Acompanhe o novo site direitonews.com.br

Transtornos: advogados enfrentam fila na chuva para entrar no TJ-SP para sessão das 9h30

2 comentários
goo.gl/aUgpb6 | Advogados que queriam fazer sustentação oral ou pedir preferência em seus casos tiveram de ficar em fila na chuva no Centro de São Paulo nesta segunda-feira (4/2). Eles esperavam para acompanhar a sessão das 9h30, atipicamente concorrida, e reclamaram de o tribunal ter mantido a regra de só abrir as portas a advogados às 9h. E quem saísse da fila perderia o lugar para pedir preferência e para fazer sustentação.

Segundo um advogado que não quis ser identificado, a situação gerou transtornos porque formou-se uma fila de aproximadamente 100 metros a partir da entrada, dobrando a esquina do prédio do tribunal, que fica ao lado da Praça da Sé. “Cheguei no TJ às 8h45 e fiquei esperando na chuva até as 9h. Havia risco de pegarmos doenças por conta da chuva e também risco à nossa integridade, pois a região central de São Paulo é reconhecidamente violenta”, afirma.

De acordo com o advogado, que iria fazer sustentação oral na sessão das 9h30, o tribunal poderia ter aberto as portas mais cedo, no mínimo às 8h30, para evitar esses transtornos. Para ele, o horário apertado dificulta até mesmo chegar a tempo para a sessão, pois os defensores precisam passar pela sala das becas, vestirem-se e só então subirem para as salas em que ocorrem os julgamentos.

Em nota, a assessoria de imprensa do TJ-SP disse que os advogados experimentaram o mesmo que os demais paulistanos nesta manhã: "Creio que o início do dia de hoje tenha sido atípico em todos os locais devido às dificuldades que as pessoas tiveram de chegar ao local de trabalho. Os advogados que se sentiram prejudicados podem recorrer à Ouvidoria do TJ-SP", diz a nota.

Por Ricardo Bomfim
Fonte: Conjur

2 comentários

  1. Anônimo5/2/19 10:25

    Prejudicados?!
    Quantas crianças, famílias não aguardam nas filas de posto de saúde, etc.
    Aguardar 15 min em chuva, me poupem!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo6/2/19 08:18

    Difícil entender o que a precariedade da saúde tem a ver com o desrespeito às prerrogativas legais dos advogados...

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!