de Direito em funcionamento. Milhares de bacharéis saem dos bancos das faculdades todos os anos, formados sabe-se lá com que valores, pois a fiscalização desses cursos deixa muito a desejar.

Fato é que não há fiscalização efetiva da qualidade dos cursos jurídicos. São conhecidas as histórias de cursos que “alugam” bibliotecas antes de se submeterem ao crivo do Ministério da Educação e, depois de aprovados, devolvem a biblioteca aos donos de fato. Mais bizarra ainda foi a descoberta, anos atrás, de um curso que ministrava aulas noturnas a futuros bacharéis no plenário onde, durante o dia, os vereadores de uma determinada comarca se reuniam.

É chocante o descompasso entre a qualidade do ensino e as reais necessidades do país. O ensino jurídico não qualificado compromete não apenas a formação dos operadores do Direito, mas fere de morte a garantia de que cidadãos serão bem assistidos.

O Exame de Ordem impede que a fraude do ensino jurídico — ou, como preferem alguns, o estelionato educacional —, ganhe as ruas e faça vítimas entre cidadãos que necessitam de boa orientação quando depositam suas esperanças na Justiça.

A criação do Exame de Ordem decorreu diretamente do artigo 5º, inciso XIII da Constituição Federal, onde se fixa que “é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer”.

A Lei 8.906, de 1994, também conhecida como Estatuto da Advocacia, estabelece as regras da profissão e, contestada, já foi declarada constitucional por unanimidade pelo Supremo Tribunal Federal. Os juízes da mais alta corte de Justiça do país afirmaram que a advocacia pode trazer prejuízos graves a terceiros, razão por que o legislador fica autorizado a instituir o Exame para medir a qualificação para o exercício profissional.

A decisão do Supremo foi tomada há apenas três anos, revelando que o exercício da advocacia não é um assunto apenas dos advogados. Ele ultrapassa os interesses de quem exerce a profissão. O Exame de Ordem deve ser tratado como política de Estado, que não serve de moeda de troca de interesses políticos menores. Seu fim implicará em prejuízo para todos os cidadãos — mais do que para os próprios advogados.

Isso fica claro nas palavras do relator do processo no STF, o ministro Marco Aurélio. “Justiça é bem de primeira necessidade. Enquanto o bom advogado contribui para realização da Justiça, o mau advogado traz embaraços para toda a sociedade”, disse o magistrado. Mais claro do que isso, nem desenhando.

Por Juliano Costa Couto
Fonte: Conjur

100 comentários

  1. Então o que dizer de Advogados com a sua devida inscrição na OAB fazendo barbaridades com a vida alheia? Será que um profissional assim está realmente preparado para exercer o ofício? É uma prova que irá fazer a diferença ou a prática, o dia a dia que irá mostrar a sua competência? É bom pensar nisso também. Não é pelo fato de não consegui passar no exame que é menos competente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas pelo menos é uma forma de filtrar, mesmo que, como citado no texto, não seja ainda a mais eficaz

      Excluir
    2. Não é a OAB que tem que dizer se o cara é bacharel de direito, só a Universidade pode dar grau e título acadêmico. A OAB cresceu muito em poder e já se acha um orgão federal, mas na verdade é só um conselho de classe onde tem gente muito poderosa.

      Excluir
    3. Não é a OAB que tem que dizer se o cara é bacharel de direito, só a Universidade pode dar grau e título acadêmico. A OAB cresceu muito em poder e já se acha um orgão federal, mas na verdade é só um conselho de classe onde tem gente muito poderosa.

      Excluir
    4. Anônimo3/4/17 13:50

      A OAB não habilita nenhum advogado porque se isso fosse verdade então não precisava de fazer faculdade era só fazer a prova da OAB então!

      Excluir
    5. Anônimo3/4/17 14:39

      Vamos parar com essa palhaçada de achar que uma prova vai fazer filtro de alguma coisa, sendo assim todos os políticos também deveriam fazer prova para demonstrar suas capacidades de governar, e não existe competência no que estão fazendo com esse país.
      E todos sabem que essa prova é de interesse financeiro, milhões de "cursos" lucram grandes empresários aparecem.
      Nenhuma discussão vazia irá modificar tamanha arrecadação que essa prova têm.
      Já que é apenas para filtrar o "saber jurídico" do profissional porque a inscrição não se torna mais barata, um valor simbólico.

      Excluir
    6. Sou a favor de provas para todos os conselhos de todas as profissões, Não concordo em só a OAB ser obrigatório, ou é obrigatório uma prova para todos os profissionais em seus respectivos conselhos ou não é obrigatório para ninguém

      Excluir
    7. O exame da OAB não mede qualidade do profissional, muitos juízes reclamam de advogados por não serem competentes, erram em processos, em audiências, não sabem utilizar o material jurídico de forma correta. Fora que a maioria dos professores não concordam com esse exame, que para eles deveria ser reformulado.

      Excluir
    8. E o quê dizer das barbáries de certos "medicos", estes sim deveriam fazer no mínimo 2 provas para comprovar sua capacidade para lhe dar com VIDAS.

      Excluir
    9. Também faço esta pergunta. Em processo que um Advogado, foi meu patrono, este colou e copiou uma peça. Pasmem, não era o objeto da ação. Portanto, não o Exame, que aferi quem é ou não profissional.

      Excluir
    10. juiz tem que reclamar de que? eles n olham o processo, fazem perguntas bestas, demoram para marcar as coisas, ficam protelando o processo, atrasam o processo, e decretam sentenças e decisões absurdas, principalmente no JESP

      Excluir
    11. Concordo plenamente com a sua observação, e digo mas que hoje o exame da ordem é na verdade uma máquina de arrecadar dinheiro.

      Excluir
  2. Arranjam desculpas só para roubarem dinheiro para essa associação infeliz de roubar dinheiro e destruir sonhos dos futuros bacharéis. CAÇA NÍQUEL E RESERVA DE MERCADO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas palavras dao de gente que não tem capacidade de fazer uma boa prova, so deve ter passando colando na faculdade e agora não consegue passar na prova, as pessoas so passam nesse exame quando se dedicam de verdade e so por suas palavras já mostra o profissional borro de merda q você seria

      Excluir
    2. Ta aí uma coisa que não concordo jamais, eu sou engenheiro inscrito no CREA, não precisei fazer prova alguma para isso, e também sou "bacharel em direito", eu trabalha em uma grande multi-nacional de produção de açúcar e álcool, o que me colocou nesta industria não foi nenhuma prova, foi minhas habilidades herdadas por anos, mas deixa eu fazer alguma besteira na minha profissão se eu não sou penalizado civil e criminalmente, a chamada ART faz isso fácil, agora o que adianta essa prova de merda que não representa conhecimento de porra nenhuma, sendo que milhares de advogados de bosta com sua inscrição na ordem fazem merda na vida de milhares de pessoas e se quer são responsabilizados, e outra, estão dizendo em filtro de mercado são mais ignorantes que pensei, o verdadeiro filtro de mercado é a competência do profissional, se você for bom no que faz com certeza terás muitos clientes, se for um advogado de merda vai passar fome com certeza, e larga de falar asneira, o verdadeiro motivo dessa prova é unica e exclusivamente financeira.

