Advogada denuncia invasão policial em sua residência sem mandado; PM contesta

Um comentário
goo.gl/Xsnh29 | “Meu coração gelou. Sabe aquela sensação de impotência? Foi simplesmente isso que eu senti. Invadiram minha casa, bagunçaram tudo, parquinho, quarto dos meus filhos, tudo revirado, brinquedo pisoteado, nunca esperava que isso fosse acontecer”.

O relato é do gestor ambiental Igor Araújo. Ele e a esposa, a advogada Paula Simoni, denunciaram à Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Ordem dos Advogados do Brasil uma invasão a sua casa durante o feriadão de sete de setembro por policiais militares.

“Quando ele [o esposo] saiu para ir para uma reunião da associação comunitária, simplesmente, foi o tempo suficiente para a polícia entrar, derrubar o portão, revirar tudo. Eles cavaram o quintal, destruíram um monte de coisa dentro da minha casa e foram embora. E deixaram o portão apenas encostado”, afirma a advogada.

Casal mostra imagens da casa onde os cômodos aparecem completamente revirados - Fonte: Reprodução TV Pajuçara

Vizinhos informaram ao casal que os invasores seriam militares, e entregaram aos dois uma série de imagens de câmeras de segurança que mostram os PMs no local.

Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos, o advogado Ricardo Moraes, os próximos passos serão verificar se a ação foi legal. “Nós vamos buscar os motivos e caso isso não tenha ocorrido de forma legal, nós iremos buscar a responsabilização dos autores”, afirmou.

“A gente não sabe por que fizeram isso, nem com que intenção. E também eles não deixaram nenhuma carta, nenhuma intimação, não notificaram a gente de forma alguma. Pelo contrário, nós é que estamos buscando saber o que aconteceu", disse Paula Simoni.

PM alega cumprimento de mandado


A Polícia Militar informou à produção da TV Pajuçara que não houve invasão de domicílio, e sim o cumprimento de um mandado de busca e apreensão, expedido pela 17ª Vara Criminal a pedido do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público Estadual.

A corporação disse ainda que qualquer informação acerca do mandado deve ser buscada na própria vara e que se a pessoa ofendida tiver alguma queixa sobre a ação policial deve procurar a Corregedoria da PM para que sejam tomadas as medidas legais.

Redação do TNH1 com Pajuçara Noite
Fonte: www.tnh1.com.br

Um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!