Acompanhe o novo site direitonews.com.br

Não deixe que a concorrência vire uma desculpa. Encontre novas habilidades e alternativas

Nenhum comentário
bit.ly/2UrTZ4l | Há umas duas semanas, eu e minha esposa passamos uns dias na cidade – se você não me conhece, meu nome é Pedro, sou advogado, trabalho em home office e moro num sítio, belê?

Era uma segunda-feira como outra qualquer. De um café, escrevi pela manhã, respondi alguns e-mails, almocei e, à tarde, depois de terminar alguns trabalhos, fiz algo que eu ainda não tinha feito quando estou na selva de pedras. Procurei no Google algum evento para ir à noite e conhecer pessoas novas.

Achei que não ia encontrar nada. Afinal, era uma segunda-feira, à noite. Para minha surpresa, tinha uma reunião de jovens advogados na sede da OAB da cidade.

Na descrição do evento não falava exatamente o que seria, mas fui preparado para alguma palestra ou algo do tipo. Quando cheguei lá, encontrei um círculo no meio do salão. Era uma reunião bem informal, onde cada um se apresentava e falava um pouco do seu trabalho.

Fiquei um pouco receoso, já que eu era o único “de fora”, além de ser um pouco tímido. Mas, naquele momento, não dava mais pra sair correndo.

Bom, chegou a minha vez de me apresentar.

“Olá, meu nome é Pedro, sou advogado e, além de advogar, eu produzo conteúdo para outros advogados e escritórios de advocacia, e também procuro inspirar esses caras a construírem um negócio jurídico totalmente online, a fim de que tenham mais tempo livre, mobilidade e menos custos. Há um ano moro num sítio com a minha esposa e nossa yorkshire.”

Foram essas as minhas palavras. Um “discurso de elevador” bem decorado porque falo muito do meu trabalho, mas suficiente para despertar a curiosidade da galera.

Não estou aqui para me gabar. Não tem nada novo aí. Já conversei com um advogado que também mora num sítio há mais de 25 anos, além de tantos outros que deixaram seu escritório físico e atendem seus clientes de maneira remota, morando em outros países, inclusive.

O que eu quero dizer para você com esse texto é que existem muitas possibilidades. O direito é tão amplo, na verdade, que você pode optar por, inclusive, advogar, como disse o advogado Pedro Ribeiro em uma palestra para estudantes de direito.

Já faz um tempo que tenho buscado formas de deixar o meu trabalho mais interessante e também fazer coisas interessantes com o meu trabalho. Elas existem. Escrever foi uma habilidade que aprendi na própria faculdade de direito e, só depois de anos, vi que era algo que eu gosto de fazer e que poderia ser uma alternativa para ganhar dinheiro além da advocacia.

Para mim, a profissão não é um fim em si mesmo, apenas para eu me gabar que “sou um advogado”, mas um meio de alcançar a vida que eu quero. Acho que a gente deveria ter a profissão em prol da nossa vida, não a nossa vida em prol da profissão.

Eu sempre quis viajar e ter liberdade para estar onde eu quisesse, sem ter que esperar as férias pra isso. Ao contrário do que eu queria, minha vida estava passando enquanto eu assistia sentado numa cadeira de escritório. Foi uma fase que tive que passar para aprender, mas eu não queria aquilo para o resto da vida.

Sem essa ilusão de “largar tudo para fazer o que se ama”, fiquei pensando como eu poderia ser mais feliz com o meu trabalho e usar a minha profissão, meu conhecimento e minhas experiências para construir a vida mais livre que eu queria.

Desde Janeiro de 2017 advogo sozinho em home office. Nesse tempo, apesar de ter passado por dificuldades que só quem assume o protagonismo da vida sabe do que eu estou falando, viajei, fiz música, escrevi para o Migalhas, Amo Direito, befreela, fui convidado para ser colunista em uma revista impressa e digital (a edição sai esse mês!), conheci gente e plataformas interessantes, e ajudei alguns advogados a serem vistos e também encontrarem ou criarem suas próprias oportunidades.

Sem eu perceber, acabei desenvolvendo novas habilidades e novos trabalhos foram sendo criados. Pelo menos novos para mim.

A verdade é que, quem procura, acha.

Concorrência sempre vai existir em qualquer área. Inclusive, sempre vai ter gente melhor do que eu ou você. Mas o seu foco não pode ser esse. O seu foco tem que ser você e sua capacidade de aprender e desenvolver sua própria profissão, seja advogando, escrevendo ou fazendo qualquer outra coisa.

***

Gostou desse texto? Me conta nos comentários! Me conta também se você tem alguma atividade no tempo livre ou hobbies que, quem sabe, gostaria de transformar num trabalho ;)

Pedro Custódio
Advogado que carrega o escritório na mochila e escreve
Sou um advogado que carrega o escritório na mochila e escreve. Minha iniciativa mais recente é inspirar e ajudar outros advogados insatisfeitos com seu estado atual a trabalharem de forma mais criativa e livre e com mais de tempo e mobilidade. Tenho um blog (pedrocustodio.adv.br) onde escrevo sobre a vida, dou dicas de produtividade e falo sobre empreendedorismo e novas formas de trabalho na advocacia, principalmente, sem escritório físico. Escrevo para portais incríveis como be freela, Migalhas, Espaço Vital e Amo Direito. Me encontre aqui também ☟ ✉ pedrocustodio@adv.oabsp.org.br 💻 pedrocustodio.adv.br ☕ linkedin.com/in/pedrocustodioadv/ 📘 facebook.com/pedrocustodio.adv
Fonte: pedrocustodion.jusbrasil.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!