      Excluir
    3. Falou corretamente Unknown concordo com você em gênero e grau. O que preocupa é a perda financeira nada mais. Conheço advogado de renome que é uma negação perde prazo e tudo mais o cliente fica prejudicado e a OAB simplesmente não faz nada.

      Excluir
    4. OAB 27 ANOS INEXISTÊNCIA!
      Seu único decreto de criação 19408 ART 17 foi expressamente revogado no todo e permanente por decreto presidencial 11/91anexo IV.
      Eu não acreditava e realmente consultei o decreto e foi revogado.
      OAB não existe, advogados não tem entidade de classe profissional.

      Excluir
    5. CONCORDO COM VC JOSE FELIZMENTE A FAMIGERADA MORREEEEUUUUUU E OS IDIOTAS ACHAM QUE É MENTIRA...

      Excluir
  3. Fazem cursos de merda e depois não dão conta de passar numa avaliação dos conhecimentos que deveriam ter aprendido. ..... Façam-me um favor..... vão estudar e parem de chorar! !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma prova não pode medir o conhecimento de ninguém. Tem gente que repete várias vezes e até fica anos para conseguir passar nessa prova e acaba conseguindo. Só do advogado ter a carteira não significa que ele vai ser um bom advogado. Você não tem como saber quem é mais capacitado. O problema no Brasil é a educação em geral. Não deveriam deixar qualquer faculdade dar um curso tão importante quanto o de Direito. A fiscalização deveria começar por aí. Meu pai foi advogado, promotor e atualmente procurador de justiça e nunca teve que fazer OAB pois antes não se exigia. Ele não é menos capacitado do que aqueles que a possuem, te garanto isso.

      Excluir
    2. Olha só seu modo de falar.... Com certeza o Sr. não é um advogado, ou é? Se for precisa ser reavaliado. Não aprendeu o que deveria ter aprendido em uma faculdade de direito. Ética é tudo.

      Excluir
    3. Concordo que a prova da OAB não qualifica nenhum profissional, pois o curso de Direito é o único que exige esta prova de qualificação, além de termos que elaborar um TCC ainda nos impõe a gastar ainda mais dinheiro com estas provas ridículas. Um bom profissional se faz pelo comportamento e empenho de quem ama a profissão escolhida, e não uma prova de 80 questões. Eu apoio o fim desta maldita prova. A capacidade do profissional não está na prova da OAB e sim a OAB é só uma forma de ganhar dinheiro nas costas de uma profissão.

      Excluir
    4. Eu também concordo com seu ponto de vista,agora pra quê duas provas? Acho que uma seria suficiente.

      Excluir
    5. Eu também concordo com seu ponto de vista,agora pra quê duas provas? Acho que uma seria suficiente.

      Excluir
  4. Por que só essa profissão exige que depois de estudar anos o Bacharel em Direito terá ainda que fazer uma prova para provar que está apto a exercer sua profissão? As demais, com exceções raríssimas não o exigem. Mas o certo é, que tal prova não qualifica o profissional. Tantos advogados cometendo horrores por aí. O que precisa mesmo é a vocação e o preparo para o exercício de tão importante profissão!

    ResponderExcluir
  5. acho que deveriam era avaliar as faculdades, melhor dizendo os professores em primeiro lugar, pois há muitos que estão lá simplesmente só pelo salário do final do mês. Em segundo lugar daí avaliar a capacidade dos alunos. E também avaliar aqueles advogados mais antigos, pois tem alguns que deveriam estar bem longe de ter a carteira da OAB.

    ResponderExcluir
  6. Acredito que a questão não é a PROVA, e sim os valores por ele cobrado R$ 220,00 por cada exame para quem ainda vai iniciar a profissão, é um verdadeiro absurdo. Poderia ser um numero maior de provas, mas com um custo menor e com mais frequência.
    Outra posição é que essa prova não mede o conhecimento de ninguem , pois conheço varios que passaram pelo exame, possuem a carteira e não sabem sequer elaborar uma petição de juntada. O conhecimento real de um profissão é a pratica do profissional e deveria ser avaliada através de conhecimento pratico e avaliações por magistrados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veronica, concordo plenamente com vc. Conheço jovens advogados que sequer sabem qualificar o cliente em uma petição inicial mas são muito compenetrados nos corredores dos foruns Sugiro a inscrição por um valor símbolico de R$ 20,00. Afinal é só pra aferir conhecimento do bacharel. Porque um valor exorbitante?

      Excluir
  7. Deve-se entender que exercer a profissão de advogado é mais difícil do que passar numa prova sem concorrências. Se você não tem capacidade de passar numa avaliação sobre assuntos que tem obrigação de saber, procure outra atividade profissional.

    ResponderExcluir
  8. existem países que aplicam-se provas para passar e são de primeiro mundo.

    ResponderExcluir
  9. Li todos os comentários...todos tem pós e contras... Uma prova não envolve o simples ato de marcar um x numa alternativa. Envolve nervosismo, pressão... Tudo bem que no dia a dia o advogado passa por tudo isso. Mas nesse caso é algo que defini a vida do bacharel, por isso pesa demais. Além do que muitos advogados são péssimos, sem caráter, sem etica, mas passaram na OAB, e traz embaraços também à sociedade. Não acho que uma prova avalie a competência e comprometimento de um profissional e sim suas ações enquanto exerce sua profissão. Existem alunos brilhantes, que muito estudaram, tiravam notas altas, mas não passaram na OAB, infelizmente. O que ocorre, é que são tantas as faculdades e turmas do curso de Direito, com muitos alunos... E como fazer para colocar todos para trabalhar de uma vez só na sociedade? Será que comporta tantos advogados???? Aí que mora o x de verdade... Fora a arrecadação com as inscrições...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos fazem a prova e passam por baixo dos panos... Tem que extinguir esse exame e avaliar o bacharel na prática aí sim o cliente poderá ter a segurança se seu advogado é competente ou não....

