Causos: Meu cliente ou eu? A hora de saber se o Direito está na sua veia ou no seu ego...

Nenhum comentário
goo.gl/HJWKqe | Nota: Inicialmente, cumpre esclarecer que o relato deste texto, em nada manifesta interesse em exaltar, promover ou enaltecer atributos ou vaidades da autora, mas tão somente alertará sobre a necessidade de repensar valores, escolhas, profissões e chamada vocacional de cada profissional do Direito e isto, sim, é relevante e importante.



Muitos dizem, e eu acredito, que Advogar é sacerdócio, está no sangue, na chamada, e que não se fabrica um Advogado, pois ele vem pronto, de berço!

De fato, entendo que tem que haver ‘química’, chamada, vocação, senão, será mais um no meio da multidão, e, na primeira cara feia, faz igual a canção que o Raul Gil diz: - Pegue seu banquinho e saia de mansinho...

Apesar do Advogado já vir pronto (vocacionado, lutador, cheio de inquietações e questionamentos pertinentes), é fato que o profissional carece de aperfeiçoamento diário, precisa estar presente em seminários, palestras, congressos, fazer algumas especializações, etc.

Em 2013, li uma matéria num site jurídico asseverando que um Advogado trabalhista estrangeiro, para não perder uma audiência, largou seu carro possante numa rua, correu ao fórum, teve sua Ferrari tomada por água de esgoto, mas cumpriu o seu papel, qual seja, atendeu ao pleito do seu cliente.

Dizia a matéria:

No mês passado, correu o mundo a notícia de que um advogado de Toronto, Canadá, abandonou sua Ferrari Califórnia 2010, no valor de US$ 192 mil, na rua, para não perder um voo para Ottawa, onde teria uma audiência na manhã seguinte. Agora corre a notícia de que a Ferrari não perdeu essa ótima oportunidade de marketing: entregou uma Ferrari Califórnia 2013, no valor de US$ 300 mil, ao advogado, por um preço tão baixo que foi praticamente um presente.

O advogado trabalhista Howard Levitt estava a caminho do aeroporto, sob uma chuva torrencial. No início de um túnel, a água estava bem baixa. Mas, lá pela metade, estourou um encanamento de esgoto e a água suja subiu, como na erupção de um gêiser, e começou a inundar a parte mais baixa do túnel. Outros carros passavam lentamente, menos a Ferrari que é muito baixa.

A primeira providência de Levitt foi tentar encontrar, por telefone, um reboque. Mas então se deu conta de que o tempo estava passando e poderia perder o voo e, consequentemente, a audiência no tribunal de Ottawa. A água do esgoto continuava a subir e já se aproximava da janela.

Levitt abriu a porta do carro e deixou a água de esgoto entrar. Pegou sua bagagem no porta-malas, fez um policial lhe prometer que encontraria um reboque para tirar o carro da rua, pegou um táxi e foi para o aeroporto.

Todos os voos naquele aeroporto haviam sido cancelados por causa da tempestade. Levitt pegou outro táxi, foi para outro aeroporto e chegou a tempo de pegar o último voo para Ottawa. No dia seguinte, compareceu à audiência, ganhou a causa para seu cliente, e voltou para Toronto.

"Transformou-se em uma estrela de proporções épicas", escreveu o jornal Above de Law, repercutido pelo Jornal da ABA (American Bar Association) — uma imagem que a fábrica da Ferrari fez questão de associar à sua marca. A Ferrari captou a atenção da mídia com sua "generosidade". Segundo algumas interpretações, a fábrica quis transmitir a ideia de que esse é o tipo de gente que dirige uma Ferrari.

Levitt, porém, acha que não fez nada demais. "É por isso que a gente paga seguro", ele disse. Se não desse conserto, por causa da invasão de água de esgoto, o que era muito provável, também não seria o fim do mundo, disse o advogado aos jornais canadenses. "A gente compra outro", afirmou. O fim do mundo seria perder a audiência e prejudicar o cliente, ele disse.

Impactada com a conduta do causídico, pensei:

- Será que eu faria o mesmo? Logo eu que gosto tanto de ‘máquinas’? O interesse de meu cliente seria maior que meu apego ao meu Porsche, minha Mitsubishi, meu Mercedes de dar inveja ao Neymar Júnior? Hahahaha

Causos da Burégio


E não é que fui provada?

Estava no médico fazendo exames importantes para manter a 'máquina corporal', pois o motor anda pedindo clemência. Havia aguardado mais de 40 minutos, faria dois importantes exames invasivos que foram agendados com, acredito, entre 20 ou 30 dias de antecedência.

Faltavam cinco pacientes para serem atendidas e minha vez, finalmente chegaria...

Toca meu celular!

Uma emergência: Plano de saúde negara internação de urgência a paciente cardíaco, idoso, família desesperada, etc e tal.

Lá estava a profissional do Direito, sentada, bem acomodada, gozando de plena saúde, lendo um belo livro, aguardando poucas pessoas para ser, finalmente atendida e tendo que escolher: - Advocacia ou empatia, Dra Fátima? A saúde do seu cliente ou a sua?

A Advocacia prevaleceu!

Corri ao escritório, chamei a família, entrei com Liminar, etc...

Exausta, mas feliz!


Por volta das 21:40 hs, chorei, lembrei do caso do colega estrangeiro e disse no meu íntimo: - Vocação, chamada e compromisso particular deve sobressair em atenção aos seus interesses, doutora! Remarque seus exames, pois a saúde do seu cliente, a vida dele que corria sério risco prevaleceu aos seus íntimos interesses.

- Está aprovada: Agora, você, de fato, é uma Advogad-a que continuará extremamente pobre, sem dinheiro para comprar sequer a réplica de um Porsche ou de um Mercedes, mas com a sensação de que, de fato, cumpriu e cumpre seu mister!

________________________

Fátima Burégio
Especalista em Processo Civil, Responsabilidade Civil e Contratos
Dra Fátima Burégio, Advogada, Banca Burégio Advocacia em Recife-PE, Especialista em Processo Civil pelo Instituto de Magistrados do Nordeste, atuante em Direito Civil, Pós Graduada Responsabilidade Civil e Contratos pelo Rio Grande do Sul, formada em Conciliação, Mediação e Arbitragem pelo INAMA. Curso Defesa do Consumidor pelo Instituto Luiz Mário Moutinho, Curso de Combate à Corrupção MPPE. Cursando Pós Graduação em D.Trabalho e Previdência pelo IMN, Cursando Prática Cotidiana em D.Família e Sucessões pela OAB Federal e ENA. Atua na área Cível, Família, Consumidor, Empresarial, Previdenciário, Trabalhista, Contratos, Obrigações, Propriedade, e Responsabilidade Civil. buregioadvocacia@outlook.com Fone/Wpp 81-99210-1566 Site https://fatimaburegioadvocacia.wordpress.com
Fonte: Jus Brasil

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!