Após advogado usar apenas 9 minutos para defender cliente, réu tem novo júri

2 comentários
goo.gl/q58J1P | O Tribunal do Júri de Santa Maria, no Distrito Federal, julgará pela segunda vez nesta terça-feira (31) um homem acusado por um homicídio praticado em setembro de 2013. É que durante o primeiro julgamento, o advogado de defesa usou apenas 9 minutos dos 90 previstos para a sustentação oral.

O motivo dessa "economia de tempo" não foi divulgado pelo Tribunal de Justiça, e o G1 não conseguiu contato com o responsável pela defesa. O processo tramita em segredo de Justiça.


Em novembro de 2017, o réu David Dantas Barbosa foi condenado a 16 anos de prisão por homicídio qualificado. O júri foi anulado após apresentação de um recurso. Segundo a decisão da 2ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do DF, o advogado deixou de “desenvolver validamente qualquer tese absolutória, de forma proposital e sem prévio acordo com o réu”.

De acordo com o tribunal, a falta de argumentação conduziu David Dantas Barbosa à pena. O julgamento foi anulado “pela configuração de nulidade absoluta, nos termos da primeira parte da Súmula 523 do Supremo Tribunal Federal”.

Tribunal de Justiça do Distrito Federal (Foto: Raquel Morais/G1)

Na sentença proferida em 2017, consta que o réu, “de modo livre e consciente, com vontade de matar”, atirou contra Lenilson de Sousa Oliveira na noite de 20 de setembro de 2013. A vítima foi abordada enquanto conversava com amigos em uma rua de Santa Maria. O crime teria ocorrido por causa de desentendimentos em relação à divisão de produtos roubados pelos dois.

Fonte: g1 globo

2 comentários

  1. Advogado(a) que não tem experiência em júri, não deve se aventurar. 9 min é falta de defesa técnica. Deixa então a Defensoria Pública do Júri realizar a defesa.

    ResponderExcluir
  2. Me desculpem,mas,ele queria prejudicar o cliente ou se considera com uma boa "argumentação",para achar que com 9 minutos vão conseguir convencer o júri!!

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!