      Excluir
  10. Esse exame tem que acabar isso .. Não é um simples exame que da capacidade a um bacharel remetente exercer a profissão eu me formei em 2004 prestei 8 exames e até hj trabalho na área jurídica sem o a. . Faço tudo que um advogado faz menos assino e audiência . Isso não me faz ser melhor ou pior... acredito que esse exame não o assa de uma forma de levantar dinheiro.. Não é um X que faz o bacharel ser nelhor ou pior.. nas o ne recado aproveita muito disso e prejudica e discrimina o profissional sem a oab. ..

    ResponderExcluir
  11. Essa prova deveria ser gratuita...

    ResponderExcluir
  12. Acho que a prova deve continuar, sim. Não só para o curso de Direito e sim para outros Cursos que definem a vida das pessoas. Existe um interesse muito grande na continuação do exame, não para capacitar os alunos recém formados e sim no interesse da instituição continuar lucrando, e melhor...sem prestar contas. Isso sim deveria ser avaliado. Se a prova fosse realizada de maneira honesta, não haveria este dilema.

    ResponderExcluir
  13. hoje vemos vários advogados defendendo ferrenhamente o exame da ordem puramente como reserva de mercado, pois se muitos desses fervorosos defensores fizessem o exame de ordem nos moldes que hoje é feito será que todos seriam aprovados?

    ResponderExcluir
  14. Todos os comentários são válidos e relevantes, a verdade é que eles não querem perde o dinheiro fácil dos bacharéis, e vem com essa de prejudica os cidadãos,.o estatuto por si só tem mecanismo pra elimina os não capacitados pra advocacia, aí sim nesta fases deve este advogado fazer prova e sem ter que pagar. Ou seja só ficará no mercado os melhor, pois, a sociedade por si só eliminará os incompetente. Eu sou a favor

    ResponderExcluir
  15. Fim do Exame de Ordem para a prática da advocacia prejudicará mais o cidadão do que o advogado, concordo com o titulo. Poderia ter algumas alterações, como por exemplo o MEC, poderia ordenar e aplicar o EXAME, e não a OAB, outra a OAB deixaria de ser uma entidade SUI GENERIS, e suas contas passaria pelo crivo do TSU, outra as eleicoes para presidente a OAB, poderia ser de outra forma, assim as coisas começariam a andar para o lado certo.
    Abs.

    ResponderExcluir
  16. Anônimo3/4/17 09:02

    O exame é um golpe constitucional para manter o controle do exercício pelo país. Sou a favor pelo fim do exame por inúmeros motivos...um deles é a farsa da OAB...

    ResponderExcluir
  17. Anônimo3/4/17 14:40

    Vamos parar com essa palhaçada de achar que uma prova vai fazer filtro de alguma coisa, sendo assim todos os políticos também deveriam fazer prova para demonstrar suas capacidades de governar, e não existe competência no que estão fazendo com esse país.
    E todos sabem que essa prova é de interesse financeiro, milhões de "cursos" lucram grandes empresários aparecem.
    Nenhuma discussão vazia irá modificar tamanha arrecadação que essa prova têm.
    Já que é apenas para filtrar o "saber jurídico" do profissional porque a inscrição não se torna mais barata, um valor simbólico.

    ResponderExcluir
  18. Anônimo4/4/17 00:12

    Vão estudar comer livro e gastar caneta,pois foi assim que eu consegui!!

    ResponderExcluir
  19. Anônimo4/4/17 00:24

    Realmente precisamos do exame, OK! Agora e os advogados que se formaram antes da lei e não prestaram exame, será que hoje eles conseguiriam faze-lo? Infelizmente é necessário o exame, porém de forma honesta, sem pegadinhas para desmotivarem os alunos e ao meu ver o fato do exame ser absurdamente caro. São três por ano no valor altíssimo, isso sim deveria ser reavaliado. Sejamos claros, é necessário.. é sim, mas o valor do exame é abusivo.

    ResponderExcluir
  20. Anônimo4/4/17 00:34

    Acredito que muita coisa tem que ser revista.

    Querem continuar com a prova da OAB?

    Ok! Façam ela DE GRAÇA!...

    Os advogados tem responsabilidades grandes?

    E o medico não tem???

    Por que o medico, o engenheiro, o químico e tantas outras

    profissões que envolvem igualmente risco a sociedade, vida , etc, não tem prova igualmente?

    Não estamos falando da igualdade de direitos?

    Ou façam exames para todos esses ou não faça para ninguém....

    De um modo ou de outro deve haver então uma FISCALIZAÇÃO FORTE E CONSTANTE NAS FACULDADES! isso sim.....

    Outra coisa, se um medico fica dois anos como residente aprendendo pratica e isso incorporado ao curso, pq o operador de direito não pode fazer "residências" em fóruns, defensorias e afins com o intuito da pratica e assim se dispensa o exame da OAB do mesmo modo que não existe prova pra medico....?

    Tem que mudar muita coisa.... não é bem assim!

    A verdade é que há sim uma ganancia em cima do assunto... seja pelas faculdades , seja pela OAB... e isso tem que acabar....Um mero teste de OAB não prova competência de ninguém! FATO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4/4/17 21:13

      "Mero teste"? Tá de brincadeira. Muda de profissão. Entao vá ser engenheiro, médico...

      Excluir
    2. É necessário sim que se tenha o exame da ordem, e sim é um filtro que vai distinguir o bom advogado daquele que morou no bar durante as aulas, lógico que tudo na teoria meu pensamento é esse.Sou a favor do exame de ordem, e tem mais nossos políticos todos deveriam cursar Direito pra se ter uma noção de leis.

      Excluir
  21. Anônimo4/4/17 01:52

    Sou totalmente a favor da obrigatoriedade do exame da Ordem, mas da maneira como ele é feito hoje não mede conhecimento e muito menos combate o estelionato educacional. O exame hoje só visa lucro.
    A OAB em parceria com o MEC, combateria o estelionato educacional se evitasse que a cada 5 minutos uma nova faculdade de Direito fosse aberta e se fechasse as milhares de faculdade de Direito porcarias já abertas, ai, sim, faria um efetivo combate ao estelionato educacional.

    ResponderExcluir
  22. Anônimo4/4/17 21:09

    Sou totalmente a favor do exame dá OAB. Advocacia não deve ser pra qualquer um que se formou em direito, muitos por aí apenas vão na fáculdade particular só empurrando com a barriga, e depois já se acha "juízes". Tem que ter sim o o exame dá OAB. Quem tá reclamando é por que não tem capacidade de passar na prova.

    ResponderExcluir
  23. Anônimo4/4/17 21:23

    No mercado temos péssimos profissionais que passaram no exame da OAB! Imagina se o exame for extinto.

    Na minha opinião, o fim do exame só pode ter 2 objetivos: arrecadar + anuidades e para quem não consegue, entrar sem esforço.

    Antes quando tínhamos pouquíssimos cursos jurídicos tudo bem, mas atualmente temos centenas de bacharéis se formando por semestre em quase toda cidade de nosso país...é necessário separar o joio do trigo...

    Para ser juiz, para ser promotor, delegado existe concurso...um simples exame da OAB é o mínimo!
    Obs. Não passei no primeiro.

    Concordo que não seja cobrado, ou um valor menor apenas para pagar as despesas para não aparentar fins lucrativos!

    ResponderExcluir
  24. Não foi uma filha do ministro Marco Aurélio Mello (ladrão, corrupto), Letícia Mello que GANHOU UM CARGO DE DESEMBARGADOR ATRAVÉS DO QUINTO CONSTITUCIONAL ??? Sim, de fato ela ganhou ... E ganhou por causa da OAB que distribui cargos em troca de favores e, obviamente, o Marco Aurélio Mello DEVE FAVORES PARA A oab.

    Por esta razão, é evidente que ele vai apoiar a MÁFIA DA OAB. VALE DESTACAR QUE, esta Máfia NÃO PAGA IMPOSTO DE RENDA, NÃO PRESTA CONTAS DO QUE ARRECADA AO TCU, ARRECADA MILHÕES DE MANEIRA ILÍCITA ATRAVÉS DO FRAUDULENTO EXAME DE DE-ORDEM E, ARRECADA TAMBÉM ATRAVÉS DE INDÚSTRIA DO CURSINHO.

    ResponderExcluir
  25. Anônimo6/4/17 09:02

    Muitos Mimimi de quem se formou e não consegue passar na prova da OAB hahahaa em vez de ficarem chorando aqui, pq não estão estudando?

    ResponderExcluir
  26. Pura discriminação. Reserva de mercado aos q podem pagar cursinhos. A inscrição tem q ser imediata após a aprovação da faculdade. O resto é enrolação.

    ResponderExcluir
  27. Acredito que com a extinção da prova da OAB, a classes dos advogados no Brasil, perderá muito a qualidade e a competência de uma boa causa, porém, muitos fazendo Faculdade em Direito e poucos se qualificando, são 5 anos de estudos, mais muitos estão ali para aproveitar as festinha da faculdade. Vamos assumir responsabilidades de terceiros, onde o mesmo quer receber um retorno satisfatório com seu advogado. a prova da OAB é o meio de peneirar os menos capacitados para exercer a tao sonhada profissão.

    ResponderExcluir
  28. Então só devo confiar nos advogados que fizeram o exame de ordem? E os anteriores a regra não são advogados produção?

    ResponderExcluir
  29. Se a prova da OAB garante que o futuro advogado tenha competência para exercer a profissão, por que a exigência de um diploma acadêmico?

    ResponderExcluir
  30. Infelizmente esse exame ao que se vê hoje, é que se tornou apenas uma forma de captação de recursos para a OAB, que já se sente como um poder à parte, independente e que tenta impor sua vontade, interferindo na ordem constitucional. Dizer que justiça é bem de primeira necessidade é também dizer que saúde não o é e que portanto o médico é uma profissão sem qualquer importância, tal qual os dentistas, engenheiros, fisioterapeutas e etc.

    ResponderExcluir
  31. a verdade é só uma e é cruel, só MUITO BURRO não passa na provinha da OAB,que não serve nem de vestíbulo para os concursos para as carreiras mais concorridas, como MP, DP E magistratura.

    ResponderExcluir
  32. Diego Ramires28/8/17 14:45

    Excluir a necessidade do exame de ordem para advogar??
    Ridículo!!! Dizer que o exame não é um filtro, o que é então?
    Com certeza é um filtro, não com 100% de eficácia, mas sim, é um filtro.
    Se uma pessoa não foi capaz de passar no exame de ordem, sendo que este exame é exclusivamente a bateria estudada em 5 anos de faculdade, qual a preparação que esta pessoa tem para defender os direitos de outrem????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vcs acham que tem competência para advogar, passem no exame..simples.
      Eu passei!

      Excluir
    2. A teoria está nos livros. E só buscar. Mas a prática tem que ser no dia a dia. Quando vc tem um caso vc começa a buscar estudar perguntar para pessoas experientes. Daí vc vai aprendendo com o dia a dia. O que adianta um passar na OAB e sair dando golpes no cidadão. Em minha cidade tem uma advogada foragidos da Polícia pois não deu a parte do dinheiro aos clientes. Tinha inscrição Em 3 Estados. O arquiteto, médico,psicólogo,contador começam sem experiência e vai aprofundando caso a caso. Acho que o exame poderia ser a escolha de uma disciplina Dai vc faria várias etapas do naquela área e depois de ter passado seria especialista. Até prova oral deveria ter na referida matéria. Como se fosse uma residência. Eu tenho amigos que passaram no exame e não sabem fazer nada e qdo aparece algumas causas desistem e ainda perdem prazos.

      Excluir
  33. Então se for assim, os juízes e advogados que atuam antes da lei deveriam ser obrigados a fazer e passar, mas muitos não conseguiram, mesmo com anos de experiência, o que prova que essa prova não comprova capacidade de ninguém. Eu digo não à prova da OAB. Isso é um caça níqueis.

    ResponderExcluir
  34. Penso que essa prova não qualifica ninguém porque existem vários advogados fazendo coisa errada uma atras da outra trabalho num escritório de advocacia e aqui cansamos de ver clientes traZendo ação pra cá e tirando de advogados que são incompetentes então isso não tem lógica nenhuma só conversa pra boi dormir. Eu mesmo não consigo passar e estou com
    Transtorno de ansiedade é generalizada peguei isso de tanto estudar para essa prova então não sei dizer, e outra coisa essa prova não qualifica ninguém mesmo! E além do que pagamos essa prova que na minha opinião deveríamos fazer sem custo já que querem que fazemos! E já que querem essa prova então pelo menos deveria ser revista o modo de aplicação porque a primeira fase não
    Tem nada haver deveria só ter a 2 fase porque a primeira nem usamos porque se queremos saber nós vamos até consultar nos livros porque não somos máquina e não temos tudo na cabeça então pra que 1 fase temos que ter somente a 2 fase tem mais lógica seria o mais correto!

    ResponderExcluir
  35. Pela forma de escrever de muitos aqui já sabemos porque não conseguem passar no Exame de Ordem. OAB é o melhor filtro com ressalvas ao valor caro da prova. Agora a maior burrice que li aqui foi a afirmação de que professor de Direito ganha bem. Desconheço professor ganhando bem no Bostil Varonil... Vão estudar bando de rabulas!!! kkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não depende de estudo, depende estar entre os 15% escolhido para o mercado. Os 85% restante, enchem os bolsos dos dirigentes da oab. Vamos deixar de hipocrisia e encarar a realidade de um exame que só serve para arrecadar cifras.

      Excluir
  36. Se com exame da OAB está ruim, imagina sem!
    Discordo que o exame seja apenas com fins lucrativos da OAB, pois se este fosse o objetivo, seria mais fácil extinguir o exame da ordem, pois a anuidade chega à quase R$ 1.000,00.
    Por que ter o trabalho de aplicar provas pra lucrar se extinguindo esse exame a OAB arrecadaria muito mais?
    A questão é sobre a quantidade de cursos e a qualidade do ensino.
    Se há muitos advogados ruins, mesmo passando por essa prova, imagina habilitar todos os bacharéis em direito para a advocacia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é o exame que deixa ruim, é a administração. O exame apenas serve para arrecadar milhões e deixar a porta aberta para corrupção. RESERVA DE MERCADO, è isso capitalista?

      Excluir
  37. Boa tarde queridos amigos adevogados.

    ResponderExcluir
  38. Ao contrário, com o fim, somente a sociedade ganha. Parabéns ao Deputado que teve a coragem de enfrentar o capitalismo. Exame aplicado pela oab é a porta aberta para corrupção. A Constituição que a oab usa, não é a nossa, lá não diz que poderão reprovar 95% para arrecadar milhões. Lá está estampado a RESERVA DE MERCADO para Advogados,

    ResponderExcluir
  39. Quererem um "filtro melhor para aferir a capacidade mínima de um bacharel"? melhorem o a qualidade do ensino e estágio. Aumente o tempo de estágio, pois é a prática que realmente define o bom advogado.

    ResponderExcluir
  40. Bom tenho certeza, que bons profissionais, e aqueles acadêmicos e bacharéis que realmente se empenham na construção de seu conhecimento jurídico não dão a minima para este exame, apenas mais uma prova qual não trará impecilho algum no exercícios de suas atividades.

    ResponderExcluir
  41. Parem de chorar e vão estudar! Chorão não passa mesmo não

    ResponderExcluir
  42. Em teoria, uma pessoa que estudou em casa, e passou na OAB poderá advogar ? Porque na real, o diploma de Bacharelado apenas, vale tanto quanto um de administração de empresas, ou seja, apenas comprova nível superior...

    ResponderExcluir
  43. presidente da OAB-DF, Juliano Costa Couto, vive um momento dramático em sua vida profissional e pessoal. Recentemente, teve o nome mencionado no âmbito das delações da JBS. Esse é o Senhor que "defende" os interesses da população? Me poupe... Não passa de mais um Dr. faminto por Honorários e que se traveste de títulos para justificar sua pouca tolerância democrática. Faça Mestrado e Doutorado de Honestidade Senhor Juliano.

    ResponderExcluir
  44. antecipação da disputa eleitoral na Ordem dos Advogados do Brasil Seccional DF detonou uma crise no comando da entidade. Em mensagem enviada pelo WhatsApp nesta quinta-feira (19/10), a vice-presidente, Daniela Teixeira, acusou o presidente, Juliano Costa Couto, de usar a estrutura da OAB-DF para promover a própria reeleição. Mais essa Seo Juliano????...não estou "ética" para o Exame da Ordem né !!! assim que se faz seu pilantra???? Defende o exame para os outros mas não aplica a si mesmo...Que Vergonha Heim...

    ResponderExcluir
  45. Antes dessa lei de 94 não existia Exame da OAB. Temos bons, maus e péssimos advogados dessa leva. Acredito que se muitos deles fossem hoje submetidos ao exame, não passariam! Realmente acho desnecessário. É difícil você ficar 5 anos numa faculdade e depois não poder exercer de fato sua profissão por causa dessa prova. O que é um Bacharel em Direito? É um mero "estagiário de luxo" que muitas vezes sabe muito mais que um advogado habilitado, mas que não pode assinar como tal por causa dessa prova, que além de ser cara para ser realizada, ainda tem 2 fases.

    ResponderExcluir
  46. Por Vasco Vasconcelos, escritor ,jurista e abolicionista. EXAME DA OAB uma chaga social que envergonha o país dos desempregados.
    Trabalho análogo à condição de escravo
    Por: Vasco Vasconcelos, escritor e jurista. Na nossa sociedade, privar um homem de emprego ou de meios de vida, equivale, psicologicamente, a assassiná-lo". (Martin Luther King). Antes da promulgação da Lei Áurea, era legal escravizar e tratar as pessoas como coisa, para delas tirarem proveitos econômicos. A história se repete: O jabuti de ouro da OAB, o famigerado caça-níqueis exame da OAB, cuja única preocupação é bolso dos advogados devidamente qualificados pelo Estado (MEC), jogados ao banimento, sem direito ao primado do trabalho, renegando pessoas a coisas. E por falar em escravidão, o Egrégio STF ao julgar o INQUÉRITO 3.412 /AL dispondo sobre REDUÇÃO A CONDIÇÃO ANÁLOGA A DE ESCRAVO. ESCRAVIDÃO MODERNA, explicitou com muita sapiência (…) “Para configuração do crime do art. 149 do Código Penal, não é necessário que se prove a coação física da liberdade de ir e vir ou mesmo o cerceamento da liberdade de locomoção, bastando a submissão da vítima “a trabalhos forçados ou a jornada exaustiva” ou “a condições degradantes de trabalho”, condutas alternativas previstas no tipo penal. A “escravidão moderna” é mais sutil do que a do século XIX e o cerceamento da liberdade pode decorrer de diversos constrangimentos econômicos e não necessariamente físicos. Priva-se alguém de sua liberdade e de sua dignidade tratando-o como coisa e não como pessoa humana, o que pode ser feito não só mediante coação, mas também pela violação intensa e persistente de seus direitos básicos, inclusive do direito ao trabalho digno. A violação do direito ao trabalho digno impacta a capacidade da vítima de realizar escolhas segundo a sua livre determinação. Isso também significa “reduzir alguém a condição análoga à de escravo”. C/ a palavra Organização Internacional do Trabalho.

    ResponderExcluir
  47. Vasco Vasconcelos escritor e jurista.
    Mensagem nº3 Presidente da República (D.O.U de 05.01.2018).
    O VETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA
    Trata-se do Projeto de Lei nº7.260 de 2002 aprovado pelo Congresso Nacional dispondo sobre a manutenção de instalações e equipamentos de sistema de climatização de ambientes. No texto aprovado pelo Congresso Nacional exigia que o Plano de Manutenção, Operação e Controle -PMOC deveria estar sob a responsabilidade técnica de engenheiros mecânico. Ouvido o Ministério da Justiça e Segurança Pública manifestou-se pelo VETO pelo ao seguinte dispositivo
    § 2º do artigo 1º.
    Razões do Veto :
    "O dispositivo cria RESERVA DE MERCADO DESRAZOADA, ao prever exclusividade de atuação de um profissional para responsabilidade técnica do Plano instituído pelo Projeto, contrariando dispositivo constitucional atinente à matéria, em violação ao inciso XIII do artigo 5º da Constituição, QUE GARANTE O DIREITO AO LIVRE EXERCÍCIO DE QUALQUER TRABALHO, OFÍCIO OU PROFISSÃO" Essas, Senhor Presidente, as razões que me levaram a vetar o dispositivo acima mencionado do projeto em causa, as quais ora submetido à elevada apreciação dos Senhores Membros do Congresso Nacional.
    Michel Temer
    Presidente da República
    OBS: Se os nossos governantes respeitassem a Constituição, o Princípio Constitucional da Igualdade além do livre exercício profissional cujo título universitário habilita, já teriam abolido o trabalho análogo a de escravos da OAB, a escravidão contemporânea da OAB enfim extirpado a EXCRESCÊNCIA do pernicioso, fraudulento, concupiscente, famigerado caça níquei$$ exame da OAB, uma chaga social que envergonha o país dos desempregados. Liberdade, liberdade abre as asas sobre os cativos da OAB, que exigem tratamento igualitário.

    ResponderExcluir
  48. OAB, " Já não escravos. Mas irmãos" Papa Francisco
    Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista.

    OAB um poder sem limites. As penitenciárias estão em ruínas, superlotadas. E se depender dos mercenários a situação vai piorar. A meta dos mercenários da OAB além de impor sua reserva imunda de mercado, impedindo o livre exercício profissional, gerando, fome desemprego,
    pretendem colocar atrás das grades cerca de 130 mil mil cativos ou escravos contemporâneos da OAB devidamente qualificados pelo omisso MEC sem direito ao primado do trabalho, num desrespeito a dignidade da pessoa humana. Já está prestes a ser aprovado no omisso e enlameado Congresso Nacional os Projetos de Leis n.8.347/2017 e n.141/2015 (SN). Pretendem t i p i f i c a r penalmente a violação de direitos ou prerrogativas do advogado e o exercício ilegal da advocacia. O Presidente da Republica tem que VETAR essa EXCRESCÊNCIA.
    Ajude nos abolir de vez o trabalho análogo a de escravos a escravidão contemporânea da OAB o pernicioso caça níqueis exame da OAB uma chaga social que envergonha o país dos desempregados.
    A CFgarante o direito ao livre exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão.” - Vasco Vasconcelos, escritor e jurista (...)
    FIM URGENTE DO TRABALHO ANÁLOGO A DE ESCRAVOS, OAB. "A violação do direito ao trabalho digno impacta a capacidade da vítima de realizar escolhas segundo a sua livre determinação. Isso também significa “reduzir alguém a condição análoga à de escravo”. Segundo o ex-Ministro do STF, Joaquim Barbosa: “Reduzir alguém a condição análoga à de escravo fere, acima de tudo, o princípio da dignidade humana, despojando-o de todos os valores ético-sociais, transformando-o em res, no sentido concebido pelos romanos.
    Fonte:
    https://www.jornalpreliminar.com.br/…/%E2%80%9Ca-constituic…

    ResponderExcluir
  49. O exame deve ser mantido, mas o custo é absurdo. Deveria ser uma inscrição com valor simbólico e aferir a prática. As universidades estão cheias de cursos teóricos, mesmo as consideradas "boas". O dia a dia da profissão só os estágios e empregos futuros proporcionam... O ambiente acadêmico precisa mudar urgentemente. Isso sem falar na Ordem e suas anuidades. Depois que se passa no exame vêm os boletos de boas-vindas...e pouco ou nenhum auxílio a quem inicia na carreira como advogado. Triste.

    ResponderExcluir
  50. Eliminar o exame na ORDEM dos advogados, estou aguardando, a minha vida toda, um exame no mesmo molde para os médicos. Não tem que acabar precisa criar para todas as profissões este modelo de exame para exercerem a profissão. TEM UM MONTE DE FACULDADE MEIA BOCA. TEM UM MONTE DE PROFISSIONAL MEIA BOCA. NÃO TEM COMO ACABAR COM OS MEIAS BOCAS. ENTÃO VAMOS CRIAR OS EXAMES.

    ResponderExcluir
  51. A Ordem tá é com medo de perder a arrecadação dos 3 exames anuais, que diga se de passagem é bem caro.

    ResponderExcluir
  52. por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista-Brasília DF
    LEIA ESTA AULA MAGNA
    Que Brasil você quer para o futuro? - Vasco Vasconcelos

    Quero um país sem trabalho análogo a de escravos, o fim da escravidão contemporânea da OAB.
    A violação do direito ao trabalho digno impacta a capacidade da vítima de realizar escolhas segundo a sua livre determinação. Isso também significa “reduzir alguém a condição análoga à de escravo”(STF).


    Preliminarmente quero o louvar a Rede Globo de Televisão pela feliz iniciativa de questionar milhares dos seus telespectadores, sobre o destino deste país em fase de putrefação, país dos desempregados e dos aproveitadores que lucram com o desemprego dos seus cativos, com a seguinte chamada: Que Brasil você quer para o futuro?

    (...)
    Como o espaço de 15’ segundos da gravação é muito pouco para denunciar o trabalho análogo a de escravos, a escravidão contemporânea da OAB, e como tenho quase certeza que minha fala será censurada, resolvi ocupar este espaço democrático para falar do trabalho análogo a de escravos ou seja a escravidão contemporânea da OAB o pernicioso famigerado caça-níqueis exame da OAB, uma chaga social que envergonha o país dos desempregos. Criam-se dificuldades para colher facilidades.



    Lembrando que o saudoso conterrâneo Luiz Gama, foi durante mais de um século rejeitado pela OAB, que não aceitava como advogado; ele teve seu altruístico trabalho reconhecido, inclusive o seu nome inscrito noLivro dos Heróis da Pátria, através da LEI Nº 13.628, DE 16 DE JANEIRO DE 2018, depois de 133 anos da sua morte, por ter libertado 800 escravos.



    A exemplo de Luiz Gama eu também estou lutando com pertinácia e denodo juntamente com dezenas abolicionistas contemporâneos pela libertação cerca de quase 200 mil cativos ou escravos contemporâneos da OAB, devidamente qualificados pelo omisso Ministério da Educação - MEC, jogados ao banimento sem direito ao primado do trabalho.



    Alô Rede Globo de Televisão, a escravidão em nosso país foi abolida há cento e trinta anos. Antes da promulgação da Lei Áurea, era legal escravizar e tratar as pessoas como coisa, para delas tirarem proveitos econômicos. A história se repete: O jabuti de ouro da OAB, o famigerado caça-níqueis exame da OAB, cuja única preocupação é bolso dos advogados devidamente qualificados pelo Estado (MEC), jogados ao banimento, sem direito ao primado do trabalho, renegando pessoas a coisas.



    https://www.jornalpreliminar.com.br/noticia/4792/que-brasil--voce-quer-para-o-futuro---vasco-vasconcelos

    ResponderExcluir
  53. Bacharéis todos somos. Advogados, juízes, promotores, etc., só depois do exame da OAB. Preciso desenhar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. jOÃOZINHO VC FOI ENGANADO RAPAZ VC NÃO É ADVOGADO ISSO PQ VC NUNCA LEU UM TRATADO INTERNACIONAL NA VIDA A SUA OAB FOI EXTINTA PELO DECRETO N 11 DE 18 DE JANEIRO DE 1991 KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
  54. Fim do Exame de Ordem para a advocacia prejudicará mais o cidadão do que o Advogado.Hahah contem outra piada, que esta não tem graça. Com certeza prejudicará é os bolsos dessa corja de pilantras que criaram tal exame. Daqui a uns meses teremos outro estouro outra FIFA nos jornais brasileiros!!!! O mais curioso é que não prestam contas dessa montanha de dinheiro extorquido do pobre estudante brasileiro, com o aval do MEC e do STF, que parecem em vez de defender a Constituição a empurram para o abismo. QUE PAIS É ESTE!#FIMDOEXAME-JÁ!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só estudar que você passa.

      Excluir
    2. O tempo que você perdeu escrevendo este texto lhe tomou um tempo de estudo.

      Excluir
    3. Só disse verdades.
      Estão destruindo famílias e sonhos. Falta Fiscalização, Transparência e vergonha na cara desse conselho.

      Excluir
    4. Mesmo que se passe, somos bacharéis ou não? conhecemos nossos direitos ou não? por isso
      nem se deve fazer. Isto é Brasil terra de ninguém. Vergonhoso. A OAB morreu a 27 anos e ninguém faz nada. Tenho vergonha de ser BRASILEIRO.

      Excluir
  55. Acabar com o exame só é interessante para quem não consegue a aprovação.
    É só estudar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VÁ VC ESTUDAR OS TRATADOS INTERNACIONAIS, ESSE EXAME É UM CRIME.

      Excluir
  56. Exame da ordem é uma vergonha.
    Residência médica que lida efetivamente com a vida é uma forma de dar experiência ao iniciante, devidamente supervisionado, mas que a fiscalização EXISTA em toda as profissões. No caso da OAB não há qualquer fiscalização. Graduados antes desta lei que institui o exame tem DIREITO ADQUIRIDO para exercer a profissão sem exame da ordem e sem qualquer "atualização". Aprovados também fazem estragos e não há qualquer atuação da ordem nesse sentido. Sou aprovado e há muitos bacharéis com profissionalismo maior que muitos advogados. Vocês estão destruindo famílias sem cuidar desses bacharéis. Saibam diferenciar quem realmente quer atuar na profissão no dia a dia não em uma prova.

    Sendo objetivo, Minha sugestão é que haja primeiro, no formato residência médica, dois anos ou mais de atuação supervisionada por um advogado após sua formação e que haja fiscais acompanhando o andamento destes profissionais assim como os demais. Após poderia ser analisado o histórico profissional e ético desse advogado. O exame também afronta a CF em sua liberdade de exercício da profissão.

    Infelizmente históricamente a ordem deixa a desejar muito. Parece mais uma dituradura de conselho. Ninguém tem voz.

    ResponderExcluir
  57. ADEUS PARA ESSA IMORALIDADE O EXAME DA ORDEM FERE O DIREITO UNIVERSAL E INTERNACIONAL TRATA SE DE UM CRIME CONTRA A HUMANIDADE JÁ TEM UM PROCESSO EM CURSO NA COMISSÃO INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS - CIDH -OEA.
    DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS.
    Artigo 23
    1. Todo ser humano tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.
    PROTOCOLO DE SÃO SALVADOR
    PROTOCOLO ADICIONAL À CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS

    HUMANOS EM MATÉRIA DE DIREITOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E

    CULTURAIS, “PROTOCOLO DE SAN SALVADOR”
    Artigo 6
    Direito ao trabalho



    1. Toda pessoa tem direito ao trabalho, o que inclui a oportunidade de obter os meios para levar uma vida digna e decorosa por meio do desempenho de uma atividade lícita, livremente escolhida ou aceita.

    ALGUM TRATADOS INTERNACIONAL MANDA PAGAR A UMA ENTIDADE QUE FOI EXTINTA PELO DECRETO N 11 DE 18 DE JANEIRO DE 1991 PARA FAZER PROVA E SE APROVADO PODER TRABALHAR? NÃO, NENHUM OS TRATADOS INTERNACIONAIS ESTÃO ACIMA DO ARTIGO 8º, IV, DA LEI N 8906/94, PORTANTO, A EXIGÊNCIA É UM CRIME VAMOS SE IDENTIFICAR CONTAR O SEU CASO E FAZER A DENUNCIA NA CIDH EIS O EMAIL DELES: cidhoea@oas.org

    ResponderExcluir
  58. ELES JÁ SABEM QUE VÃO TER QUE INDENIZAR TODOS OS BACHARÉIS E DEVOLVER EM DOBRO AS ANUIDADES DOS TONTOS DOS PSEUDOS ADVOGADOS, A OAB E O BRASIL SÃO RÉU EM CORTE INTERNACIONAL O EXAME FERE TRATADOS INTERNACIONAIS, E O PIOR, A OAB FOI EXTINTA PELO DECRETO N 11 DE 18 DE JANEIRO DE 1991 , ENGANOU TODO MUNDO ESSE TEMPO TODO QUE VERGONHA.

    ResponderExcluir
  59. Essa prova é uma aberração. Já passei na primeira fase e fiquei por 0,45 Na segunda fase, sendo que deixaram de corrigir 3 itens fundamentados...levei minha prova para meus mestres da Univali...fizemos Recurso, sem aventuras. As respostas foram automáticas..
    O mais importante fator que se mede numa profissão essa prova não avalia, nem poderia pois, sua política aplicada carece de boas intenções...ou seja, essa prova não tem condição alguma de avaliar o caráter e intensão do futuro advogado... Quantos hj estão suspensos? Ou até mesmo presos? Ficam com discursos que têm que filtrar...blá blá blá
    E o papel dos juízes? E os indeferimentos? E os saneamentos? E os órgãos fiscalizadores? E as responsabilidades dos Doutores? Inexiste? Não é o mercado que faz esse caminho? Sejamos persistentes colegas. E procurem um candidato à presidência que ajude à combater essa prova INJUSTA da OAB.


    ResponderExcluir
  60. Alô Senhores candidatos a Presidente da República Federativa do Brasil, não podemos brincar com o desemprego que assola o país, nem fingir de moucos aos abusos praticados por entidades que só tem olhos para os bolsos dos seus cativos, gerando fome, desemprego, doenças psicossociais e outras comorbidades diagnósticas, quais são suas propostas para abolir de vez o trabalho análogo a de escravos, a escravidão contemporânea da OAB, rumo a resgatar cerca de 300 mil cativos devidamente qualificados pelo omisso Estado (Ministério da Educação – MEC), jogados nas cavernas do desemprego pelos mercenários da OAB?
    No próximo dia 7 de setembro será comemorado o 197º da Independência do Brasil. Foi indubitavelmente um dos fatos históricos mais importantes do nosso país. Marcou a ruptura política entre Brasil e Portugal ou seja o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Esse importante evento ocorreu exatamente no dia 7 de setembro de 1822, o denominado “Grito do Ipiranga”, às margens do riacho Ipiranga, na atual cidade de São Paulo.
    Mas que liberdade é essa que decorrido todo esse tempo (197º da Independência do Brasil), e 130º da República e 130º da abolição da escravidão, ainda hoje o país depara com a vergonhosa escravidão contemporânea de uma elite que não aceita a ascensão de filhos de pessoas humildes nos quadros da advocacia? Sendo obrigados a submeter ao famigerado exame caça-níqueis da OAB, ou seja ser obrigado a decorar cerca de 181 mil leis, haja vista que nesse certame não existe conteúdo programático, uma prova calibrada não para medir conhecimentos e sim para reprovação em massa. Quanto maior reprovação maior o faturamento dos mercenários e ainda manter sua reserva indecente de mercado.
    Criam-se dificuldades para colher facilidades. Só OAB, sem computar a indústria dos cursinhos e seus satélites, já faturou nos últimos vinte e dois anos, mais R$ 1.0 BI (um bilhão de reais), sem nenhuma transparência, sem nenhum retorno social e sem prestar contas ao Egrégio Tribunal de Contas a Uni]ao – TCU, num verdadeiro desrespeito aos Princípios Constitucionais insculpidos no art. 37 – CF, triturando sonhos e diplomas, gerando fome, desemprego, depressão, síndrome do pânico, síndrome de Estocolmo, doenças psicossociais e outras comorbidades diagnósticas, uma chaga social que envergonhado país dos desempregados.
    Filhos da elite não precisam ralar, pagar altas mensalidades. Eles estudam nas melhores universidades públicas, cursaram as melhoras escolas, não trabalham, por isso têm maiores chances de serem aprovados no jabuti da OAB e mais tarde serem escolhidos via listas de apadrinhados para ocupar vagas nos Tribunais Superiores, via o chamado quinto dos apadrinhados.

    ResponderExcluir
  61. Anônimo5/9/18 09:59

    exame da OAB, fonte de arrecadação de verbas e frustração aos Bacharéis de Direito que passam anos estudando para fazer Monografias imensas, defender teses e no final ainda passam por essa prova que muitas vezes não tem nada do que foi passado na Faculdade.Mas fácil seria a obrigatoriedade de uma pós graduação ao estudante na área específica de sua carteira.Balela, que seja feita investigação para onde foi as verbas do concurso desde quando se iniciou a sua cobrança para exercer a advocacia e se tem de ter o tão defendido exame, que seja de graça e feito pela própria OAB com ajuda do MEC.

    ResponderExcluir
  62. É uma contradição muito grande, já que os maiores nomes da Advocacia no Brasil são os Advogados das antigas e nem se quer existia exame de ordem.
    Acredito que os baicharéis deveriam ter uma OAB provisória durante um ano, tendo que atuar em no mínimo 5 processos em um ano sem cometer infração disciplinar, e assim poder pegar a OAB definitiva.
    Isso serve também para o Baicharel decida se realmente quer continuar no ramo.

    ResponderExcluir
  63. Não é tudo isso. Prestei uma vez só o exame e passei no XXVI. Trabalho no comércio de segunda a sábado.

    ResponderExcluir
  64. O argumento de que o exame é uma espécie de filtro é frágil ao meu ver. Acredito que há outros meios de fazer isso, como no caso de suspensão das atividades ou até mesmo a cassação do registro. Ao contrário, é comum a existência de inúmeras reclamações de clientes vítimas de determinados advogados que deveriam perder o registro. Se primar pela qualidade do bom profissional fosse o objetivo do exame, o mesmo rigor deveria ser aplicado ao mau advogado e não é isso que acontece. Ao contrário, se não existisse o exame e o rigor nele aplicado fosse o mesmo na fiscalização e punição do mau profissional, o resultado seria o de uma advocacia exemplar e honrada.

    ResponderExcluir
  65. Exame da OAB é Caça Níquel, sempre foi...Classe Desunida...Tristeza é separar Bacharéis em Direito de Advogados...Sendo que para ser um, precisa ser graduado em Direito.
    PARABÉNS Aos Defensores Públicos (classe unida) que se disvincularam destes cartolas do conselho feferal da OAB. Por isso que a classe não tem um piso salarial. Orgulho por vocês defensores públicos. Que tem que dar poder pra exercer a profissão é o MEC, e não uma altarquia 'OAB' que não representa os profissionais e operadores do Direito.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!